Novoeste on-line - Onde o Oeste da Bahia é Notícia
> Principal > Artigos > Pauta Livre > A pandemia chega ao pico? Tomara...
 
A pandemia chega ao pico? Tomara...
26/05/2020 as 19:03 h  Autor Tenente Dirceu Cardoso Gon&cce  Imprimir Imprimir
Depois de bater, na quinta-feira (21), o recorde de 1.188 mortes em 24 horas provocadas pela Covid 19, recuamos para 653, no boletim do Ministério da Saúde divulgado no domingo (24). Fontes da área de Saúde nos estados e hospitais privados - citadas por conhecido colunista - teriam dito que nesta semana ocorre o pico da pandemia no Brasil, com o ápice já acontecido semana passada em São Paulo e previsto para os próximos dias no Rio de Janeiro, as duas localidades que lideram o número de casos no país. Mesmo assim, as autoridades continuam insistindo no isolamento, antecipam feriados e fazem outras restrições.

Em alguns pontos do país já se volta timidamente ao trabalho. Nos próximos dias, governadores e prefeitos das principais localidades devem promover o afrouxamento das restrições e exigir da população a adoção de hábitos profiláticos. Já compreenderam ou foram convencidos que, mesmo ocorrendo o pico e em seguida a esperada redução das infestações e mortes, será necessária a manutenção de cuidados para evitar nova escalada de contaminação e vítimas. Apesar de autorizados a voltar à atividade, os estabelecimentos deverão manter o distanciamento e impedir aglomerações, e as pessoas continuar usando máscara e lavando as mãos assiduamente. Sem esses cuidados o quadro pode voltar a se complicar e exigir o retorno das restrições.

Vencida a pandemia, as autoridades terão o dever de investir maciçamente na rede de saúde. Utilizar os milhares de respiradores, equipamentos e mobiliário dos hospitais de campanha para ampliar a oferta e a proximidade de UTIs e leitos hospitalares e, com isso, eliminar a nefasta fila de pacientes graves que há anos lota salas de espera, corredores e outras dependências de pronto-socorros e serviços de urgência. Não se deve esquecer que a crise da Saúde Publica brasileira é resultante de décadas de falta de investimentos e – o pior – da corrupção que drenou vultosas somas do dinheiro público que deveria ser aplicado na área, ensejando sucessivos escândalos que envolvem administradores, políticos e empresários inescrupulosos, alguns deles já condenados e trancafiados.

Todos teremos de nos adaptar ao pós-coronavírus. Os indivíduos através de comportamentos seguros e os governantes investindo em hospitais, ambulatórios e outras estruturas de Saúde hoje negligenciadas, para na próxima pandemia, epidemia ou surto - que fatalmente virá - não ter de repetir a discutível estratégia de isolamento perante o risco de não possuir meios para socorrer as vítimas.

Que o sofrimento e principalmente os mais de 20 mil mortos e outros que ainda perecerão, sirvam pelo menos para adequar a Saúde Pública e evitar que a tragédia continue como parceira perene desse importante setor.
 


Por Tenente Dirceu Cardoso Gonçalves - dirigente da ASPOMIL (Associação de Assist. Social dos Policiais Militares de São Paulo). aspomilpm@terra.com.br

Comente via Facebook
Mais Artigos
No h comentrios.
img
img
RSS  Artigos Artigos

Embora pensada para se opor à polarização entre direita e esquerda nas eleições presidenciais, a candidatura de terceira via, se ocorrer, favorecerá Lula e atrapalhará Bolsonaro. Por natureza, o eleitorado de esquerda comparece incondicionalmente às urnas e vota no candidato da tendência, mesmo...
Em evento de filiação ao Podemos e com discurso político, Sérgio Moro traz à tona sentimentos e projeções variadas acerca de seus objetivos políticos. Símbolo maior da Operação Lava Jato quando juiz, superministro do Governo Bolsonaro, trabalhador da iniciativa privada nos EUA, enfim, uma trajetória já assaz atribulada nos últimos anos e, agora, uma pré-candidatura, ao que tudo indica para a Presidência, em 2022, mas não...
O partido que desfralda a bandeira da socialdemocracia e adota um tucano como símbolo, o PSDB, está em frangalhos. Quando foi criado em 1988 era a esperança de o país pela trilha de uma nova política, amparada no conceito do Estado comprometido com o bem estar social e aberto aos...
O cipoal de leis que restringe a liberdade individual deve ser censurado. Característica principal dos sistemas socialistas anacrônicos e até mesmos dos híbridos, a hegemonia de leis que restringe a liberdade individual vem contaminando o progresso geral. A liberdade é instrumento de construção e de evolução meteórica mais consistente dentro dos sistemas viáveis de construção da sociedade humana. Os dois caminhos experimentados pelas...
A Caridade é o centro gravitacional da consciência ideológica, portanto, educacional, política, social, filosófica, científica, religiosa, artística, esportiva, doméstica e pública do Cidadão Espiritual. Desse modo, se o ser humano não tiver compreensão dela, deve esforçar-se para entendê-la, a fim de...
img
img
img
PUBLICAÇÕES RECENTES
img




img



img
img
img
CASAS img LOTES img FAZENDAS
img
CHÁCARAS img PRÉDIOS COMERCIAIS img GALPÕES
img
RSS  Dicas de Leitura Dicas de leitura
img
Ambientado em uma comunidade japonesa de São Paulo, lançamento ficcional da escritora Juliana Marinho promove o poder da música como intervenção para cura de doenças. A musicoterapia, união da arte e saúde em busca da reabilitação ou promoção do bem-estar, é a responsável...
Por meio da personagem Malu, as escritoras e letrólogas paulistas Nanda Mateus e Raphaela Comisso dialogam com as crianças sobre diversidade familiar e desmistificam a homoparentalidade. Nanda Mateus trabalha com educação e inovação em tecnologias para...
Existem músicas para os momentos felizes, tristes e até aquelas que marcam datas especiais, mas para Melody King é diferente: as canções são uma consequência — infelizmente incontrolável — de uma rara doença. As dificuldades em lidar com as embaraçosas situações,...
img
img
RSS  Top Vdeos Top Vídeos
img
Thumbnail
img
img
img
RSS  Classificados Classificados
img
img
img



RSS GOOGLE + YOUTUBE TWITTER FACEBOOK