Novoeste on-line - Onde o Oeste da Bahia é Notícia
> Principal > Artigos > Pauta Livre > O julgamento de Lula e a ordem jurídica
 
O julgamento de Lula e a ordem jurídica
08/01/2018 as 17:39 h  Autor Tenente Dirceu Cardoso Gon&cce  Imprimir Imprimir
De repente, o rotineiro ato jurídico de um tribunal de segunda instância julgar um processo é pautado como acontecimento nacional e até passível causar instabilidade. O prefeito de Porto Alegre pediu ajuda federal para controlar a “invasão” da cidade, dia 24 próximo, no julgamento do ex-presidente Lula. O governo federal diz ser desnecessário, o réu insiste em ser ouvido pelos desembargadores e seus seguidores aproveitam o clima para pregar a desobediência civil. Embora enfraquecidos depois do impeachment de Dilma, os ditos movimentos sociais – que Lula já chamou de “exércitos” - ameaçam comparecer em massa, mas ninguém é capaz de antever o que isso pode representar quantitativamente. Alguns exagerados garantem que, mesmo condenado em segunda instância, o ex-presidente “será candidato”.

É preciso muito juízo nesta hora. Politizar o julgamento certamente é estratégia do réu. Mas não pode exagerar a ponto de promover o caos e nem enveredar para o descumprimento da legislação vigente. O que os juízes do TFR-4 vierem a decidir no processo é o que deverá ser cumprido. E os insatisfeitos poderão recorrer ao STJ e talvez até ao STF, tudo dentro do ordenamento jurídico. Alí se decidirá exclusivamente se o tribunal referenda ou não a sentença do juiz Sérgio Moro, que condena o ex-presidente em relação ao apartamento triplex do Guarujá.

Embora o direito à livre manifestação seja constitucional, não há razão para chamar a militância para a porta do tribunal e nem para insuflá-la a cometer exageros. Da mesma forma, não interessa a ninguém promover “na marra” a candidatura de Lula ou de quem quer que seja. Se a sentença for confirmada, estará configurada sua condição de ficha suja e a legislação impede candidatura de eleitores nesta condição. E assim deverá ser feito, a não se que se promova a quebra institucional.

O momento é delicado. Temos o presidente da República denunciado, ministros sob investigação, muitos parlamentares investigados, processados e alguns apeados do poder já presos. A nomeada ministra do Trabalho enfrenta a rebelião contra sua posse e os diferentes partidos discutem candidaturas para as eleições de outubro. Espera-se que todos os atores do nosso grande teatro político tenham bom senso para que as eleições transcorram em ordem e dela surjam as bases da conciliação nacional. Embora tenha a responsabilidade intrínseca do voto, o eleitor não merece o trauma que a classe política o está fazendo suportar...
 



Tenente Dirceu Cardoso Gonçalves
- dirigente da ASPOMIL (Associação de Assist. Social dos Policiais Militares de São Paulo). aspomilpm@terra.com.br

Comente via Facebook
Mais Artigos
Não há comentários.
img


img
RSS  Artigos Artigos

Quando olhamos para o atual cenário político do Brasil, entre acusações e negações, malas de dinheiro, e os mais variados problemas hoje enfrentados, logo vem à cabeça de céticos e críticos do sistema, que veem a política como arte da dissimulação: “A política é uma...
Combinado, meu bem, vou lhe fazer uma pergunta. Se você acertar, eu compro seu ingresso para o show do Wesley Safadão. Lá vai: quem disse a frase “Quem sou eu para dar palpite sobre decisão judicial?” Eu digo a resposta correta lá no final, tá? Claro que...
Montesquieu, em seus pensamentos, ensinava: “Quando vou a um país, não examino se há boas leis, mas se são executadas as que há, pois existem boas leis por toda a parte”. E Sólon, o filósofo grego, ao ser perguntado se outorgara aos atenienses as melhores, saiu-se com esta resposta: “dei-lhes as melhores leis que eles podiam aguentar”. As duas pequenas lições calham bem no momento vivido pelo país. Primeiro, por refletir o estado...
Este ano teremos eleições para presidente e governadores. Todos, sem nenhuma exceção, farão duas promessas: reduzir a pobreza e reduzir o desemprego. Esses são os dois maiores flagelos sociais brasileiros. Ainda que todos digam as mesmas coisas e façam as...
O presidente Michel Temer afastou quatro dos 12 vice-presidentes da Caixa Econômica Federal, investigados por irregularidades apuradas pela Operação Greenfield, do Ministério Público Federal. O Conselho da instituição se prepara para assumir a tarefa de nomear e demitir esses...
img
img
img
PUBLICAÇÕES RECENTES
img




img

img
img
img
CASAS img LOTES img FAZENDAS
img
CHÁCARAS img PRÉDIOS COMERCIAIS img GALPÕES
img
RSS  Dicas de Leitura Dicas de leitura
img
Ao questionar Paulo Freire, Ronai Rocha analisa alguns dos paradigmas mais arraigados na nossa educação. A crise na educação brasileira é inegável. A baixa qualidade das aprendizagens, a estagnação do desempenho escolar nos testes padronizados, a pouca...
Mais de quinze anos depois do lançamento de As aventuras de Pi, Yann Martel retoma ao cenário literário com o romance As altas montanhas de Portugal, publicado no Brasil pelo selo Tordesilhas. Nesse livro, Martel mantém o estilo inventivo e...
Com os filhos pequenos à sua volta, Graça Ramos fazia a brincadeira das palavras para estimulá-los a construir um vocabulário rico. “Saía muito disparate”, ela se diverte ao lembrar. Ainda grávida, lia em voz alta para que os bebês em...
img
img
RSS  Top Vídeos Top Vídeos
img
Thumbnail
img
img
img
RSS  Classificados Classificados
img



img
img



RSS GOOGLE + YOUTUBE TWITTER FACEBOOK