Novoeste on-line - Onde o Oeste da Bahia é Notícia
> Principal > Artigos > Pauta Livre > Minhas teorias são confirmadas pelas urnas
 
Minhas teorias são confirmadas pelas urnas
16/11/2020 as 16:51 h  Autor Juarez Alvarenga  Imprimir Imprimir
O novo que chegou com vigor ainda não acabou de nascer e o velho não morreu de todo.” Gramsci

O comodismo social torna a engenharia política repetitiva. A sociedade, até então, parecia, um fato consumado em classes estanques e imutáveis. A estrutura do poder delineava em perfil retumbante e personificado. Em analises sociológicas intuitivas, percebemos um novo e embrionário fenômeno social, a ascensão gradativa, serena e quase imperceptível da burguesia comercial e outros setores similares. Hoje, estas classes despontam do anonimato, para evidencia social. E será sem dúvida, as vedetes deste início de século.

Neste período transacional, cuja fertilidade social nasce com consistência de uma nova classe e enterra, quinhentos anos, de predomínio da oligarquia rural, encontramos na entressafra de estrutura arcaica para uma estrutura moderna.

Os comerciantes burgueses têm que conscientizarem, que a única coisa que acontece da noite para o dia, é o sono, e isto dá em um processo gradativo, que teve início no começo deste século. Isto se deve a decadência paulatina, mas sempre evolutiva, da oligarquia rural.

Existe um vácuo do poder. De um lado, a deterioração da aristocracia rural, de outro, a classe emergente dos comerciantes e outros setores.

Com a degeneração profunda da oligarquia, e a ebulição termométrica dos comerciantes, o poder passa a ter novo perfil, apesar de manter a mesma ideologia. Não queremos criar rivalidades, apenas dizer que a mobilidade social é bastante interessante. Alternâncias criam perspectivas novas e geram sensações também novas. Vendo seu trabalho gerar frutos, se empolgam e prosperam. O status social camuflado pelo brilho da oligarquia rural perde vitalidade reacendendo, com toda potencialidade, a luz clarividente dos novos burgueses. SUBMETENDO AOS FATOS NÃO EXISTE MAIS O STATUS POR NASCIMENTO, O STATUS ATUAL É UMA CONQUISTA E NÃO UMA DÁDIVA, ANTIGAMENTE O HOMEM ERA SOMBRA DE SEUS ANCESTRAIS, HOJE, É PRODUTO DE SUAS CONQUISTAS PERSONIFICADAS. A vida humana é de luta, sofrimento e também vitorias. Como estavam, sem alternâncias classistas, caiam nas frustrações e nas armadilhas existenciais. Os velhos comerciantes podem sustentar que suas lutas não foram em vão. Plantaram para gerações futuras. Acreditar nas alternâncias é flexibilizar o poder e se conscientizarem que o homem deve e pode construir seu destino mudando sua trajetória, desde que trabalhe e não seja extremamente céptico.

O status de berço não tem mais sentido e razão de ser. Hoje, o homem é produto da sua luta e não repousa mais, no passado de seus ancestrais. A ebulição humana contaminou e enterrou o status de nascimento.

Quando a oligarquia rural, hoje existe exceção, ou seja, a mesma não é absolutamente poderosa, pois aqueles que não empobreceram, que é uma raridade, ainda conservam resquícios de poder. Não é a classe que é poderosa são raríssimos indivíduos isolados pertencentes à classe.

O Brasil de alternância é um Brasil de futuro. A vida não é um fato consumado como parecia no passado é hoje uma historia aberta onde escrevemos nosso enredo. E ESTA CONQUISTA QUE PRECISA DE AFIRMAÇÃO DA BURGUESIA COMERCIAL, SERÁ SEM DUVIDAS, O FENÔNEMO SOCIOLOGICO DESTE NOVO MILENIO.

Houve nestas eleições raríssimas vitorias pontual da oligarquia rural e não sistemática e de lavada como antigamente. Por isto não descredencia a veracidade de minhas teorias. Mesmo assim o segundo colocado ficou bem próximo do primeiro. Quando a perda da generosidade comportamental da sociedade em relação à aristocracia rural minhas teorias é de validade absoluta. Para fidelidade de minhas teses é importante ressaltar que a aristocracia rural deixou de ser protagonista principal do quadro eleitoral e passou a ser coadjuvante do processo. Não é mudança de ciclo e sim sacramentação de seu fim de poder que começou com o descobrimento do Brasil nas capitanias hereditárias e perdurou até hoje.

