Novoeste on-line - Onde o Oeste da Bahia é Notícia
> Principal > Artigos > Pauta Livre > Queda de juros deve ser retroativa
 
Queda de juros deve ser retroativa
15/05/2012 as 18:22 h  Autor tenente dirceu  Imprimir Imprimir
O governo lançou a cruzada pela tão sonhada redução dos juros. Os bancos oficiais baixaram suas taxas e agora são acompanhados pelos privados. Consumidores festejam a possibilidade de melhores condições de financiamento de casas, carros, eletrodomésticos e uma infinidade de artigos. A indústria, que já dá sinais de crise e começa a demitir empregados em razão da queda de consumo, espera que as novas condições reaqueçam o mercado e sustentem a produção. Há muito tempo não foi tão fácil comprar, principalmente automóveis que, além dos descontos patrocinados pelo pátio cheio, ainda trazem o apelo da queda de juros nos financiamentos de longuíssimo prazo.

Toda a economia parece estar na expectativa do resultado da queda dos juros como mais um fôlego para o mercado. Aos juros somam-se, também, os estudos que as agências governamentais desenvolvem para baixar o preço da eletricidade, insumo fundamental ao parque produtivo e à vida de todo brasileiro. É preciso tomar cuidado para que tudo não se transforme numa grande festa e, ao final dela, o país fique ainda pior do que no começo. Mas, falando em desoneração, também não se pode esquecer que pagamos os combustíveis mais caros do mundo.

Os juros elevados quebraram muitos negócios e pessoas físicas. São os responsáveis por boa parte das dívidas e da inadimplência alta registrada pelo mercado. Além de reduzir sua incidência nas futuras operações, o governo e o mercado também precisam promover a desoneração das operações já realizadas. Com isso, muitos negócios que hoje estão cambaleantes tendem a readquirir equilíbrio, assim como boa parte dos inadimplentes readquirirão meios de liquidação de seus compromissos e poderão voltar ao mercado.

A desoneração dos juros, taxas e demais penduricalhos já é hábito nas negociações das recuperadoras de crédito que, para liquidar dividas antigas, fazem qualquer negócio. Melhor seria, antes de chegar a esse patamar extremo, adotar uma política de redução do “spread” já consolidado, em benefício de todos e, principalmente, da fluidez da economia nacional. Poder-se-ia adotar tabelas matemáticas que expurguem automaticamente os gravames das dívidas, sem a necessidade de requerimento ou burocracia. Assim, a queda dos juros também agiria retroativamente e poderia proporcionar agir como um excelente acelerador para a economia.

É crucial e inadiável a criação de condições para o inadimplente voltar ao mercado. A inadimplência deve ser considerada um acidente de mercado a ser evitado e jamais como mais uma opção de faturamento. É interessante tanto ao país quanto aos bancos e ao próprio consumidor a manutenção do equilíbrio, com todos os contratantes em condições de cumprir integralmente e na data aprazada os compromissos assumidos. Inadimplência baixa ou inexistente é sinal de vitalidade econômica...

Tenente Dirceu Cardoso Gonçalves – dirigente da ASPOMIL (Associação de Assist. Social dos Policiais Militares de São Paulo) - aspomilpm@terra.com.br

Comente via Facebook
Mais Artigos
No h comentrios.
img
img
RSS  Artigos Artigos

O escritor foi e ainda é, para as crianças que estão começando a descortinar o infinito horizonte da palavra, algo inatingível, meio mágico, talvez mítico.Isso, dito por elas mesmas. A criança é naturalmente curiosa, sedenta de conhecimento e experiência, e ficar cara a cara com...
Na civilização humana, em todos os tempos as gesticulações passaram a simbolizar determinados comportamentos e construir significados diversos para cada sociedade e para cada povo. Gestos humanos servem tanto para simbolizar comportamentos positivos, bem como...
https://www.novoeste.com/uploads/image/artigos_gaudencio-torquato_jornalista-professor-usp-consultor-politico.jpgHoje, tomo a liberdade de fazer uma reflexão sobre a vida. Valho-me, inicialmente, de Sêneca com seu puxão de orelhas: “somos gerados para uma curta existência.  A vida é breve e a arte é longa. Está errado. Não dispomos de pouco tempo, mas desperdiçamos muito. A vida é longa...
A presidenta do Instituto Justiça Fiscal aponta o falso dilema para a escolha eleitoral de 2022 e indica as fontes de custeio para vencer o quadro desolador de fragilidade da maioria do povo brasileiro. A próxima eleição, se ocorrer, certamente exigirá muito de nós. Mas não será uma escolha difícil. Para começar, terceira via não existe! Ou melhor: existe, em Bolsonaro. Este, que pode parecer insano, sádico, intratável, joga o jogo e...
A Constituição Cidadã erigiu a dignidade da pessoa humana como seu fundamento, ao lado da soberania, cidadania, valores sociais do trabalho e da livre iniciativa e o pluralismo político. Trata-se, portanto, de um dos pilares que legitimam o Estado Social e Democrático que fundou....
img
img
img
PUBLICAÇÕES RECENTES
img




img



img
img
img
CASAS img LOTES img FAZENDAS
img
CHÁCARAS img PRÉDIOS COMERCIAIS img GALPÕES
img
RSS  Dicas de Leitura Dicas de leitura
img
Ambientado em uma comunidade japonesa de São Paulo, lançamento ficcional da escritora Juliana Marinho promove o poder da música como intervenção para cura de doenças. A musicoterapia, união da arte e saúde em busca da reabilitação ou promoção do bem-estar, é a responsável...
Por meio da personagem Malu, as escritoras e letrólogas paulistas Nanda Mateus e Raphaela Comisso dialogam com as crianças sobre diversidade familiar e desmistificam a homoparentalidade. Nanda Mateus trabalha com educação e inovação em tecnologias para...
Existem músicas para os momentos felizes, tristes e até aquelas que marcam datas especiais, mas para Melody King é diferente: as canções são uma consequência — infelizmente incontrolável — de uma rara doença. As dificuldades em lidar com as embaraçosas situações,...
img
img
RSS  Top Vdeos Top Vídeos
img
Thumbnail
img
img
img
RSS  Classificados Classificados
img
img
img



RSS GOOGLE + YOUTUBE TWITTER FACEBOOK