Novoeste on-line - Onde o Oeste da Bahia é Notícia
> Principal > Artigos > Pauta Livre > PAÍS DE HIPOCRITAS, CONIVENTES E OMISSOS
 
PAÍS DE HIPOCRITAS, CONIVENTES E OMISSOS
16/03/2018 as 14:54 h  Autor Juarez Cruz  Imprimir Imprimir
Olha o que difere o Brasil da Eslováquia, um País com instituições e população minimamente consciente, responsável e políticos que tomam simancol, pois sabem a hora certa de cair fora, pegar seu banquinho e sair de fininho quando percebem que as coisas não estão bem pra eles. O que não acontece no Brasil.

Ontem, quinta-feira (15) o presidente da Eslováquia Andrej Kiska aceitou o pedido de renúncia feito pelo primeiro-ministro Robert Fico. A saída deste se deu em decorrência de uma onda de protestos após o assassinato do jornalista Jan Kuciak, 27, no último dia 25 de fevereiro. Os corpos dele e de sua noiva, Martina Kusnirova, foram encontrados com marcas de tiro na casa do casal em Velka Maca, na capital Bratislava. Kuciak era conhecido no País por suas matérias investigativas sobre corrupção ligadas ao governo.

Na noite de anteontem, quarta feira (14), a socióloga, militante e vereadora Marielle Franco (PSOL), 38, foi assassinada com quatro tiros de dentro de um carro quando vinha de um evento chamado “Jovens Negras Movendo as Estruturas”, em uma rua próxima à Prefeitura do Rio, no bairro Estácio, no centro do Rio.

O motorista Anderson Pedro M. Gomes, 39, também foi atingido pelos disparos e morreu no local. Uma assessora da vereadora que também estava no carro foi atingida pelos estilhaços tendo ferimentos leves.

Diferentemente da Eslováquia, aqui Brasil todos os dias são assassinados jornalistas, políticos, policiais, lideranças rurais, ambientalistas e uma quantidade muito grande de PP-pobres e pretos. Entretanto, diante do extermínio que nossa população vem passando, para as autoridades, instituições e a sociedade parece coisa natural. Naturalíssimo.

As nossas instituições públicas, desde os governos municipais, estaduais, federal e incluindo todo nosso sistema judiciário (STF-Supremo Tribunal Federal, STJ-Supremo Tribunal de Justiça, STE-Supremo Tribunal Eleitoral, tribunais regionais de todas as instâncias, corregedorias e Tribunais de Justiças), OAB - Ordem dos Advogados do Brasil, Congresso Nacional, os partidos políticos, as igrejas católica, adventista, evangélicas; os movimentos sociais, artísticos, culturais e de defesas das minorias (negros, índios, LGBT e outros) agem como se o País estivesse vivendo uma paz celestial, igual a que se vive em países do primeiro mundo.

Sem querer minimizar a morte do jornalista Kuciak, mas foi á morte dele, a segunda de um jornalista neste ano na Eslováquia, o motivo para que o povo se mobilizasse, saísse ás ruas e o estopim fosse aceso e acontecesse o pedido de renúncia do primeiro-ministro e o pedido de novas eleições neste País.

No entanto aqui no Brasil morrem todos os dias dezenas, centenas e milhares de brasileiros pela violência das ruas e do aparato policial; morrem pessoas nas portas e nos interiores dos hospitais; dentro de casas, nas escolas públicas, no trânsito, na zona rural e pela violência do crime organizado que cresce como uma praga e ainda assim nossa sociedade não se mobiliza. Mas bastou a morte de uma vereadora negra para o País dos hipócritas, coniventes e omissos como o governador e o prefeito do Rio de Janeiro, o STF e os presidentes do Congresso e da República, além de ministros, deputados e até um ex-presidente da República, já condenado pela Lava-Jato em 2ª estância, mais um bando de cantores, intelectuais, artistas e lideranças dos movimentos sociais se solidarizaram com essas duas mortes no Rio de Janeiro, como se elas fossem ás únicas e ainda assim ninguém pediu renúncia.

Essa súbita solidariedade dos hipócritas tem um motivo: estamos ás vésperas de novas eleições e o grande mote nas campanhas dos pretensos candidatos aos cargos eletivos deste ano será a segurança pública. É neste barco que todos querem entrar, inclusive os que não são postulantes aos cargos eletivos mais querem tirar proveito da situação, se aproveitar da morte de uma ex-vereadora que denunciava policias do 41º BPM (Batalhão de Polícia Militar) por estar aterrorizando e violentando os moradores de Acari.