Com fim deste artigo concluímos que quase plenamente é explicito este novo comportamento da sociedade. Privilegiando os novos vencedores e penalizando os antigos. PARECE, QUE FELIZMENTE, A SELETIVIDADE NATURAL VENCEU A TRADIÇÃO REAL.

Alguns resultados isolados dando vitória da aristocracia rural é contingencia natural das mutabilidades do presente.

A generosidade social da sociedade foi totalmente desfeita e alguns membros da aristocracia rural pode até alcançar o poder novamente. Mas terá que reposicionar na fila. Ficando em pé de igualdade com os demais e não extremamente na frente como no passado. Pois a vida moderna não tem donos como antigamente, mas conquistadores.

O mundo está na quinta onda. Coqueiral agora que começa sair da primeira que foi a da terra. Acredito que com as pessoas de vanguarda da localidade podemos acertar o passo desenvolvimentista com os ares da modernidade rapidamente e não quase eternizar num ciclo que durou quinhentos anos.

Por Juarez Alvarenga, advogado e escritor
E-mail: juarezalvarengacru@gmail.com

Comente via Facebook
Mais Artigos
No h comentrios.
img
img
RSS  Artigos Artigos

Embora pensada para se opor à polarização entre direita e esquerda nas eleições presidenciais, a candidatura de terceira via, se ocorrer, favorecerá Lula e atrapalhará Bolsonaro. Por natureza, o eleitorado de esquerda comparece incondicionalmente às urnas e vota no candidato da tendência, mesmo...
Em evento de filiação ao Podemos e com discurso político, Sérgio Moro traz à tona sentimentos e projeções variadas acerca de seus objetivos políticos. Símbolo maior da Operação Lava Jato quando juiz, superministro do Governo Bolsonaro, trabalhador da iniciativa privada nos EUA, enfim, uma trajetória já assaz atribulada nos últimos anos e, agora, uma pré-candidatura, ao que tudo indica para a Presidência, em 2022, mas não...
O partido que desfralda a bandeira da socialdemocracia e adota um tucano como símbolo, o PSDB, está em frangalhos. Quando foi criado em 1988 era a esperança de o país pela trilha de uma nova política, amparada no conceito do Estado comprometido com o bem estar social e aberto aos...
O cipoal de leis que restringe a liberdade individual deve ser censurado. Característica principal dos sistemas socialistas anacrônicos e até mesmos dos híbridos, a hegemonia de leis que restringe a liberdade individual vem contaminando o progresso geral. A liberdade é instrumento de construção e de evolução meteórica mais consistente dentro dos sistemas viáveis de construção da sociedade humana. Os dois caminhos experimentados pelas...
A Caridade é o centro gravitacional da consciência ideológica, portanto, educacional, política, social, filosófica, científica, religiosa, artística, esportiva, doméstica e pública do Cidadão Espiritual. Desse modo, se o ser humano não tiver compreensão dela, deve esforçar-se para entendê-la, a fim de...
img
img
img
PUBLICAÇÕES RECENTES
img




img



img
img
img
CASAS img LOTES img FAZENDAS
img
CHÁCARAS img PRÉDIOS COMERCIAIS img GALPÕES
img
RSS  Dicas de Leitura Dicas de leitura
img
Ambientado em uma comunidade japonesa de São Paulo, lançamento ficcional da escritora Juliana Marinho promove o poder da música como intervenção para cura de doenças. A musicoterapia, união da arte e saúde em busca da reabilitação ou promoção do bem-estar, é a responsável...
Por meio da personagem Malu, as escritoras e letrólogas paulistas Nanda Mateus e Raphaela Comisso dialogam com as crianças sobre diversidade familiar e desmistificam a homoparentalidade. Nanda Mateus trabalha com educação e inovação em tecnologias para...
Existem músicas para os momentos felizes, tristes e até aquelas que marcam datas especiais, mas para Melody King é diferente: as canções são uma consequência — infelizmente incontrolável — de uma rara doença. As dificuldades em lidar com as embaraçosas situações,...
img
img
RSS  Top Vdeos Top Vídeos
img
Thumbnail
img
img
img
RSS  Classificados Classificados
img
img
img



RSS GOOGLE + YOUTUBE TWITTER FACEBOOK