Novoeste on-line - Onde o Oeste da Bahia é Notícia
> Principal > Artigos > Pauta Livre > 7 de setembro: O famoso grito da independência
 
7 de setembro: O famoso grito da independência
07/09/2019 as 11:01 h  Autor Sérgio Ribeiro Santos  Imprimir Imprimir
Neste 7 de setembro, o Brasil comemora 197 anos do famoso Grito do Ipiranga. No entanto, como geralmente ocorre com datas comemorativas, convencionou-se este dia para celebrar o momento em que o Brasil deixa de ser uma colônia de Portugal e passa a ser um país que dirigirá seu próprio destino. Na historiografia, há a imagem de que datas são como pontas de iceberg, que servem principalmente para indicarem um corpo submerso. Neste caso, podemos entender o referido episódio como esta ponta que revela todo um processo entre a chegada da Família Real ao Brasil em 1808 e a coroação de D. Pedro II em 1841.

No entanto, movimentos emancipacionistas já se instalavam na Colônia, antes mesmo de 1808. Basta olharmos para a Inconfidência Mineira (1789) e a Conjuração Baiana (1798). Além do que, a Revolução Francesa, Independência dos Estados Unidos e das Colônias na América Espanhola, criavam todo um contexto que fomentava ainda mais as aspirações de uma elite local que deseja se emancipar da antiga Metrópole.

Toda essa situação se torna ainda mais crônica com a chegada da Família Real ao Brasil. A Colônia passa a ter status de Sede do Governo Imperial, o Brasil passa integrar o Reino Unido de Portugal e Algarves e toda uma estrutura administrativa e política é construída para atender o governo de D. João VI. Contudo, tais medidas privilegiam os portugueses e ao mesmo tempo desagradam as lideranças locais, que passaram a se sentir preteridas.

Com o retorno de D. João VI à Portugal, as relações entre Lisboa e Brasil tornam-se cada vez mais difíceis. As lideranças locais se aproximam de D. Pedro I, e este, instado por elas, e resistindo a pressão de Portugal para retornar à Europa, protagoniza o famoso ato que ficaria imortalizado no quadro de Pedro Américo.

Contudo, a construção de uma nova nação ainda estava em seu início e seria este um processo que enfrentaria muita luta interna e externa. Os modelos que serviriam de base para este novo projeto político lutariam entre si até que o próprio Brasil visse a si mesmo como uma nação independente. Aliás, processo este que ainda hoje está em pleno andamento e que disputam almas e consciências de cada brasileiro.

Sérgio Ribeiro Santos: Graduado em Teologia, Mestre e Doutor em História. É coordenador dos Cursos de Licenciatura em História e Geografia (EaD da Universidade Presbiteriana Mackenzie.

Comente via Facebook
Mais Artigos
No h comentrios.
img
img
RSS  Artigos Artigos

Embora pensada para se opor à polarização entre direita e esquerda nas eleições presidenciais, a candidatura de terceira via, se ocorrer, favorecerá Lula e atrapalhará Bolsonaro. Por natureza, o eleitorado de esquerda comparece incondicionalmente às urnas e vota no candidato da tendência, mesmo...
Em evento de filiação ao Podemos e com discurso político, Sérgio Moro traz à tona sentimentos e projeções variadas acerca de seus objetivos políticos. Símbolo maior da Operação Lava Jato quando juiz, superministro do Governo Bolsonaro, trabalhador da iniciativa privada nos EUA, enfim, uma trajetória já assaz atribulada nos últimos anos e, agora, uma pré-candidatura, ao que tudo indica para a Presidência, em 2022, mas não...
O partido que desfralda a bandeira da socialdemocracia e adota um tucano como símbolo, o PSDB, está em frangalhos. Quando foi criado em 1988 era a esperança de o país pela trilha de uma nova política, amparada no conceito do Estado comprometido com o bem estar social e aberto aos...
O cipoal de leis que restringe a liberdade individual deve ser censurado. Característica principal dos sistemas socialistas anacrônicos e até mesmos dos híbridos, a hegemonia de leis que restringe a liberdade individual vem contaminando o progresso geral. A liberdade é instrumento de construção e de evolução meteórica mais consistente dentro dos sistemas viáveis de construção da sociedade humana. Os dois caminhos experimentados pelas...
A Caridade é o centro gravitacional da consciência ideológica, portanto, educacional, política, social, filosófica, científica, religiosa, artística, esportiva, doméstica e pública do Cidadão Espiritual. Desse modo, se o ser humano não tiver compreensão dela, deve esforçar-se para entendê-la, a fim de...
img
img
img
PUBLICAÇÕES RECENTES
img




img



img
img
img
CASAS img LOTES img FAZENDAS
img
CHÁCARAS img PRÉDIOS COMERCIAIS img GALPÕES
img
RSS  Dicas de Leitura Dicas de leitura
img
Ambientado em uma comunidade japonesa de São Paulo, lançamento ficcional da escritora Juliana Marinho promove o poder da música como intervenção para cura de doenças. A musicoterapia, união da arte e saúde em busca da reabilitação ou promoção do bem-estar, é a responsável...
Por meio da personagem Malu, as escritoras e letrólogas paulistas Nanda Mateus e Raphaela Comisso dialogam com as crianças sobre diversidade familiar e desmistificam a homoparentalidade. Nanda Mateus trabalha com educação e inovação em tecnologias para...
Existem músicas para os momentos felizes, tristes e até aquelas que marcam datas especiais, mas para Melody King é diferente: as canções são uma consequência — infelizmente incontrolável — de uma rara doença. As dificuldades em lidar com as embaraçosas situações,...
img
img
RSS  Top Vdeos Top Vídeos
img
Thumbnail
img
img
img
RSS  Classificados Classificados
img
img
img



RSS GOOGLE + YOUTUBE TWITTER FACEBOOK