Novoeste on-line - Onde o Oeste da Bahia é Notícia
> Principal > Artigos > Pauta Livre > Reflexões de fim de ano
 
Reflexões de fim de ano
31/12/2020 as 12:57 h  Autor Marihá Lopes  Imprimir Imprimir
Chega, 2020! Já deu!  
   
Que ano, meus amigos! Que ano! Começamos 2020 com muitas alegrias, carnaval chegando para a animação de todos e, de um dia para o outro, entramos em quarentena. Tudo fechado e a necessidade de nos mantermos reclusos para diminuir a propagação do novo coronavírus. O que ouvíamos foi diferente do que acabou sendo: a quarentena de 15 dias passou para mais de 40 e extrapolou todos os limites.  
   
Limite, do dicionário: momento, espaço de tempo que determina uma duração ou que separa duas durações. Em 2020, ultrapassamos todos os limites. Na área da saúde mental, o que se viu foi uma explosão de casos de ansiedade, depressão e transtorno de estresse pós-traumático provenientes do que foi vivido ao longo da quarentena imposta pela pandemia. Momentos de luta e de luto.   
   
A ideia deste texto não é trazer dicas de como diminuir os sintomas de ansiedade ou da depressão. Já lemos sobre isso durante todo o ano. A proposta é focar no que ainda deu certo esse ano, como uma tentativa de impor esse limite e colaborar para que possamos ver e viver também as coisas boas realizadas. Nesses momentos é comum usarmos uns “óculos escuros” onde tudo o que podemos ver à nossa frente está totalmente distorcido ou passando despercebido. Tentarmos perceber o que ainda tem de bom ao nosso redor nos ajuda a tirar um pouco esses “óculos”. Apesar de termos recebido enxurradas de notícias ruins, tivemos muitas coisas boas e humanas feitas.   
   
Muitas coisas foram modificadas ao longo desses últimos meses. Tivemos relatos de fortalecimento de vínculos pessoais e inovações pensadas para diminuir os impactos vividos por todos nós durante a pandemia. Observamos o quanto o ser humano consegue se reinventar, apesar de toda dor, para ajudar quem mais precisa. Em meio a um misto de emoções com notícias trazendo números crescentes da doença, vimos pessoas que conseguiram elaborar projetos e ações para diminuir o seu impacto na vida de muitas outras pessoas.   
   
Apesar de toda dor, o homem ainda conseguiu impor esse limite, separando o desespero vindo com o vírus do que ainda há de bom nos seres humanos: companheirismo, ajuda humanitária e contribuições sociais.  Imponha esse limite, tire esses “óculos escuros” e tente perceber o que de positivo foi feito próximo a você.  
 
Por Marihá Lopes é psicóloga clínica, especialista em terapia cognitiva comportamental e psicologia social.

Comente via Facebook
Mais Artigos
No h comentrios.
img
img
RSS  Artigos Artigos

O escritor foi e ainda é, para as crianças que estão começando a descortinar o infinito horizonte da palavra, algo inatingível, meio mágico, talvez mítico.Isso, dito por elas mesmas. A criança é naturalmente curiosa, sedenta de conhecimento e experiência, e ficar cara a cara com...
Na civilização humana, em todos os tempos as gesticulações passaram a simbolizar determinados comportamentos e construir significados diversos para cada sociedade e para cada povo. Gestos humanos servem tanto para simbolizar comportamentos positivos, bem como...
https://www.novoeste.com/uploads/image/artigos_gaudencio-torquato_jornalista-professor-usp-consultor-politico.jpgHoje, tomo a liberdade de fazer uma reflexão sobre a vida. Valho-me, inicialmente, de Sêneca com seu puxão de orelhas: “somos gerados para uma curta existência.  A vida é breve e a arte é longa. Está errado. Não dispomos de pouco tempo, mas desperdiçamos muito. A vida é longa...
A presidenta do Instituto Justiça Fiscal aponta o falso dilema para a escolha eleitoral de 2022 e indica as fontes de custeio para vencer o quadro desolador de fragilidade da maioria do povo brasileiro. A próxima eleição, se ocorrer, certamente exigirá muito de nós. Mas não será uma escolha difícil. Para começar, terceira via não existe! Ou melhor: existe, em Bolsonaro. Este, que pode parecer insano, sádico, intratável, joga o jogo e...
A Constituição Cidadã erigiu a dignidade da pessoa humana como seu fundamento, ao lado da soberania, cidadania, valores sociais do trabalho e da livre iniciativa e o pluralismo político. Trata-se, portanto, de um dos pilares que legitimam o Estado Social e Democrático que fundou....
img
img
img
PUBLICAÇÕES RECENTES
img




img



img
img
img
CASAS img LOTES img FAZENDAS
img
CHÁCARAS img PRÉDIOS COMERCIAIS img GALPÕES
img
RSS  Dicas de Leitura Dicas de leitura
img
Ambientado em uma comunidade japonesa de São Paulo, lançamento ficcional da escritora Juliana Marinho promove o poder da música como intervenção para cura de doenças. A musicoterapia, união da arte e saúde em busca da reabilitação ou promoção do bem-estar, é a responsável...
Por meio da personagem Malu, as escritoras e letrólogas paulistas Nanda Mateus e Raphaela Comisso dialogam com as crianças sobre diversidade familiar e desmistificam a homoparentalidade. Nanda Mateus trabalha com educação e inovação em tecnologias para...
Existem músicas para os momentos felizes, tristes e até aquelas que marcam datas especiais, mas para Melody King é diferente: as canções são uma consequência — infelizmente incontrolável — de uma rara doença. As dificuldades em lidar com as embaraçosas situações,...
img
img
RSS  Top Vdeos Top Vídeos
img
Thumbnail
img
img
img
RSS  Classificados Classificados
img
img
img



RSS GOOGLE + YOUTUBE TWITTER FACEBOOK