Novoeste on-line - Onde o Oeste da Bahia é Notícia
> Principal > Artigos > Pauta Livre > Natal, Ano Novo e vacina
 
Natal, Ano Novo e vacina
18/12/2020 as 11:40 h  Autor Tenente Dirceu Cardoso Gon&cce  Imprimir Imprimir
Faltando apenas alguns dias para Natal e Ano Novo, seguramente as datas mais comemoradas no mundo ocidental, a grande preocupação é encontrar o formato ideal para as festas nesses incômodos tempos de pandemia, Os governantes, que já nos trancaram em casa por meses, querem voltar a fazer o mesmo. A alta nos casos de infecção e morte já levou a decretos com novas restrições, um deles estabelecendo o discutível toque de recolher. Mas verifica-se que a população, especialmente os jovens, está relutante e parte para a desobediência civil, com festas e outros tipos de desafiadoras aglomerações. Comerciantes que esperavam a volta à normalidade vêem seus negócios retornando à faixa do prejuízo com o risco de se tornarem inviáveis.

É preciso compreender que, diferente do ocorrido na chegada da pandemia onde, erroneamente se colocou medo e terror na população diante do desconhecido, temos hoje o esperançoso quadro proporcionado pela vacina que, em semanas, estará disponível à nossa população. Diferente do que fizeram no começo, os governantes só devem agora cumprir com suas obrigações de oferecer meios para a compra e distribuição das doses. E não precisam inovar porque o país possui tradicionalmente a estrutura de vacinação do povo. A distribuição e aplicação de vacinas é uma das coisas que o SUS (Sistema Único de Saúde) faz com mais competência e envolve seus três níveis: federal, estadual e municipal. Basta injetar os recursos para o sist ema funcionar e não há a necessidade de providências e nem protagonismo do presidente da República, do governador, do prefeito e nem do Supremo Tribunal Federal. É melhor que cumpram suas obrigações e fique fora da execução, para não atrapalhar.

Quanto ao povo, basta, com esperança e alegria, esperar por mais algum tempo, até que a vacina – que será aplicada em duas doses com intervalo de 20 dias – comece a fazer efeito e diminua a proliferação do vírus. Quando isso acontecer, a vida terá voltado ao normal. E felizmente a Covid-19 será apenas mais uma epidemia na crônica da sociedade, ficando depositada na mesma prateleira da Gripe Espanhola, Gripe Asiática e outras que nos acometeram ao longo do último século. Suas vítimas serão sempre lembradas e registradas juntamente com as das demais epidemias e pandemias.

Temos, no entanto, de admitir que nesse Natal e Ano Novo ainda viveremos o quadro atual, que é de risco. Os governantes devem se conter e evitar imposições que poderão levar o povo à desobediência civil. E o povo precisa ter um pouco de paciência e evitar procedimentos que nessa reta final facilitem a transmissão do vírus. Usar máscara, álcool gel, lavar as mãos, evitar aglomerações e reuniões em locais fechados. Para as festas familiares, fazer apenas pequenas reuniões onde, observadas as normas de segurança, só se traga as pessoas que no dia-a-dia já circulam pela casa. Os demais, que vemos apenas uma vez ao ano, que esperem por mais um ano, quando tudo deverá ter votado ao normal.

O fim da pandemia é questão de tempo. Temos de nos cuidar nesse pequeno intervalo. Natal e Ano Novo comedidos, da mesma forma que o Carnaval sem desfiles e bailes. Mas logo teremos de volta a nossa vida normal. Tudo graças à Ciência que, em tempo record, desenvolveu as vacinas e com elas suplanta a volúpia dos interesses políticos e dos arautos do caos que, com seus procedimentos, fazem o povo sofrer. A vacina é a luz que já vemos no fundo do túnel que, pacientemente, vamos alcançar... Aleluia...
 


Por Tenente Dirceu Cardoso Gonçalves - dirigente da ASPOMIL (Associação de Assist. Social dos Policiais Militares de São Paulo) - aspomilpm@terra.com.br

Comente via Facebook
Mais Artigos
No h comentrios.
img
img
RSS  Artigos Artigos

Embora pensada para se opor à polarização entre direita e esquerda nas eleições presidenciais, a candidatura de terceira via, se ocorrer, favorecerá Lula e atrapalhará Bolsonaro. Por natureza, o eleitorado de esquerda comparece incondicionalmente às urnas e vota no candidato da tendência, mesmo...
Em evento de filiação ao Podemos e com discurso político, Sérgio Moro traz à tona sentimentos e projeções variadas acerca de seus objetivos políticos. Símbolo maior da Operação Lava Jato quando juiz, superministro do Governo Bolsonaro, trabalhador da iniciativa privada nos EUA, enfim, uma trajetória já assaz atribulada nos últimos anos e, agora, uma pré-candidatura, ao que tudo indica para a Presidência, em 2022, mas não...
O partido que desfralda a bandeira da socialdemocracia e adota um tucano como símbolo, o PSDB, está em frangalhos. Quando foi criado em 1988 era a esperança de o país pela trilha de uma nova política, amparada no conceito do Estado comprometido com o bem estar social e aberto aos...
O cipoal de leis que restringe a liberdade individual deve ser censurado. Característica principal dos sistemas socialistas anacrônicos e até mesmos dos híbridos, a hegemonia de leis que restringe a liberdade individual vem contaminando o progresso geral. A liberdade é instrumento de construção e de evolução meteórica mais consistente dentro dos sistemas viáveis de construção da sociedade humana. Os dois caminhos experimentados pelas...
A Caridade é o centro gravitacional da consciência ideológica, portanto, educacional, política, social, filosófica, científica, religiosa, artística, esportiva, doméstica e pública do Cidadão Espiritual. Desse modo, se o ser humano não tiver compreensão dela, deve esforçar-se para entendê-la, a fim de...
img
img
img
PUBLICAÇÕES RECENTES
img




img



img
img
img
CASAS img LOTES img FAZENDAS
img
CHÁCARAS img PRÉDIOS COMERCIAIS img GALPÕES
img
RSS  Dicas de Leitura Dicas de leitura
img
Ambientado em uma comunidade japonesa de São Paulo, lançamento ficcional da escritora Juliana Marinho promove o poder da música como intervenção para cura de doenças. A musicoterapia, união da arte e saúde em busca da reabilitação ou promoção do bem-estar, é a responsável...
Por meio da personagem Malu, as escritoras e letrólogas paulistas Nanda Mateus e Raphaela Comisso dialogam com as crianças sobre diversidade familiar e desmistificam a homoparentalidade. Nanda Mateus trabalha com educação e inovação em tecnologias para...
Existem músicas para os momentos felizes, tristes e até aquelas que marcam datas especiais, mas para Melody King é diferente: as canções são uma consequência — infelizmente incontrolável — de uma rara doença. As dificuldades em lidar com as embaraçosas situações,...
img
img
RSS  Top Vdeos Top Vídeos
img
Thumbnail
img
img
img
RSS  Classificados Classificados
img
img
img



RSS GOOGLE + YOUTUBE TWITTER FACEBOOK