Assim como o Brasil, na Bahia a proliferação de Covid-19 não declina
15/05/2021 12:33 - Editoria

Foto: Internet/Google/Divulgação

Apenas nos quatros meses desde ano, a Bahia
já teve mais de 102% baianos mortos e cerca de 82% de
casos de infecção pela Covid-19 confirmados
durante o ano inteiro do ano passado

Rememorando a situação epidemiológicas da Bahia, o estado confirmou seu primeiro caso de infecção pela Covid-19 no dia 06/03 do ano passado. Dias depois (29), do mesmo mês, anunciou a primeira vítima fatal da doença. Daí em diante os números de infectados e de mortes só aumentaram diariamente com o agravamento da doença no estado.

Em fevereiro deste ano, logo quando o estado começou a vacinação contra a Covid-19 dos baianos, os números de casos e de mortes da doença começaram a crescer. Foi quando que no dia 19 do mesmo mês, o governo colocou em vigor o toque de recolher no período noturno, atualmente de 20h às 5h do dia seguinte, desde então tem sido prorrogado e, pelo visto, tende a se estender ainda mais. Já que até então, a medida parece não ter surtindo o efeito desejado que seria conter a disseminação da pandemia no estado. É o que demonstra a veracidade dos dados, no dia de seu início (19/02), a Bahia registrou 4.140 novos infectados e 65 mortes pela doença. Desde então, os dados não têm tido distinção relevante dos anunciados até então. Hoje, dia 30 de abril, o estado registrou 3.568 novos casos e 86 óbitos pela doença. Com isso, os números da doença deixam evidente que depois de mais de dois meses ainda não tendem a declinar.

Outra situação preocupante é quando se equipara os dados estaduais da doença registrados em 2020 com os quatro meses deste ano (2021), conforme publicados nos boletins epidemiológico diários e notícias da Secretaria Estadual de Saúde (SESAB) sobre a progressão da Covid19 no estado confirma sucessivas altas nos números de mortes e casos de infecção pela doença, desde o começo do ano.

No final de 2020, dia 31/12, o boletim da Secretaria Estadual de Saúde (SESAB), contabilizava 493.400 casos de infecção, destes 9.129 baiano perderam a vida devido as causas da doença. No dia de hoje (30/04) de 2021, quatro meses depois, o estado chega ao montante de 900.841 pessoas infectadas e 18.477 mortos em função da doença pandêmica. O que nos leva a uma análise comparativa dos dados estaduais da doença de que não foram muito distantes dos nacionais equiparados a todo o ano de 2020. É lamentável, a Bahia teve um relevante acréscimo de 9.348 (102,39%) mortes e de 407.441 (82,57%) novos casos de contaminação pelo vírus pandêmico.

Atualizando... No dia de ontem, somente nesses 14 dias de maio, a Bahia registrou 43.883 casos de infecção e 1.262 baianos perderam a vida. O que demonstra que as medidas preventivas do governo estadual não têm tido resultados relevantes já que no estado as notificações diárias dos números de Covid-19 são alarmantes.

Por Tenório de Sousa/Da Redação
https://www.novoeste.com/index.php?page=destaque&op=readNews&id=53270&title=Assim-como-o-Brasil-na-Bahia-a-prolifera%C3%A7%C3%A3o-de-Covid-19-n%C3%A3o-declina