Novoeste on-line - Onde o Oeste da Bahia é Notícia
> Principal > Artigos > Pauta Livre > A hora de eliminar os maus políticos
 
A hora de eliminar os maus políticos
29/09/2020 as 17:33 h  Autor Tenente Dirceu Cardoso Gon&cce  Imprimir Imprimir
Todas as narrativas que surgem, sejam a favor ou contra o governo, merecem nossa atenção e reflexão. Isso nos leva a acreditar cada dia mais no futuro, não só do Brasil, mas do mundo. O corte da História demonstra que por mais narrativas, interesses subalternos e enganações que possam dar o tom dos acontecimentos num tempo, nada se pereniza sem a existência de bases sólidas. Não adianta indivíduos ou grupos deles reinventar a roda e, mesmo que o façam, na hora de funcionar, o reinvento mostra suas fragilidades.

Nosso país é o resultado da aculturação portuguesa e de todas as influências por ela assimilada ao longo dos 520 anos que nos separam do Descobrimento (ou Achamento, como se diz em Portugal). Herdamos a língua, mas somos diferentes da pátria-mãe. Tanto cá quanto lá, tivemos instabilidades políticas, autoritarismo, incompreensões e outros problemas.

O Brasil, mercê de seus recursos naturais e do empreendedorismo dos brasileiros  (natos, naturalizados ou simplesmente chegados) conseguiu colocar-se entre as dez maiores economias do mundo. Além do agronegócio exuberante, abriga invejável parque tecnológico e industrial, comércio e serviços de alta capacidade. Mas não se desenvolveu com a mesma força na distribuição das riquezas e das facilidades que levam o bem-estar à população. Um simples passar de olhos sobre os aglomerados urbanos com suas periferias e favelas, eufemisticamente denominadas "comunidades", nos dá mostra do muito que ainda há a se realizar.

O século XX perdeu-se no proselitismo e na luta ideológica. Direita e esquerda digladiaram-se e usurparam o foco da cena social. Multidões ocuparam-se em seguir esta ou aquela ideologia e, no lugar de trabalhar em beneficio próprio, tornaram-se partidárias (e reféns) da casta que promove o adestramento popular para garantir votos que a mantém no poder. A política, em vez de instrumento para desenvolver a sociedade, foi transformada em nefasta crença. Muitos votam sem conhecer o candidato nem saber de suas propostas para o caso de ser eleito.Apesar dos desencontros, é possível identificar avanços no Brasil de hoje. O povo vai aos poucos abandonando o fervor político que os oportunistas inocularam às massas. É a oportunidade que a sociedade tem para se libertar do estigma direita/esquerda. Há que se lembrar que, filosoficamente, ambos os lados são bons, mas, a prática mostra as impropriedades.

Começou, no dia 16, a campanha eleitoral para prefeito e vereador. Os candidatos – muitos deles desaparecidos há quatro anos – estão nas ruas pedindo o nosso voto. Esse é o único momento em que, nós os cidadãos, podemos influenciar nos destinos de nossa cidade. Por isso, tanto por interesse quando por dever de cidadania, devemos, antes de decidir em quem votar, buscar informações seguras sobre quem são os candidatos, o que já fizeram (de bom ou ruim) e suas propostas para se eleitos. Feito isso, será menor o risco de elegermos maus administradores e legisladores. Com esse simples cuidado, estaremos defendendo o próprio interesse e exercendo bem o direito de voto. E, ainda, contribuiremos para acabar com os maus políticos...



Por Tenente Dirceu Cardoso Gonçalves - dirigente da ASPOMIL (Associação de Assist. Social dos Policiais Militares de São Paulo) - aspomilpm@terra.com.br

Comente via Facebook
Mais Artigos
No h comentrios.
img
img
RSS  Artigos Artigos

Embora pensada para se opor à polarização entre direita e esquerda nas eleições presidenciais, a candidatura de terceira via, se ocorrer, favorecerá Lula e atrapalhará Bolsonaro. Por natureza, o eleitorado de esquerda comparece incondicionalmente às urnas e vota no candidato da tendência, mesmo...
Em evento de filiação ao Podemos e com discurso político, Sérgio Moro traz à tona sentimentos e projeções variadas acerca de seus objetivos políticos. Símbolo maior da Operação Lava Jato quando juiz, superministro do Governo Bolsonaro, trabalhador da iniciativa privada nos EUA, enfim, uma trajetória já assaz atribulada nos últimos anos e, agora, uma pré-candidatura, ao que tudo indica para a Presidência, em 2022, mas não...
O partido que desfralda a bandeira da socialdemocracia e adota um tucano como símbolo, o PSDB, está em frangalhos. Quando foi criado em 1988 era a esperança de o país pela trilha de uma nova política, amparada no conceito do Estado comprometido com o bem estar social e aberto aos...
O cipoal de leis que restringe a liberdade individual deve ser censurado. Característica principal dos sistemas socialistas anacrônicos e até mesmos dos híbridos, a hegemonia de leis que restringe a liberdade individual vem contaminando o progresso geral. A liberdade é instrumento de construção e de evolução meteórica mais consistente dentro dos sistemas viáveis de construção da sociedade humana. Os dois caminhos experimentados pelas...
A Caridade é o centro gravitacional da consciência ideológica, portanto, educacional, política, social, filosófica, científica, religiosa, artística, esportiva, doméstica e pública do Cidadão Espiritual. Desse modo, se o ser humano não tiver compreensão dela, deve esforçar-se para entendê-la, a fim de...
img
img
img
PUBLICAÇÕES RECENTES
img




img



img
img
img
CASAS img LOTES img FAZENDAS
img
CHÁCARAS img PRÉDIOS COMERCIAIS img GALPÕES
img
RSS  Dicas de Leitura Dicas de leitura
img
Ambientado em uma comunidade japonesa de São Paulo, lançamento ficcional da escritora Juliana Marinho promove o poder da música como intervenção para cura de doenças. A musicoterapia, união da arte e saúde em busca da reabilitação ou promoção do bem-estar, é a responsável...
Por meio da personagem Malu, as escritoras e letrólogas paulistas Nanda Mateus e Raphaela Comisso dialogam com as crianças sobre diversidade familiar e desmistificam a homoparentalidade. Nanda Mateus trabalha com educação e inovação em tecnologias para...
Existem músicas para os momentos felizes, tristes e até aquelas que marcam datas especiais, mas para Melody King é diferente: as canções são uma consequência — infelizmente incontrolável — de uma rara doença. As dificuldades em lidar com as embaraçosas situações,...
img
img
RSS  Top Vdeos Top Vídeos
img
Thumbnail
img
img
img
RSS  Classificados Classificados
img
img
img



RSS GOOGLE + YOUTUBE TWITTER FACEBOOK