Novoeste on-line - Onde o Oeste da Bahia é Notícia
> Principal > Artigos > Pauta Livre > Congressistas, digam a que vieram...
 
Congressistas, digam a que vieram...
13/04/2016 as 16:13 h  Autor Tenente Dirceu Cardoso Gon&cce  Imprimir Imprimir
O dr. Ulysses Guimarães costumava dizer que “burro não chega até aqui”. Tradução: na opinião do velho e festejado líder, quem não tem o discernimento, não se elege. Partindo desse raciocínio, é de se esperar que no próximo fim-de-semana, todos os 513 deputados federais estejam presentes ao plenário da Câmara para votar a admissibilidade do processo de impeachment da presidente Dilma Rousseff. É inadmissível o não comparecimento daqueles que têm o dever de decidir sobre esse momento crítico da nacionalidade. Independente do lado em que estejam – se vão votar pelo processo de impeachment ou contra ele -, os srs. deputados têm a obrigação de comparecer e explicitar sua posição. Nem mesmo a abstenção – que é regimental – deve ser admitida nesse momento, quando a população clama por uma definição.

Os deputados que, na definição de Ulysses, não são bobos, têm, mais do que a condição intelectual, o dever cívico de verificar o inteiro teor das denúncias que levam ao processo de impedimento da governante, ouvir e analisar a defesa da acusada e decidir conforme seu entendimento e o interesse do povo, que eles não podem esquecer, é o seu patrão. Tudo o que fizerem fora da perspectiva do interesse público, será indevido e certamente trará graves consequências que poderão se estender até pelas próximas gerações.

Ao povo não filiado a partidos ou agremiações e movimentos com atuação político-ideológica, que apenas é levado a votar nas eleições, pouco importa o nome de quem está governando. O interesse é que esse governante cumpra as leis, não permita atos de corrupção e desenvolva políticas que levem o país à ordem e ao desenvolvimento e, com isso, induzam ao bem-estar dos cidadãos. Tudo o que fugir a essas premissas populares, é interesse de grupos, não do povo.

Ao cidadão comum interessa o fim da crise. Cabe aos congressistas, com seu discernimento e ações, responder a essa aspiração popular. Depois de superada a fase do impeachment, não podem se esquecer das reformas que o país necessita para recobrar o desenvolvimento e fortalecer a democracia. Esse momento de ruptura é apenas o ponto de partida de um grande número de providências sem as quais o Brasil jamais chegará ao grande destino sonhado pela população. Agora é a hora dos deputados federais demonstrarem a que vieram. Logo, se o processo de afastamento for aprovado pela Câmara, os senadores também terão sua oportunidade de se confraternizarem com o povo.
 



Tenente Dirceu Cardoso Gonçalves
- dirigente da ASPOMIL (Associação de Assist. Social dos Policiais Militares de São Paulo) - aspomilpm@terra.com.br

Comente via Facebook
Mais Artigos
No h comentrios.
img
img
RSS  Artigos Artigos

Embora pensada para se opor à polarização entre direita e esquerda nas eleições presidenciais, a candidatura de terceira via, se ocorrer, favorecerá Lula e atrapalhará Bolsonaro. Por natureza, o eleitorado de esquerda comparece incondicionalmente às urnas e vota no candidato da tendência, mesmo...
Em evento de filiação ao Podemos e com discurso político, Sérgio Moro traz à tona sentimentos e projeções variadas acerca de seus objetivos políticos. Símbolo maior da Operação Lava Jato quando juiz, superministro do Governo Bolsonaro, trabalhador da iniciativa privada nos EUA, enfim, uma trajetória já assaz atribulada nos últimos anos e, agora, uma pré-candidatura, ao que tudo indica para a Presidência, em 2022, mas não...
O partido que desfralda a bandeira da socialdemocracia e adota um tucano como símbolo, o PSDB, está em frangalhos. Quando foi criado em 1988 era a esperança de o país pela trilha de uma nova política, amparada no conceito do Estado comprometido com o bem estar social e aberto aos...
O cipoal de leis que restringe a liberdade individual deve ser censurado. Característica principal dos sistemas socialistas anacrônicos e até mesmos dos híbridos, a hegemonia de leis que restringe a liberdade individual vem contaminando o progresso geral. A liberdade é instrumento de construção e de evolução meteórica mais consistente dentro dos sistemas viáveis de construção da sociedade humana. Os dois caminhos experimentados pelas...
A Caridade é o centro gravitacional da consciência ideológica, portanto, educacional, política, social, filosófica, científica, religiosa, artística, esportiva, doméstica e pública do Cidadão Espiritual. Desse modo, se o ser humano não tiver compreensão dela, deve esforçar-se para entendê-la, a fim de...
img
img
img
PUBLICAÇÕES RECENTES
img




img



img
img
img
CASAS img LOTES img FAZENDAS
img
CHÁCARAS img PRÉDIOS COMERCIAIS img GALPÕES
img
RSS  Dicas de Leitura Dicas de leitura
img
Ambientado em uma comunidade japonesa de São Paulo, lançamento ficcional da escritora Juliana Marinho promove o poder da música como intervenção para cura de doenças. A musicoterapia, união da arte e saúde em busca da reabilitação ou promoção do bem-estar, é a responsável...
Por meio da personagem Malu, as escritoras e letrólogas paulistas Nanda Mateus e Raphaela Comisso dialogam com as crianças sobre diversidade familiar e desmistificam a homoparentalidade. Nanda Mateus trabalha com educação e inovação em tecnologias para...
Existem músicas para os momentos felizes, tristes e até aquelas que marcam datas especiais, mas para Melody King é diferente: as canções são uma consequência — infelizmente incontrolável — de uma rara doença. As dificuldades em lidar com as embaraçosas situações,...
img
img
RSS  Top Vdeos Top Vídeos
img
Thumbnail
img
img
img
RSS  Classificados Classificados
img
img
img



RSS GOOGLE + YOUTUBE TWITTER FACEBOOK