Novoeste on-line - Onde o Oeste da Bahia é Notícia
> Principal > Artigos > Pauta Livre > PERSEVERANÇA NO BEM
 
PERSEVERANÇA NO BEM
27/07/2011 as 20:59 h  Autor bruno peron  Imprimir Imprimir
A amplidão do pensamento, tenho insistido, é muito maior do que se imagina porque envolve as forças energéticas do mundo invisível. Por isso o desejo do bem antes mesmo de fazê-lo já é uma expressão de benevolência; mais ainda se a ação se concretiza.

Assim, a perseverança no bem, por mais diversos e imponentes que sejam os obstáculos, ilumina qualquer propósito e enseja efeitos dos que não haverá arrependimento.

A barreira que separa a ignorância da instrução é tênue quando há vontade genuína de conhecer, aprender, aperfeiçoar e compartilhar. Não é preciso ostentar dons extraterrenos que abram os portais de transição da primeira condição à segunda.

Caminhamos gradualmente para a desmistificação do mundo, a correção de inverdades e a anulação do que se teve muito tempo como assombroso, milagroso ou sobrenatural.

A ciência destarte tem um papel intransferível na senda evolutiva da humanidade a despeito do que muitos fazem com o esbanjamento das aptidões mentais para os avanços técnicos em prol da maculação do planeta. A natureza não é subserviente aos nossos caprichos.

Este pressuposto deixa-nos a escolha de levarmo-nos pelo vento e "dançar conforme a música", ou, contrariamente, sermos peças ativas na construção de uma esfera material e espiritual mais acorde com a natureza e mais conciliador de cizânia.

Projetos duráveis e bem intencionados legam frutos que amadurecem, cedo ou tarde.

Aproveito para recordar um fato curioso que já foi objeto de perquirição: uma lâmpada de 60 Watts está acesa desde 1901 em Livermore, Estados Unidos, e foi apagada somente por cortes esporádicos de energia e mudança de local em 1976.

Adolphe Chaillet, que fundou uma fábrica deste segmento comercial no século XIX, inventou esta lâmpada especial, feita a mão e mais custosa que as outras, e presenteou os bombeiros de Livermore.

O fenômeno da lâmpada cuja luz não se apaga teve repercussão mundial no cumprimento do centenário de seu funcionamento em 2001, e volta à ordem do dia 110 anos depois de seu filamento ter sido aceso pela primeira vez.

Especula-se que as causas mais prováveis relacionem-se à corrente baixa que alimenta a lâmpada, a estabilidade da rede elétrica, e a qualidade superior de sua composição.

O insólito desta lâmpada deve-se a que hoje não haveria oferta sem demanda, uma vez que a a obsolescência programada é um artifício de mercado que atribui expectativa de vida mais baixa aos produtos para que se movimentem indústrias.

As lâmpadas poderiam durar muito mais, noutras palavras.

Lâmpadas que duram, porém, destoam do interesse comercial.

A indagação nos retribui subsídios para entender por que nem tudo que se prega é a solução dos problemas da humanidade. Há que filtrá-las pela razão.

Já nos falaram e insistem em que o planeta é melhor com o mercado livre e a receita neoliberal, porém não é preciso matutar para reconhecer os limites da falácia.

Há uma lâmpada duradoura em você, leitor, que lhe traz com exclusividade a prerrogativa de escolher entre a instrução e a ignorância, o conhecimento e a escuridão.

Ninguém lhe imporá o que se deve pensar, ler e fabular, porquanto o pensamento não se rouba, nem mesmo os que anseiam por transformar tudo em "propriedade privada".

Reconheça sua autonomia e lembre-se de que já dispõe das ferramentas para um trabalho edificante, bem diferente do que só traz proventos financeiros.

A lâmpada centenária continua acesa e vibrante.

Outras enaltecem a perseverança no bem.

http://www.brunoperon.com.br

Comente via Facebook
Mais Artigos
No h comentrios.
img
img
RSS  Artigos Artigos

O escritor foi e ainda é, para as crianças que estão começando a descortinar o infinito horizonte da palavra, algo inatingível, meio mágico, talvez mítico.Isso, dito por elas mesmas. A criança é naturalmente curiosa, sedenta de conhecimento e experiência, e ficar cara a cara com...
Na civilização humana, em todos os tempos as gesticulações passaram a simbolizar determinados comportamentos e construir significados diversos para cada sociedade e para cada povo. Gestos humanos servem tanto para simbolizar comportamentos positivos, bem como...
https://www.novoeste.com/uploads/image/artigos_gaudencio-torquato_jornalista-professor-usp-consultor-politico.jpgHoje, tomo a liberdade de fazer uma reflexão sobre a vida. Valho-me, inicialmente, de Sêneca com seu puxão de orelhas: “somos gerados para uma curta existência.  A vida é breve e a arte é longa. Está errado. Não dispomos de pouco tempo, mas desperdiçamos muito. A vida é longa...
A presidenta do Instituto Justiça Fiscal aponta o falso dilema para a escolha eleitoral de 2022 e indica as fontes de custeio para vencer o quadro desolador de fragilidade da maioria do povo brasileiro. A próxima eleição, se ocorrer, certamente exigirá muito de nós. Mas não será uma escolha difícil. Para começar, terceira via não existe! Ou melhor: existe, em Bolsonaro. Este, que pode parecer insano, sádico, intratável, joga o jogo e...
A Constituição Cidadã erigiu a dignidade da pessoa humana como seu fundamento, ao lado da soberania, cidadania, valores sociais do trabalho e da livre iniciativa e o pluralismo político. Trata-se, portanto, de um dos pilares que legitimam o Estado Social e Democrático que fundou....
img
img
img
PUBLICAÇÕES RECENTES
img




img



img
img
img
CASAS img LOTES img FAZENDAS
img
CHÁCARAS img PRÉDIOS COMERCIAIS img GALPÕES
img
RSS  Dicas de Leitura Dicas de leitura
img
Ambientado em uma comunidade japonesa de São Paulo, lançamento ficcional da escritora Juliana Marinho promove o poder da música como intervenção para cura de doenças. A musicoterapia, união da arte e saúde em busca da reabilitação ou promoção do bem-estar, é a responsável...
Por meio da personagem Malu, as escritoras e letrólogas paulistas Nanda Mateus e Raphaela Comisso dialogam com as crianças sobre diversidade familiar e desmistificam a homoparentalidade. Nanda Mateus trabalha com educação e inovação em tecnologias para...
Existem músicas para os momentos felizes, tristes e até aquelas que marcam datas especiais, mas para Melody King é diferente: as canções são uma consequência — infelizmente incontrolável — de uma rara doença. As dificuldades em lidar com as embaraçosas situações,...
img
img
RSS  Top Vdeos Top Vídeos
img
Thumbnail
img
img
img
RSS  Classificados Classificados
img
img
img



RSS GOOGLE + YOUTUBE TWITTER FACEBOOK