Novoeste on-line - Onde o Oeste da Bahia é Notícia
> Principal > Artigos > Pauta Livre > Presidencialismo falido
 
Presidencialismo falido
16/05/2021 as 11:06 h  Autor Márcio Coimbra  Imprimir Imprimir
Depois de dois impeachments, tudo indica que o modelo de presidencialismo brasileiro apresenta sérios sinais de fadiga. Os movimentos dúbios de Jair Bolsonaro, que colocam em xeque seu comprometimento com a democracia, acenderam um sinal de alerta. Não estamos falando apenas de um desgaste do presidencialismo de coalizão, mas de um questionamento do modelo presidencialista em si, que atrasa e desgasta o país.

Das mais importantes democracias conhecidas, somente os Estados Unidos foram capazes de transformar o presidencialismo em um sistema saudável e capaz de gerar governos estáveis. Na Europa, Canadá, Austrália, Nova Zelândia, Israel e incontáveis outros países a decisão foi optar pelo parlamentarismo, um sistema que apesar das falhas consegue entregar democracias mais firmes e burocracias capazes de gerar políticas públicas e modelos de desenvolvimento mais estáveis.

Na América Latina, o Brasil seguiu o fluxo de seus vizinhos, optando pelo sistema presidencial. Refém de um modelo anacrônico, a região viveu uma sucessão de golpes e revoluções ao longo de sua história, atrasando seu desenvolvimento e a sedimentação de democracias estáveis e perenes. Variando entre guinadas para a direita ou esquerda, a região jamais encontrou um caminho de desenvolvimento permanente.

A necessidade constante de mudanças, oposições ferrenhas, nem sempre democráticas, que costumam golpear abaixo da linha da cintura, usando as Forças Armadas como instrumento de manutenção no poder, jogou a América Latina em aventuras pouco inspiradoras. A democracia sempre foi a principal vítima dos salvadores da pátria que vendiam soluções fáceis para a região, que se tornou paraíso para autocracias.

O Brasil não ficou de fora desta realidade e por mais que o presidencialismo seja um instrumento falido e ultrapassado, ainda é enxergado como uma alternativa viável de redução de nossas mazelas. Pobre país que busca um salvador a cada quatro anos e ao cometer um erro de avaliação precisa seguir em martírio até o próximo ciclo eleitoral. O presidencialismo brasileiro se tornou compra de agonia à prazo.

O impeachment, por mais que seja instrumento legítimo e constitucional, é processo demorado e doloroso, que gera fissuras no tecido institucional. Os mecanismos de defesa do Estado precisam ser capazes de entregar, de forma constitucional, soluções mais rápidas e efetivas contra governantes ineptos, incapazes ou temerários. O parlamentarismo entrega estas respostas, de forma legítima, estável e constitucional, aumentando a responsabilidade do eleitor e capaz de reorganizar o sistema quando entra em colapso.

Nenhum país pode ser refém da gestão temerária de um governo, especialmente em tempos de emergência, como este que vivemos, ou de colapso econômico por simples incapacidade de gestão, como já vimos no passado. O Estado brasileiro precisa se tornar mais leve, moderno e ágil, capaz de entregar respostas para a população e reciclar-se cada vez que se mostra incapaz de agir. A falência de nosso presidencialismo talvez seja uma de nossas piores mazelas institucionais.

Por Márcio Coimbra é coordenador da pós-graduação em Relações Institucionais e Governamentais da Faculdade Presbiteriana Mackenzie Brasília, Cientista Político, mestre em Ação Política pela Universidad Rey Juan Carlos (2007). Ex-Diretor da Apex-Brasil. Diretor-Executivo do Interlegis no Senado Federal

Comente via Facebook
Mais Artigos
No h comentrios.
img
img
RSS  Artigos Artigos

Embora pensada para se opor à polarização entre direita e esquerda nas eleições presidenciais, a candidatura de terceira via, se ocorrer, favorecerá Lula e atrapalhará Bolsonaro. Por natureza, o eleitorado de esquerda comparece incondicionalmente às urnas e vota no candidato da tendência, mesmo...
Em evento de filiação ao Podemos e com discurso político, Sérgio Moro traz à tona sentimentos e projeções variadas acerca de seus objetivos políticos. Símbolo maior da Operação Lava Jato quando juiz, superministro do Governo Bolsonaro, trabalhador da iniciativa privada nos EUA, enfim, uma trajetória já assaz atribulada nos últimos anos e, agora, uma pré-candidatura, ao que tudo indica para a Presidência, em 2022, mas não...
O partido que desfralda a bandeira da socialdemocracia e adota um tucano como símbolo, o PSDB, está em frangalhos. Quando foi criado em 1988 era a esperança de o país pela trilha de uma nova política, amparada no conceito do Estado comprometido com o bem estar social e aberto aos...
O cipoal de leis que restringe a liberdade individual deve ser censurado. Característica principal dos sistemas socialistas anacrônicos e até mesmos dos híbridos, a hegemonia de leis que restringe a liberdade individual vem contaminando o progresso geral. A liberdade é instrumento de construção e de evolução meteórica mais consistente dentro dos sistemas viáveis de construção da sociedade humana. Os dois caminhos experimentados pelas...
A Caridade é o centro gravitacional da consciência ideológica, portanto, educacional, política, social, filosófica, científica, religiosa, artística, esportiva, doméstica e pública do Cidadão Espiritual. Desse modo, se o ser humano não tiver compreensão dela, deve esforçar-se para entendê-la, a fim de...
img
img
img
PUBLICAÇÕES RECENTES
img




img



img
img
img
CASAS img LOTES img FAZENDAS
img
CHÁCARAS img PRÉDIOS COMERCIAIS img GALPÕES
img
RSS  Dicas de Leitura Dicas de leitura
img
Ambientado em uma comunidade japonesa de São Paulo, lançamento ficcional da escritora Juliana Marinho promove o poder da música como intervenção para cura de doenças. A musicoterapia, união da arte e saúde em busca da reabilitação ou promoção do bem-estar, é a responsável...
Por meio da personagem Malu, as escritoras e letrólogas paulistas Nanda Mateus e Raphaela Comisso dialogam com as crianças sobre diversidade familiar e desmistificam a homoparentalidade. Nanda Mateus trabalha com educação e inovação em tecnologias para...
Existem músicas para os momentos felizes, tristes e até aquelas que marcam datas especiais, mas para Melody King é diferente: as canções são uma consequência — infelizmente incontrolável — de uma rara doença. As dificuldades em lidar com as embaraçosas situações,...
img
img
RSS  Top Vdeos Top Vídeos
img
Thumbnail
img
img
img
RSS  Classificados Classificados
img
img
img



RSS GOOGLE + YOUTUBE TWITTER FACEBOOK