Novoeste on-line - Onde o Oeste da Bahia é Notícia
> Principal > Artigos > Pauta Livre > O mau uso dos recursos de emergência
 
O mau uso dos recursos de emergência
12/05/2020 as 16:18 h  Autor Tenente Dirceu Cardoso Gon&  Imprimir Imprimir
Qualquer do povo, por mais simplório ou iletrado que seja, sabe que produtos de alta tecnologia e elevado preço se adquire diretamente do fabricante ou de seus concessionários. Jamais no boteco da esquina ou em fornecedores sem tradição ou desprovidos de lastro negocial na respectiva área. Mesmo assim, prefeitos e governadores que, por força de lei, dispõem de assessorias especializadas em compras e sabem os rigores dos processos licitatórios, acabaram adquirindo respiradores pulmonares, máscaras, aventais e outros insumos do combate à Covid 19 numa adega de vinhos ou em  fornecedores estranhos ao ramo cujo endereço fornecido para a transação na maioria das vezes é falso e coincide com modestas habitações da periferia cujos moradores ignoram alí existirem empresas que transacionam milhões. Além do vício formal, ainda há a gritante disparidade de preços, o pagamento antecipado, a entrega de equipamentos falsificados ou que não funcionam e, até, a falta de entrega da mercadoria pelo fornecedor.

É revoltante e vergonhoso constatar que, só nesse período de emergência iniciado em fevereiro, em que o poder público é autorizado a comprar sem licitação equipamentos e materiais para enfrentar a pandemia, o Ministério Público Federal foi instado a abriu 410 procedimentos preliminares que poderão se transformar em ações criminais por irregularidades nas transações e prejuízos ao erário em 11 estados e no Distrito Federal.

As investigações já levaram à exoneração de servidores em Santa Catarina e a prisões, inclusive do ex-subsecretário da Saúde do Rio de Janeiro. Há, entre outros, o caso de Aroeiras, na Paraíba, onde a prefeitura teria empregado R$ 580 mil de verbas recebidas da União na aquisição de cartilhas sobre o coronavírus, que o Ministério da Saúde distribui gratuitamente. Pelo número de atos investigatórios, conclui-se que muita sujeira ainda virá à tona.

Espera-se que o Ministério Público e as polícias empregadas na apuração sejam velozes na identificação dos fatos e dos envolvidos, e o Poder Judiciário aplique os rigores da lei contra aqueles que nesse momento tão difícil, quando mais de 11 mil brasileiros já perderam a vida e outros 162 mil padecem do mal, têm a coragem de desviar os recursos destinados a salvar vítimas da tragédia epidêmica.

Nosso país carece passar por ampla revolução ética que coloque nos devidos lugares os praticantes de corrupção ou favorecimento próprio ou de terceiros através do desvio do dinheiro público. Os impostos recolhidos pela sociedade têm de retornar em forma de serviços à população e, infelizmente, isso não tem ocorrido. Prova é a falta de estrutura para enfrentar o coronavírus, que obriga as autoridades a tentar retardar a infecção para não saturar os insuficientes hospitais.
 



Por Tenente Dirceu Cardoso Gonçalves - dirigente da ASPOMIL (Associação de Assist. Social dos Policiais Militares de São Paulo) - aspomilpm@terra.com.br    

Comente via Facebook
Mais Artigos
No h comentrios.
img
img
RSS  Artigos Artigos

O escritor foi e ainda é, para as crianças que estão começando a descortinar o infinito horizonte da palavra, algo inatingível, meio mágico, talvez mítico.Isso, dito por elas mesmas. A criança é naturalmente curiosa, sedenta de conhecimento e experiência, e ficar cara a cara com...
Na civilização humana, em todos os tempos as gesticulações passaram a simbolizar determinados comportamentos e construir significados diversos para cada sociedade e para cada povo. Gestos humanos servem tanto para simbolizar comportamentos positivos, bem como...
https://www.novoeste.com/uploads/image/artigos_gaudencio-torquato_jornalista-professor-usp-consultor-politico.jpgHoje, tomo a liberdade de fazer uma reflexão sobre a vida. Valho-me, inicialmente, de Sêneca com seu puxão de orelhas: “somos gerados para uma curta existência.  A vida é breve e a arte é longa. Está errado. Não dispomos de pouco tempo, mas desperdiçamos muito. A vida é longa...
A presidenta do Instituto Justiça Fiscal aponta o falso dilema para a escolha eleitoral de 2022 e indica as fontes de custeio para vencer o quadro desolador de fragilidade da maioria do povo brasileiro. A próxima eleição, se ocorrer, certamente exigirá muito de nós. Mas não será uma escolha difícil. Para começar, terceira via não existe! Ou melhor: existe, em Bolsonaro. Este, que pode parecer insano, sádico, intratável, joga o jogo e...
A Constituição Cidadã erigiu a dignidade da pessoa humana como seu fundamento, ao lado da soberania, cidadania, valores sociais do trabalho e da livre iniciativa e o pluralismo político. Trata-se, portanto, de um dos pilares que legitimam o Estado Social e Democrático que fundou....
img
img
img
PUBLICAÇÕES RECENTES
img




img



img
img
img
CASAS img LOTES img FAZENDAS
img
CHÁCARAS img PRÉDIOS COMERCIAIS img GALPÕES
img
RSS  Dicas de Leitura Dicas de leitura
img
Ambientado em uma comunidade japonesa de São Paulo, lançamento ficcional da escritora Juliana Marinho promove o poder da música como intervenção para cura de doenças. A musicoterapia, união da arte e saúde em busca da reabilitação ou promoção do bem-estar, é a responsável...
Por meio da personagem Malu, as escritoras e letrólogas paulistas Nanda Mateus e Raphaela Comisso dialogam com as crianças sobre diversidade familiar e desmistificam a homoparentalidade. Nanda Mateus trabalha com educação e inovação em tecnologias para...
Existem músicas para os momentos felizes, tristes e até aquelas que marcam datas especiais, mas para Melody King é diferente: as canções são uma consequência — infelizmente incontrolável — de uma rara doença. As dificuldades em lidar com as embaraçosas situações,...
img
img
RSS  Top Vdeos Top Vídeos
img
Thumbnail
img
img
img
RSS  Classificados Classificados
img
img
img



RSS GOOGLE + YOUTUBE TWITTER FACEBOOK