Novoeste on-line - Onde o Oeste da Bahia é Notícia
> Principal > Artigos > Pauta Livre > Liturgia e devoções populares da Semana Santa
 
Liturgia e devoções populares da Semana Santa
15/04/2019 as 17:29 h  Autor Padre Gevanildo Augusto Torres  Imprimir Imprimir
A Semana Santa oferece aos cristãos católicos uma experiência única, profunda e simples de tocar no mistério profundo de Deus, que se inclinou até ao homem. A Liturgia que celebramos nesses dias desvenda o mistério de amor de um Deus que quis se revelar, que veio ao encontro do ser humano. O povo de Deus vive e celebra esse encontro com todo fervor, sem receio de demonstrar em gestos simples, porém profundos, o quanto sente a presença desse Deus que se revela na paixão, morte e ressurreição de Jesus.

Os gestos e sinais da Igreja Católica não são desprovidos de humanidade. A Semana Santa, com toda a beleza de seus ritos, exprime que se reza o que se crê, e acredita-se no que se reza. Não são expressões desprovidas de sentido, fechadas e sistemáticas, mas celebrativas, repletas de sinais, com cantos, formas poéticas e uma linguagem própria, que abrem o horizonte humano a uma maior aproximação de Deus. É a aproximação da fé e da religião com a cultura popular.

Esse é o tempo em que os sentimentos humanos encontram espaço nas ações divinas. O Coração de Deus junto ao coração da humanidade! A proximidade de Deus do seu povo, através de sinais sensíveis, e a proximidade do povo pela revelação palpável de um Deus que se deixou ver, contemplar e tocar. São os simples e puros de coração que através da fé singela podem tocar no mistério. O Papa Paulo VI nos recorda que a piedade popular “manifesta uma sede de Deus que somente os simples e os pobres podem conhecer”.

Como é edificante, em tempos de Semana Santa, contemplar a fé do povo que adentra no mistério do amor de Deus, que entrega seu Filho para salvar a humanidade!

Em muitos gestos e palavras do povo não encontramos uma teologia ensinada pelos livros e grandes doutores, mas, esses gestos e palavras revelam na vida cotidiana, feita de espontaneidade, de memória e de partilha que Deus quis ter um coração e sofrer as dores da humanidade.

Há uma profunda identificação do povo com as expressões litúrgicas e devocionais desse tempo. São muitos os que se comovem com o Cristo sofredor e com a Mãe das dores, olham-nos, beijam-nos. Tocam os pés, as mãos e o coração ferido de Jesus. Com sua piedade tentam, de alguma maneira, enxugar as lágrimas da Mãe dolorosa, na esperança de serem consolados em suas dores e lamentos. Adentram com piedade nos gestos e palavras de Cristo, guardam o silêncio e as lágrimas de Maria. Vivem intensamente a fé que ninguém poderá “roubar”.

Na Liturgia da Semana Santa, a Igreja quer atualizar e revelar o maior acontecimento da história: Deus sofre com os que sofrem e chora com os que choram, mas a dor nunca terá a última palavra, por isso, é preciso esperar a redenção de suas fraquezas e a vitória de suas dores mais profundas, quando unidas a Cristo Jesus.

Em meio à multidão, Deus olha a cada um individualmente, como filho único, filha única. E se fôssemos resumir a experiência desse tempo, colocaríamos numa só palavra: Amor. O amor que detém os gestos de Deus para com seu povo. O amor que é a linguagem do Humilde e a resposta daqueles que, mesmo com suas limitações, querem corresponder ao Amor recebido.

Os fiéis experimentam nesses dias santos a bondade de Deus que se uniu a cada ser humano em sua dor e sofrimento e que, por amor, não permaneceu no sepulcro da morte, mas venceu e vivo está!




Padre Gevanildo Augusto Torres
é missionário da Comunidade Canção Nova

Comente via Facebook
Mais Artigos
No h comentrios.
img
img
RSS  Artigos Artigos

O escritor foi e ainda é, para as crianças que estão começando a descortinar o infinito horizonte da palavra, algo inatingível, meio mágico, talvez mítico.Isso, dito por elas mesmas. A criança é naturalmente curiosa, sedenta de conhecimento e experiência, e ficar cara a cara com...
Na civilização humana, em todos os tempos as gesticulações passaram a simbolizar determinados comportamentos e construir significados diversos para cada sociedade e para cada povo. Gestos humanos servem tanto para simbolizar comportamentos positivos, bem como...
https://www.novoeste.com/uploads/image/artigos_gaudencio-torquato_jornalista-professor-usp-consultor-politico.jpgHoje, tomo a liberdade de fazer uma reflexão sobre a vida. Valho-me, inicialmente, de Sêneca com seu puxão de orelhas: “somos gerados para uma curta existência.  A vida é breve e a arte é longa. Está errado. Não dispomos de pouco tempo, mas desperdiçamos muito. A vida é longa...
A presidenta do Instituto Justiça Fiscal aponta o falso dilema para a escolha eleitoral de 2022 e indica as fontes de custeio para vencer o quadro desolador de fragilidade da maioria do povo brasileiro. A próxima eleição, se ocorrer, certamente exigirá muito de nós. Mas não será uma escolha difícil. Para começar, terceira via não existe! Ou melhor: existe, em Bolsonaro. Este, que pode parecer insano, sádico, intratável, joga o jogo e...
A Constituição Cidadã erigiu a dignidade da pessoa humana como seu fundamento, ao lado da soberania, cidadania, valores sociais do trabalho e da livre iniciativa e o pluralismo político. Trata-se, portanto, de um dos pilares que legitimam o Estado Social e Democrático que fundou....
img
img
img
PUBLICAÇÕES RECENTES
img




img



img
img
img
CASAS img LOTES img FAZENDAS
img
CHÁCARAS img PRÉDIOS COMERCIAIS img GALPÕES
img
RSS  Dicas de Leitura Dicas de leitura
img
Ambientado em uma comunidade japonesa de São Paulo, lançamento ficcional da escritora Juliana Marinho promove o poder da música como intervenção para cura de doenças. A musicoterapia, união da arte e saúde em busca da reabilitação ou promoção do bem-estar, é a responsável...
Por meio da personagem Malu, as escritoras e letrólogas paulistas Nanda Mateus e Raphaela Comisso dialogam com as crianças sobre diversidade familiar e desmistificam a homoparentalidade. Nanda Mateus trabalha com educação e inovação em tecnologias para...
Existem músicas para os momentos felizes, tristes e até aquelas que marcam datas especiais, mas para Melody King é diferente: as canções são uma consequência — infelizmente incontrolável — de uma rara doença. As dificuldades em lidar com as embaraçosas situações,...
img
img
RSS  Top Vdeos Top Vídeos
img
Thumbnail
img
img
img
RSS  Classificados Classificados
img
img
img



RSS GOOGLE + YOUTUBE TWITTER FACEBOOK