Novoeste on-line - Onde o Oeste da Bahia é Notícia
> Principal > Artigos > Pauta Livre > Previdência justa e sem privilégios
 
Previdência justa e sem privilégios
01/03/2017 as 15:09 h  Autor Antônio Augusto de Queir  Imprimir Imprimir
A prioridade da maioria dos partidos no Congresso não tem nada a ver com os temas que vem ganhando mais visibilidade na mídia: as reformas previdenciária, trabalhista e tributária. As verdadeiras prioridades são: 1) fundo partidário, 2) anistia do caixa 2 e 3) reforma política. As duas primeiras para aprovar e a terceira para rejeitar.

O primeiro ponto é considerado crucial para a sobrevivência dos partidos, especialmente após o fim do financiamento empresarial de campanha. A experiência da eleição municipal deixou a direção dos partidos apavorada com a falta de recursos e os candidatos loucos com o endividamento que tiveram que assumir após a campanha.

Para aprovar uma lei que garanta recursos para financiar a campanha de 2018, a maioria dos partidos, e também os parlamentares, estão dispostos a fazer qualquer negócio, inclusive acordo de procedimento em relação às reformas que rejeitem. Sem esses recursos, a chance de renovar mandato sem comprometer o patrimônio pessoal ou familiar é quase impossível, considerando a lógica comercial das campanhas no Brasil.

O segundo ponto também é uma questão de vida ou morte para os partidos e os parlamentares, já que a maioria esmagadora praticou caixa dois na última campanha eleitoral. Mantida a caracterização do caixa dois como crime eleitoral, muitos dos atuais detentores de mandato terão que contratar bons advogados para defendê-los como condição para disputar a reeleição, caso sejam denunciados por essa prática.

Se nos dois primeiros pontos há, praticamente, um consenso entre os partidos, no terceiro há disputas e visões distintas. Os partidos grandes da base querem uma reforma que impeça o retorno da esquerda ao poder, e os pequenos e médios da base descartam qualquer reforma com esse formato, porque também serão atingidos, especialmente se forem aprovadas duas mudanças estruturais: a proibição de coligação nas eleições proporcionais e a adoção da cláusula de barreira.

As contradições no processo político não são de fácil compreensão. Partidos que deveriam fazer de tudo para aprovar as reformas do governo ou partidos que deveriam jogar todas as suas forças para combater reformas que atingem os mais sagrados direitos de sua base social têm prioridades contraditórias aos interesses que representam. A sobrevivência em primeiro lugar.

As três prioridades não possuem qualquer relação com as matérias que foram priorizadas pelo governo Temer. Assim, é fundamental que se pressione os integrantes da base do governo, mostrando as maldades e efeitos perversos das reformas trabalhista e previdenciária, e vigiar os adversários da reforma para que não transijam na luta de resistência.



Antônio Augusto de Queiroz é jornalista, analista político e diretor de Documentação do Diap.
E-mail: toninho@diap.org.br
Fonte: www.agenciasindical.com.br>

Comente via Facebook
Mais Artigos
No h comentrios.
img
img
RSS  Artigos Artigos

Embora pensada para se opor à polarização entre direita e esquerda nas eleições presidenciais, a candidatura de terceira via, se ocorrer, favorecerá Lula e atrapalhará Bolsonaro. Por natureza, o eleitorado de esquerda comparece incondicionalmente às urnas e vota no candidato da tendência, mesmo...
Em evento de filiação ao Podemos e com discurso político, Sérgio Moro traz à tona sentimentos e projeções variadas acerca de seus objetivos políticos. Símbolo maior da Operação Lava Jato quando juiz, superministro do Governo Bolsonaro, trabalhador da iniciativa privada nos EUA, enfim, uma trajetória já assaz atribulada nos últimos anos e, agora, uma pré-candidatura, ao que tudo indica para a Presidência, em 2022, mas não...
O partido que desfralda a bandeira da socialdemocracia e adota um tucano como símbolo, o PSDB, está em frangalhos. Quando foi criado em 1988 era a esperança de o país pela trilha de uma nova política, amparada no conceito do Estado comprometido com o bem estar social e aberto aos...
O cipoal de leis que restringe a liberdade individual deve ser censurado. Característica principal dos sistemas socialistas anacrônicos e até mesmos dos híbridos, a hegemonia de leis que restringe a liberdade individual vem contaminando o progresso geral. A liberdade é instrumento de construção e de evolução meteórica mais consistente dentro dos sistemas viáveis de construção da sociedade humana. Os dois caminhos experimentados pelas...
A Caridade é o centro gravitacional da consciência ideológica, portanto, educacional, política, social, filosófica, científica, religiosa, artística, esportiva, doméstica e pública do Cidadão Espiritual. Desse modo, se o ser humano não tiver compreensão dela, deve esforçar-se para entendê-la, a fim de...
img
img
img
PUBLICAÇÕES RECENTES
img




img



img
img
img
CASAS img LOTES img FAZENDAS
img
CHÁCARAS img PRÉDIOS COMERCIAIS img GALPÕES
img
RSS  Dicas de Leitura Dicas de leitura
img
Ambientado em uma comunidade japonesa de São Paulo, lançamento ficcional da escritora Juliana Marinho promove o poder da música como intervenção para cura de doenças. A musicoterapia, união da arte e saúde em busca da reabilitação ou promoção do bem-estar, é a responsável...
Por meio da personagem Malu, as escritoras e letrólogas paulistas Nanda Mateus e Raphaela Comisso dialogam com as crianças sobre diversidade familiar e desmistificam a homoparentalidade. Nanda Mateus trabalha com educação e inovação em tecnologias para...
Existem músicas para os momentos felizes, tristes e até aquelas que marcam datas especiais, mas para Melody King é diferente: as canções são uma consequência — infelizmente incontrolável — de uma rara doença. As dificuldades em lidar com as embaraçosas situações,...
img
img
RSS  Top Vdeos Top Vídeos
img
Thumbnail
img
img
img
RSS  Classificados Classificados
img
img
img



RSS GOOGLE + YOUTUBE TWITTER FACEBOOK