Novoeste on-line - Onde o Oeste da Bahia é Notícia
> Principal > Artigos > Pauta Livre > Lava-Jato versus impeachment
 
Lava-Jato versus impeachment
04/04/2016 as 10:02 h  Autor Pedro Cardoso da Costa  Imprimir Imprimir
Nada de negativo na política surpreende mais os brasileiros. Quando se pensa que já se ultrapassou o fundo do poço, eis que surgem mais gravações, mais baixarias, mais sujeira, mais cinismo e distorções de todos os lados.

O impeachment agora é golpismo, sob o argumento de que a presidenta foi eleita. Não dizem que só existe processo de impeachment em democracias e sobre governos eleitos. O Partido dos Trabalhadores tentou afastar todos os presidentes que o antecederam e, como lhe era conveniente, mencionava sempre que não basta a legalidade, ser eleito – que é necessário legitimidade, apoio popular.

Para os governistas, quem defende o afastamento da presidente é alienado, por conta de que o atual vice-presidente em nada vai melhorar o país. Não dizem uma vírgula sobre ser a Constituição federal que determina obrigatoriamente a ordem de substituição da presidente.

Também não se clareia sobre o fato de que o vice-presidente foi eleito com os mesmos votos, a mesma legitimidade, a mesma bandeira da presidente. Formaram uma única chapa. Não foi a oposição quem pariu esse, agora, extraterrestre.

Lula foi grampeado e gravado falando com a presidente da República sobre sua nomeação para ministro de Estado. O resto fica por conta das explicações esdrúxulas. O termo de posse, cuja definição veio depois e sem ser mencionado na conversa, foi enviado para uso “em caso de necessidade”... Contexto e inteligência mediana são desprezados tranquilamente. A palavra final, aí, cabe ao Supremo Tribunal Federal.

As conversas gravadas de Delcído Amaral, Aloisio Mercadante e entre Lula e Dilma Roussefff são semelhantíssimas, mas só o senador foi preso em flagrante. A Justiça brasileira ainda balança e dança conforme a importância do gravado.

O juiz Sérgio Moro foi escolhido como o adversário a ser abatido pelo Poder Executivo. O crime dele: atuar firme no combate à corrupção. Em qualquer país mais consolidado institucionalmente, o Poder Judiciário seria respaldado e fortalecido. Aqui, grande parte da mídia o condena, sob o argumento de querer aparecer. Ninguém se torna notório apenas porque quer. Eu busco espaço na mídia para acabar com a sujeira das cidades há 30 décadas e não consegui até agora.

Se algum erro ou excesso foi cometido, puna-se, mas jamais buscar diminuir uma atuação firme e corajosa no combate à corrupção.

Seria incalculável o valor corrompido se não tivesse surgido esse obstáculo. Até por que, enquanto o esquema está funcionando bem, o cordão não para de crescer na quantidade de pretendentes e nas quantias abocanhadas. Todos perdem num esquema de corrupção, até quem o defende por ingenuidade, por ideologia ou por qualquer outra razão.

Joaquim Barbosa começou a golpear a corrupção e a certeza de que alguns são inalcançáveis pelas leis. Não se inibiram e se deram mal em continuar apostando que seria um caso isolado. Aí apareceu Sergio Moro. Não sei qual dos dois o Papa Francisco deve beatificar primeiro.

Com relação à corrupção em si, malandramente é difundida por parte da mídia e de políticos, a ideia de que tirar uma cópia de um documento numa máquina do serviço público seria igual a surrupiar 6 bilhões de reais da Petrobras. Essa má-fé difundida tem o objetivo de proteger o andar de cima e tem o potencial de causar mais danos a todos do que os valores astronômicos desviados dos cofres públicos.
 
Pedro Cardoso da Costa – Interlagos/SP
Bacharel em direito

Comente via Facebook
Mais Artigos
No h comentrios.
img
img
RSS  Artigos Artigos

O escritor foi e ainda é, para as crianças que estão começando a descortinar o infinito horizonte da palavra, algo inatingível, meio mágico, talvez mítico.Isso, dito por elas mesmas. A criança é naturalmente curiosa, sedenta de conhecimento e experiência, e ficar cara a cara com...
Na civilização humana, em todos os tempos as gesticulações passaram a simbolizar determinados comportamentos e construir significados diversos para cada sociedade e para cada povo. Gestos humanos servem tanto para simbolizar comportamentos positivos, bem como...
https://www.novoeste.com/uploads/image/artigos_gaudencio-torquato_jornalista-professor-usp-consultor-politico.jpgHoje, tomo a liberdade de fazer uma reflexão sobre a vida. Valho-me, inicialmente, de Sêneca com seu puxão de orelhas: “somos gerados para uma curta existência.  A vida é breve e a arte é longa. Está errado. Não dispomos de pouco tempo, mas desperdiçamos muito. A vida é longa...
A presidenta do Instituto Justiça Fiscal aponta o falso dilema para a escolha eleitoral de 2022 e indica as fontes de custeio para vencer o quadro desolador de fragilidade da maioria do povo brasileiro. A próxima eleição, se ocorrer, certamente exigirá muito de nós. Mas não será uma escolha difícil. Para começar, terceira via não existe! Ou melhor: existe, em Bolsonaro. Este, que pode parecer insano, sádico, intratável, joga o jogo e...
A Constituição Cidadã erigiu a dignidade da pessoa humana como seu fundamento, ao lado da soberania, cidadania, valores sociais do trabalho e da livre iniciativa e o pluralismo político. Trata-se, portanto, de um dos pilares que legitimam o Estado Social e Democrático que fundou....
img
img
img
PUBLICAÇÕES RECENTES
img




img



img
img
img
CASAS img LOTES img FAZENDAS
img
CHÁCARAS img PRÉDIOS COMERCIAIS img GALPÕES
img
RSS  Dicas de Leitura Dicas de leitura
img
Ambientado em uma comunidade japonesa de São Paulo, lançamento ficcional da escritora Juliana Marinho promove o poder da música como intervenção para cura de doenças. A musicoterapia, união da arte e saúde em busca da reabilitação ou promoção do bem-estar, é a responsável...
Por meio da personagem Malu, as escritoras e letrólogas paulistas Nanda Mateus e Raphaela Comisso dialogam com as crianças sobre diversidade familiar e desmistificam a homoparentalidade. Nanda Mateus trabalha com educação e inovação em tecnologias para...
Existem músicas para os momentos felizes, tristes e até aquelas que marcam datas especiais, mas para Melody King é diferente: as canções são uma consequência — infelizmente incontrolável — de uma rara doença. As dificuldades em lidar com as embaraçosas situações,...
img
img
RSS  Top Vdeos Top Vídeos
img
Thumbnail
img
img
img
RSS  Classificados Classificados
img
img
img



RSS GOOGLE + YOUTUBE TWITTER FACEBOOK