Novoeste on-line - Onde o Oeste da Bahia é Notícia
> Principal > Artigos > Pauta Livre > Urnas revelam a autonomia do eleitor
 
Urnas revelam a autonomia do eleitor
16/11/2020 as 17:01 h  Autor Tenente Dirceu Cardoso Gon&cce  Imprimir Imprimir
Abertas as urnas, ficou claro que o povo rejeita a tutela. Tanto que dos 59 candidatos para quem o presidente Jair Bolsonaro fez campanha, apenas nove se elegeram. Em São Paulo, inclusive na capital, verifica-se que os candidatos melhor sucedidos são aqueles que se descolaram do governador João Dória e de outras ditas lideranças, mesmo as do próprio partido. como Bruno Covas, que escondeu na campanha a parceria com o governador, de quem em 2016 elegeu-se como vice-prefeito. O apoio de Lula, também, passou a ser rejeitado por candidatos. Só algumas capitais e principais cidades com mais de 200 mil eleitores conseguiram eleger o prefeito em primeiro turno, exemplos de Curitiba (PR) e Belo Horizonte (MG). O Partido dos Trabalhadores apenas externou sua má fase, o que não quer dizer que as esquerdas estejam liquidadas, pois foram ao segundo turno em Porto Alegre e São Paulo, dois redutos conservadores.

A eleição diferente, disputada dentro das limitações sanitárias do coronavirus e sob o reflexo da derrocada petista, do bolsonarismo radical e das polêmicas que dividiram o presidente, governadores e prefeitos, tende a nos legar um Brasil mais consistente e resultante da vontade popular. Até porque é difícil encontrar grandes vitoriosos entre as lideranças – presidente, governadores e outras – e nos próprios partidos. Registra-se o avanço das forças de centro (o dito “Centrão”) que, como o rótulo define, não são de esquerda nem de direita. As extremas, se pensarem bem e quiserem manter alguma competitividade, terão de rever seus conceitos e procedimentos. E o mais interessante: o que restar dessa eleição, onde escolhemos prefeitos, vice-prefeitos e vereadores, poderá dar o tom das disputas de 2022, quando estarão em jogo a presidência da República, os governos estaduais, Senado, Câmara dos Deputados e Assembléias Estaduais.

Independente do que já fizeram os que passaram para o segundo turno, é certo que a população votante dá, nessa eleição, exemplo maior de vontade própria do que nas anteriores, onde havia o clima polarizado. No caso de São Paulo, por certo, quem levou Bruno Covas para a nova fase eleitoral não devem ser aqueles que enfrentaram o seu discutível rigor no trato da pandemia. Da mesma forma, os que sufragaram Boulos não o devem ter feito pelas suas atitudes de promover a invasão de propriedade no discutível movimento dos sem teto. É bom que todos os sobreviventes para essa nova fase compreendam que ela é uma nova eleição onde todas as tendências farão pêndulo e definirão o vencedor. Tende a ganhar quem conseguir constituir uma linha de propostas que sejam factíveis e contemplem os interesses da maioria da população. Lembremos que, o povo, como massa, não é radical. Quando radicaliza o faz movido por algum apelo emocional de momento ou por sentir-se ameaçado.

Num primeiro instante e ainda sob o impacto dos resultados Brasil afora, concluir-se que o sofrimento da pandemia e as desilusões políticas dos últimos anos levaram o eleitor a tornar-se mais independente, menos exposto ao proselitismo ideológico e voltado às próprias opiniões e interesses. Oxalá essa tendência se firme nos desvie da marcha rumo ao precipício que a irresponsabilidade política das últimas décadas nos ofereceu como alternativa. Só com o eleitorado consciente essa Nação poderá evoluir e encontrar a paz e a justiça social que todos desejamos...  
 



Por Tenente Dirceu Cardoso Gonçalves - dirigente da ASPOMIL (Associação de Assist. Social dos Policiais Militares de São Paulo) - aspomilpm@terra.com.br

Comente via Facebook
Mais Artigos
No h comentrios.
img
img
RSS  Artigos Artigos

O escritor foi e ainda é, para as crianças que estão começando a descortinar o infinito horizonte da palavra, algo inatingível, meio mágico, talvez mítico.Isso, dito por elas mesmas. A criança é naturalmente curiosa, sedenta de conhecimento e experiência, e ficar cara a cara com...
Na civilização humana, em todos os tempos as gesticulações passaram a simbolizar determinados comportamentos e construir significados diversos para cada sociedade e para cada povo. Gestos humanos servem tanto para simbolizar comportamentos positivos, bem como...
https://www.novoeste.com/uploads/image/artigos_gaudencio-torquato_jornalista-professor-usp-consultor-politico.jpgHoje, tomo a liberdade de fazer uma reflexão sobre a vida. Valho-me, inicialmente, de Sêneca com seu puxão de orelhas: “somos gerados para uma curta existência.  A vida é breve e a arte é longa. Está errado. Não dispomos de pouco tempo, mas desperdiçamos muito. A vida é longa...
A presidenta do Instituto Justiça Fiscal aponta o falso dilema para a escolha eleitoral de 2022 e indica as fontes de custeio para vencer o quadro desolador de fragilidade da maioria do povo brasileiro. A próxima eleição, se ocorrer, certamente exigirá muito de nós. Mas não será uma escolha difícil. Para começar, terceira via não existe! Ou melhor: existe, em Bolsonaro. Este, que pode parecer insano, sádico, intratável, joga o jogo e...
A Constituição Cidadã erigiu a dignidade da pessoa humana como seu fundamento, ao lado da soberania, cidadania, valores sociais do trabalho e da livre iniciativa e o pluralismo político. Trata-se, portanto, de um dos pilares que legitimam o Estado Social e Democrático que fundou....
img
img
img
PUBLICAÇÕES RECENTES
img




img



img
img
img
CASAS img LOTES img FAZENDAS
img
CHÁCARAS img PRÉDIOS COMERCIAIS img GALPÕES
img
RSS  Dicas de Leitura Dicas de leitura
img
Ambientado em uma comunidade japonesa de São Paulo, lançamento ficcional da escritora Juliana Marinho promove o poder da música como intervenção para cura de doenças. A musicoterapia, união da arte e saúde em busca da reabilitação ou promoção do bem-estar, é a responsável...
Por meio da personagem Malu, as escritoras e letrólogas paulistas Nanda Mateus e Raphaela Comisso dialogam com as crianças sobre diversidade familiar e desmistificam a homoparentalidade. Nanda Mateus trabalha com educação e inovação em tecnologias para...
Existem músicas para os momentos felizes, tristes e até aquelas que marcam datas especiais, mas para Melody King é diferente: as canções são uma consequência — infelizmente incontrolável — de uma rara doença. As dificuldades em lidar com as embaraçosas situações,...
img
img
RSS  Top Vdeos Top Vídeos
img
Thumbnail
img
img
img
RSS  Classificados Classificados
img
img
img



RSS GOOGLE + YOUTUBE TWITTER FACEBOOK