Novoeste on-line - Onde o Oeste da Bahia é Notícia
> Principal > Artigos > Pauta Livre > A reproclamação da República
 
A reproclamação da República
12/05/2018 as 10:45 h  Autor Tenente Dirceu Cardoso Gon&cce  Imprimir Imprimir
O avanço da Operação Lava Jato, que já levou ao cárcere um ex-presidente, ex-governadores, ex-ministros, parlamentares, grandes empresários e outros figurões até então inatingíveis, somada à extinção do foro privilegiado e aos esquemas que se elabora para o aperto à fiscalização fazendária de agentes públicos, podem representar a proclamação de uma nova república. Principalmente quando vem acompanhada da nova legislação trabalhista   tendente a acabar com os sindicatos pelegos e politiqueiros, que em vez de servir às classes que representam, atuam como aparelhos político-ideológicos. Outro ponto que poderia ajudar é a privatização das mais de 150 empresas estatais que, em vez de servir ao país e à sociedade, têm sido usadas como cabides de emprego para a acomodação de cabos eleitorais e até para a prática da corrupção.

A república que pode surgir da grave crise que vivemos, onde está difícil até encontrar verdadeiras lideranças para concorrer à presidência, tem de ser a verdadeira representação daquilo que sonharam os precursores dessa forma de governo. Diferente do que ocorre atualmente no país, seus titulares não podem deter foro especial e nem direitos que os tornem diferentes do cidadão a quem, quando se candidatam, se propõem a representar. É inadmissível que quase 60 mil ocupantes de cargos e funções sejam isentos de responder judicialmente pelos atos cometidos. O máximo que se pode admitir de imunidade é para os cargos e não para seus ocupantes enquanto cidadãos.

A pessoa física do presidente da República, do governador estadual, senador, deputado, prefeito e vereador, assim como a dos magistrados e ocupantes de funções públicas de todas as espécies não pode ser blindada pelas garantias do cargo que exerce. Se um deles bateu na mulher, sonegou imposto ou cometeu ato de corrupção, tem de ser processado e apenado, pois esses atos não fazem parte da liturgia de sua função pública ou oficial.

O Estado, por seu turno, não tem de ser empresário. Seu papel deve ser normativo e licenciador. Foi-se o tempo em que o Brasil era um país distante e atrasado que não interessava aos investidores e, por isso, o Estado era obrigado a atuar no ramo da infraestrutura e do fomento. Hoje, em vez de manter estatais inchadas e sujeitas à corrupção, temos de transferi-las à iniciativa privada, que produz melhor e mais barato, e fiscalizar para que seus operadores atuem dentro da legislação, paguem seus tributos e cumpram suas obrigações sociais conforme as necessidades e interesses nacionais. É interessante, também, a idéia que surge de, em vez de manter estatais o transporte e a merenda escolar, onde ultimamente se apura focos de corrupção, distribuir os recursos diretamente aos alunos ou suas famílias, para que adquiram os serviços de prestadores particulares.

A nova república que pode estar se desenhando como resultado da crise, precisa reforçar a igualdade entre os cidadãos, acabar com os feudos e oligarquias, fortalecer o poder fiscalizador do Estado e potencializar a iniciativa privada. Temos tudo para ser uma das potências mundiais. Basta eliminar os vícios que sempre nos impuseram o atraso...
 


Tenente Dirceu Cardoso Gonçalves - dirigente da ASPOMIL (Associação de Assist. Social dos Policiais Militares de São Paulo) - aspomilpm@terra.com.br 

Comente via Facebook
Mais Artigos
No h comentrios.
img
img
RSS  Artigos Artigos

Embora pensada para se opor à polarização entre direita e esquerda nas eleições presidenciais, a candidatura de terceira via, se ocorrer, favorecerá Lula e atrapalhará Bolsonaro. Por natureza, o eleitorado de esquerda comparece incondicionalmente às urnas e vota no candidato da tendência, mesmo...
Em evento de filiação ao Podemos e com discurso político, Sérgio Moro traz à tona sentimentos e projeções variadas acerca de seus objetivos políticos. Símbolo maior da Operação Lava Jato quando juiz, superministro do Governo Bolsonaro, trabalhador da iniciativa privada nos EUA, enfim, uma trajetória já assaz atribulada nos últimos anos e, agora, uma pré-candidatura, ao que tudo indica para a Presidência, em 2022, mas não...
O partido que desfralda a bandeira da socialdemocracia e adota um tucano como símbolo, o PSDB, está em frangalhos. Quando foi criado em 1988 era a esperança de o país pela trilha de uma nova política, amparada no conceito do Estado comprometido com o bem estar social e aberto aos...
O cipoal de leis que restringe a liberdade individual deve ser censurado. Característica principal dos sistemas socialistas anacrônicos e até mesmos dos híbridos, a hegemonia de leis que restringe a liberdade individual vem contaminando o progresso geral. A liberdade é instrumento de construção e de evolução meteórica mais consistente dentro dos sistemas viáveis de construção da sociedade humana. Os dois caminhos experimentados pelas...
A Caridade é o centro gravitacional da consciência ideológica, portanto, educacional, política, social, filosófica, científica, religiosa, artística, esportiva, doméstica e pública do Cidadão Espiritual. Desse modo, se o ser humano não tiver compreensão dela, deve esforçar-se para entendê-la, a fim de...
img
img
img
PUBLICAÇÕES RECENTES
img




img



img
img
img
CASAS img LOTES img FAZENDAS
img
CHÁCARAS img PRÉDIOS COMERCIAIS img GALPÕES
img
RSS  Dicas de Leitura Dicas de leitura
img
Ambientado em uma comunidade japonesa de São Paulo, lançamento ficcional da escritora Juliana Marinho promove o poder da música como intervenção para cura de doenças. A musicoterapia, união da arte e saúde em busca da reabilitação ou promoção do bem-estar, é a responsável...
Por meio da personagem Malu, as escritoras e letrólogas paulistas Nanda Mateus e Raphaela Comisso dialogam com as crianças sobre diversidade familiar e desmistificam a homoparentalidade. Nanda Mateus trabalha com educação e inovação em tecnologias para...
Existem músicas para os momentos felizes, tristes e até aquelas que marcam datas especiais, mas para Melody King é diferente: as canções são uma consequência — infelizmente incontrolável — de uma rara doença. As dificuldades em lidar com as embaraçosas situações,...
img
img
RSS  Top Vdeos Top Vídeos
img
Thumbnail
img
img
img
RSS  Classificados Classificados
img
img
img



RSS GOOGLE + YOUTUBE TWITTER FACEBOOK