Novoeste on-line - Onde o Oeste da Bahia é Notícia
> Principal > Artigos > Pauta Livre > As incertezas desse 7 de setembro
 
As incertezas desse 7 de setembro
06/09/2021 as 16:31 h  Autor Tenente Dirceu Cardoso Gon&cce  Imprimir Imprimir
Afora a celebração de caráter histórico – o 199º aniversário da Independência – viveremos nesse 7 de setembro a preocupação com o equilíbrio institucional. A querela entre Executivo e Judiciário, protagonizada pelo presidente da República e ministros do Supremo Tribunal Federal, e a omissão do Legislativo (Senado e Câmara Federal) na prerrogativa de decidir sobre os pedidos de afastamento formulados tanto para o presidente quanto aos ministros do Judiciário, conduz a Nação a um mar de incertezas. Seriam bravatas os “ultimatos” de Jair Bolsonaro a ministros da corte superior; o que representam os procedimentos radicais e invasivos do STF sobre a área de atribuições do Executivo e do Legislativo? E as prisões incomuns de políticos e militant es que o STF vem decretando por conta própria e atuando como investigador, acusador e julgador, como terminarão? E as atitudes de ministros contra o governo?
 
O único 7 de setembro diferenciado dos demais – apenas históricos – foi o de 1961, quando o vice-presidente João Goulart assumiu o governo depois da renúncia do presidente Jânio Quadros. Nos demais, tivemos apenas a homenagem ao feito de D. Pedro I e o proselitismo em torno da independência do país no conjunto das nações. Mas hoje existem as narrativas mais estapafúrdias. Discute-se ao mesmo tempo a possibilidade e a impossibilidade de um golpe militar como os já havidos no passado republicano, especula-se sobre o futuro dos ministros, questiona-se a atuação da suprema corte e sua denunciada atuação contra Bolsonaro e favorável ao ex-presidente Lula, entre outras divergências.
 
As narrativas, intransigências e impropriedades vêm em larga escala desde o impeachment de Dilma Russeff e da derrocada do Partido dos Trabalhadores nas urnas de 2018. O clima pesado do período eleitoral não cessou mesmo depois de conhecidos os resultados e empossados os eleitos. E a sociedade paga o preço da instabilidade. O espírito belicoso se faz presente na militância – hoje polarizada entre direita e esquerda – e polui até os chefes e altos integrantes dos poderes que, tendo a obrigação de mantê-los, jamais deveriam radicalizar e polemizar.
 
As expectativas de hoje vão da possibilidade ou não de as Forças Armadas darem o golpe – fechar o STF, o Parlamento e o presidente da República – para começar tudo de novo. Não é crível que vamos chegar a tanto e nem que em função do que acontecer nas ruas haja alteração institucional. Poderão, no máximo, alguns contendores saírem fortalecidos e outros enfraquecidos e essa nova relação de forças levar a um acordo onde cessem as contendas. Só isso já seria uma boa solução para o país.  Lembremos, no entanto, que ninguém sabe ao certo o tamanho do cacife que cada um dos briguentos institucionais carrega em suas costas. Torcemos para que não seja o suficiente para encarar a solução de força, que n&a tilde;o interessa a nenhum de nós brasileiros.
 
O clima político tenso leva, inclusive, ao impasse sobre a participação de policiais militares nas comemorações da Independência. Elas serão bolsonaristas na visão dos opositores ao presidente e cívicas na opinião presidencial. O presidente chama a classe para comparecer invocando o direito de cidadão. Governadores e outros opositores invocam os regulamentos militares que vedam a participação da tropa em eventos políticos e reivindicatórios. Nas tropas estaduais existem tanto os que querem como os que não pretendem ir às manifestações. O bom é que todos pensem bem antes de decidir e façam o que lhes parecer melhor. Se comparecer, exerce a cidadania mas pode ser atingido pelo regulamento disciplinar. Sejamos conscientes do  melhor a essa altura dos acontecimentos...
 



Por Tenente Dirceu Cardoso Gonçalves - dirigente da ASPOMIL (Associação de Assist. Social dos Policiais Militares de São Paulo) - aspomilpm@terra.com.br         
 

Comente via Facebook
Mais Artigos
No h comentrios.
img
img
RSS  Artigos Artigos

Embora pensada para se opor à polarização entre direita e esquerda nas eleições presidenciais, a candidatura de terceira via, se ocorrer, favorecerá Lula e atrapalhará Bolsonaro. Por natureza, o eleitorado de esquerda comparece incondicionalmente às urnas e vota no candidato da tendência, mesmo...
Em evento de filiação ao Podemos e com discurso político, Sérgio Moro traz à tona sentimentos e projeções variadas acerca de seus objetivos políticos. Símbolo maior da Operação Lava Jato quando juiz, superministro do Governo Bolsonaro, trabalhador da iniciativa privada nos EUA, enfim, uma trajetória já assaz atribulada nos últimos anos e, agora, uma pré-candidatura, ao que tudo indica para a Presidência, em 2022, mas não...
O partido que desfralda a bandeira da socialdemocracia e adota um tucano como símbolo, o PSDB, está em frangalhos. Quando foi criado em 1988 era a esperança de o país pela trilha de uma nova política, amparada no conceito do Estado comprometido com o bem estar social e aberto aos...
O cipoal de leis que restringe a liberdade individual deve ser censurado. Característica principal dos sistemas socialistas anacrônicos e até mesmos dos híbridos, a hegemonia de leis que restringe a liberdade individual vem contaminando o progresso geral. A liberdade é instrumento de construção e de evolução meteórica mais consistente dentro dos sistemas viáveis de construção da sociedade humana. Os dois caminhos experimentados pelas...
A Caridade é o centro gravitacional da consciência ideológica, portanto, educacional, política, social, filosófica, científica, religiosa, artística, esportiva, doméstica e pública do Cidadão Espiritual. Desse modo, se o ser humano não tiver compreensão dela, deve esforçar-se para entendê-la, a fim de...
img
img
img
PUBLICAÇÕES RECENTES
img




img



img
img
img
CASAS img LOTES img FAZENDAS
img
CHÁCARAS img PRÉDIOS COMERCIAIS img GALPÕES
img
RSS  Dicas de Leitura Dicas de leitura
img
Ambientado em uma comunidade japonesa de São Paulo, lançamento ficcional da escritora Juliana Marinho promove o poder da música como intervenção para cura de doenças. A musicoterapia, união da arte e saúde em busca da reabilitação ou promoção do bem-estar, é a responsável...
Por meio da personagem Malu, as escritoras e letrólogas paulistas Nanda Mateus e Raphaela Comisso dialogam com as crianças sobre diversidade familiar e desmistificam a homoparentalidade. Nanda Mateus trabalha com educação e inovação em tecnologias para...
Existem músicas para os momentos felizes, tristes e até aquelas que marcam datas especiais, mas para Melody King é diferente: as canções são uma consequência — infelizmente incontrolável — de uma rara doença. As dificuldades em lidar com as embaraçosas situações,...
img
img
RSS  Top Vdeos Top Vídeos
img
Thumbnail
img
img
img
RSS  Classificados Classificados
img
img
img



RSS GOOGLE + YOUTUBE TWITTER FACEBOOK