É bom lembrar que Marielle já vinha denunciando a agressão militar contra o povo favelado há tempos e em sua última postagem ela escreveu, “Precisamos gritar para que todos saibam o que esta acontecendo em Acari neste momento. O 41º Batalhão da Policia Militar do Rio de Janeiro esta aterrorizando e violentando moradores de Acari. Nessa semana dois jovens foram mortos e jogados em um valão. Hoje a polícia andou pelas ruas ameaçando os moradores. Acontece desde sempre e com a intervenção ficou ainda pior. Compartilhem essa imagem nas suas linhas de tempo e na capa do perfil”. Como bem podem ver ela já incomodava a estrutura de poder e de segurança pública do Rio de Janeiro, por isso morreu.    
     
Foi preciso a morte de Merielle, antes uma desconhecida do povo brasileiro, para um bando de oportunistas quererem tirar proveito político e midiático desta trágica situação. Mais acreditem minha gente, mesmo com as denúncias obvias e pertinentes feitas por ela, ás autoridades não serão capazes, por omissão ou conivência, de descobrirem os assassinos dela e acabar com a violência que se abate sobre a população PP-pretos e pobres no Brasil afora, ainda mais quando um juiz no plenário do STF, acreditem, pede por justiça. Pedir justiça aquém senhor ministro, parece que o senhor não sabe onde está e qual a sua função no STF?

Marielle, ao contrário do que muitos disseram durante em seu velório, sua morte será em vão. Infelizmente não teremos a classe média (pelo menos para bater panelas), muito menos á casta de funcionários públicos e suas entidades sindicais e de proteção, que só servem para defender seus interesses, para fazer as pressões necessárias no executivo, legislativo e no judiciário para acabar com essas matanças. Eles não estão nem ai para mortes de militantes negras e moradores de favelas como você. A final você morava e vivia nos morros e não no Leblon ou Copacabana, onde eles moram e onde o 41º BPM não irá incomodá-los.

O Brasil não é a Eslováquia.

Por Juarez Cruz, escritor e cronista
Juarez.cruz@uol.com.br

Comente via Facebook
Mais Artigos
No h comentrios.
img
img
RSS  Artigos Artigos

Embora pensada para se opor à polarização entre direita e esquerda nas eleições presidenciais, a candidatura de terceira via, se ocorrer, favorecerá Lula e atrapalhará Bolsonaro. Por natureza, o eleitorado de esquerda comparece incondicionalmente às urnas e vota no candidato da tendência, mesmo...
Em evento de filiação ao Podemos e com discurso político, Sérgio Moro traz à tona sentimentos e projeções variadas acerca de seus objetivos políticos. Símbolo maior da Operação Lava Jato quando juiz, superministro do Governo Bolsonaro, trabalhador da iniciativa privada nos EUA, enfim, uma trajetória já assaz atribulada nos últimos anos e, agora, uma pré-candidatura, ao que tudo indica para a Presidência, em 2022, mas não...
O partido que desfralda a bandeira da socialdemocracia e adota um tucano como símbolo, o PSDB, está em frangalhos. Quando foi criado em 1988 era a esperança de o país pela trilha de uma nova política, amparada no conceito do Estado comprometido com o bem estar social e aberto aos...
O cipoal de leis que restringe a liberdade individual deve ser censurado. Característica principal dos sistemas socialistas anacrônicos e até mesmos dos híbridos, a hegemonia de leis que restringe a liberdade individual vem contaminando o progresso geral. A liberdade é instrumento de construção e de evolução meteórica mais consistente dentro dos sistemas viáveis de construção da sociedade humana. Os dois caminhos experimentados pelas...
A Caridade é o centro gravitacional da consciência ideológica, portanto, educacional, política, social, filosófica, científica, religiosa, artística, esportiva, doméstica e pública do Cidadão Espiritual. Desse modo, se o ser humano não tiver compreensão dela, deve esforçar-se para entendê-la, a fim de...
img
img
img
PUBLICAÇÕES RECENTES
img




img



img
img
img
CASAS img LOTES img FAZENDAS
img
CHÁCARAS img PRÉDIOS COMERCIAIS img GALPÕES
img
RSS  Dicas de Leitura Dicas de leitura
img
Ambientado em uma comunidade japonesa de São Paulo, lançamento ficcional da escritora Juliana Marinho promove o poder da música como intervenção para cura de doenças. A musicoterapia, união da arte e saúde em busca da reabilitação ou promoção do bem-estar, é a responsável...
Por meio da personagem Malu, as escritoras e letrólogas paulistas Nanda Mateus e Raphaela Comisso dialogam com as crianças sobre diversidade familiar e desmistificam a homoparentalidade. Nanda Mateus trabalha com educação e inovação em tecnologias para...
Existem músicas para os momentos felizes, tristes e até aquelas que marcam datas especiais, mas para Melody King é diferente: as canções são uma consequência — infelizmente incontrolável — de uma rara doença. As dificuldades em lidar com as embaraçosas situações,...
img
img
RSS  Top Vdeos Top Vídeos
img
Thumbnail
img
img
img
RSS  Classificados Classificados
img
img
img



RSS GOOGLE + YOUTUBE TWITTER FACEBOOK