Novoeste on-line - Onde o Oeste da Bahia é Notícia
> Principal > Artigos > Pauta Livre > O governo e a administração pública
 
O governo e a administração pública
20/02/2016 as 11:02 h  Autor Tenente Dirceu Cardoso Gon&cce  Imprimir Imprimir
O Brasil é pródigo em leis. Temos lei para tudo e, inclusive, uma Constituição que trata de tudo, com detalhes que surpreendem. Mesmo assim, estamos vivendo uma crise sem precedentes. Além das dificuldades econômicas, deparamos com a derrocada da imagem da classe política e o colapso nas relações entre o Governo Federal e o Congresso Nacional. Agentes públicos, partidos políticos, empreiteiras, servidores e atravessadores têm contra si pesadas denúncias de corrupção apuradas em rumorosos processos que desnudam o achaque ao bem público, o enriquecimento ilícito, a formação de quadrilha e, pasmem, a sustentação de campanhas eleitorais através de dinheiro fraudulento. O mais grave é que a lama mancha diferentes partidos, expressivas figuras e não está restrita ao foco federal, pois também envolve estados e municípios, em suas diferentes conformações.

Mensalão e Lava Jato são apenas as grandes matrizes do desvendamento da roubalheira nacional. Os fatos apurados já renderam condenações diversas de figuras nunca antes imaginadas atrás das grades e ainda deverão provocar muitas emoções. Mas, além dos próprios efeitos, sugerem a necessidade de estender as investigações para todos os quadrantes da administração pública federal, estadual e municipal. Infelizmente, a promiscuidade e o assalto às verbas destinadas ao serviço público tornaram-se rotina através das concorrências e licitações viciadas e da propina paga pelos beneficiários das fraudes, acordos e negociatas. Para que isso pare de ocorrer, é necessário aplicar todos os rigores da lei contra aqueles que delinquiram e evitar, de todas as formas, a nomeação de operadores que, investidos em funções de governo, possam facilitar os desvios.

O ideal seria que a máquina pública fosse operada exclusivamente por servidores concursados e de carreira, que tivessem o que perder se cometessem irregularidade ou crime. O governo, propriamente dito, deveria ser apenas um órgão direcionador das ações da máquina, exercendo esse papel com a representatividade dos votos recebidos da população, mas nunca com a chave do cofre à sua disposição. O administrador público deveria poder nomear apenas os ministros e, no máximo, os dirigentes das estatais e estes trabalhar com servidores de carreira, concursados, formados e treinados para as funções, e não com cabos eleitorais, como ocorre atualmente.

Temos um grande e promissor país, mas precisamos eliminar os vícios e fortalecer a máquina pública. O governante precisa ter a certeza de que a administração que lhe cabe decidir para que lado avançar, dentro de diferentes alternativas viáveis e corretas, é competente e não fará besteiras que deslustrem seu governo. E, se mesmo assim, alguém que se desviar, tem de pagar caro pelo malfeito.
 



Tenente Dirceu Cardoso Gonçalves
- dirigente da ASPOMIL (Associação de Assist. Social dos Policiais Militares de São Paulo) - aspomilpm@terra.com.br

Comente via Facebook
Mais Artigos
No h comentrios.
img
img
RSS  Artigos Artigos

O escritor foi e ainda é, para as crianças que estão começando a descortinar o infinito horizonte da palavra, algo inatingível, meio mágico, talvez mítico.Isso, dito por elas mesmas. A criança é naturalmente curiosa, sedenta de conhecimento e experiência, e ficar cara a cara com...
Na civilização humana, em todos os tempos as gesticulações passaram a simbolizar determinados comportamentos e construir significados diversos para cada sociedade e para cada povo. Gestos humanos servem tanto para simbolizar comportamentos positivos, bem como...
https://www.novoeste.com/uploads/image/artigos_gaudencio-torquato_jornalista-professor-usp-consultor-politico.jpgHoje, tomo a liberdade de fazer uma reflexão sobre a vida. Valho-me, inicialmente, de Sêneca com seu puxão de orelhas: “somos gerados para uma curta existência.  A vida é breve e a arte é longa. Está errado. Não dispomos de pouco tempo, mas desperdiçamos muito. A vida é longa...
A presidenta do Instituto Justiça Fiscal aponta o falso dilema para a escolha eleitoral de 2022 e indica as fontes de custeio para vencer o quadro desolador de fragilidade da maioria do povo brasileiro. A próxima eleição, se ocorrer, certamente exigirá muito de nós. Mas não será uma escolha difícil. Para começar, terceira via não existe! Ou melhor: existe, em Bolsonaro. Este, que pode parecer insano, sádico, intratável, joga o jogo e...
A Constituição Cidadã erigiu a dignidade da pessoa humana como seu fundamento, ao lado da soberania, cidadania, valores sociais do trabalho e da livre iniciativa e o pluralismo político. Trata-se, portanto, de um dos pilares que legitimam o Estado Social e Democrático que fundou....
img
img
img
PUBLICAÇÕES RECENTES
img




img



img
img
img
CASAS img LOTES img FAZENDAS
img
CHÁCARAS img PRÉDIOS COMERCIAIS img GALPÕES
img
RSS  Dicas de Leitura Dicas de leitura
img
Ambientado em uma comunidade japonesa de São Paulo, lançamento ficcional da escritora Juliana Marinho promove o poder da música como intervenção para cura de doenças. A musicoterapia, união da arte e saúde em busca da reabilitação ou promoção do bem-estar, é a responsável...
Por meio da personagem Malu, as escritoras e letrólogas paulistas Nanda Mateus e Raphaela Comisso dialogam com as crianças sobre diversidade familiar e desmistificam a homoparentalidade. Nanda Mateus trabalha com educação e inovação em tecnologias para...
Existem músicas para os momentos felizes, tristes e até aquelas que marcam datas especiais, mas para Melody King é diferente: as canções são uma consequência — infelizmente incontrolável — de uma rara doença. As dificuldades em lidar com as embaraçosas situações,...
img
img
RSS  Top Vdeos Top Vídeos
img
Thumbnail
img
img
img
RSS  Classificados Classificados
img
img
img



RSS GOOGLE + YOUTUBE TWITTER FACEBOOK