Novoeste on-line - Onde o Oeste da Bahia é Notícia
> Principal > Artigos > Pauta Livre > A sociedade civil e o agronegócio em 2018
 
A sociedade civil e o agronegócio em 2018
22/11/2017 as 17:06 h  Autor José Luiz Tejon Megido  Imprimir Imprimir
É hora do resgate da confiança no agronegócio para as próprias organizações da sociedade civil que devem ser estruturadas.

As lideranças lúcidas e avançadas do agronegócio que se preparem e se organizem em uma só voz com os temas sagrados para o agro brasileiro, com vistas aos próximos cinco anos, ou então iremos pagar uma dolorosa conta pela desunião e pela não capacidade de comunicação.

O pós-governo Temer será gigantescamente temerário, pois a conta vai chegar. Todos os favores concedidos agora, independentemente de serem corretos ou não, mas somando mais de 32 bilhões de reais de concessões, perdões de impostos, dívidas (justas ou injustas) como Funrural, Ibama, Refiz, etc., essas contas serão veementemente cobradas nas safras 2018/2019.

Será plantada a próxima safra 2018 antes e durante as eleições, segundo que a segunda safra será logo na posse do novo governo, então, iremos colher essa safra já sob uma nova direção.

Mas, nada de sonhos de noites de verão, pois haverá muito atrito entre os três poderes com momentos de revanches e luta por autoafirmação de cada poder.

Dessa forma, é preciso de uma sociedade civil estruturada – e prefiro usar a palavra estruturada a organizada – pois quero me referir ao quarto poder. As representações formais, legais, autorizadas, com verbas e recursos humanos, serão de uma sociedade civil estruturada.

Ou as organizações formam um plano de governo e um diálogo com a sociedade (com comunicação e união com uma só voz para se apresentar para a nação), ou a conta virá de maneira mais injusta e desigual.

Raquel Dodge, Procuradora-Geral da República, já afirmou considerar inconstitucional conceder isenção fiscal para as indústrias de agrotóxicos, e se manifestou acrescentando que esse favorecimento descumpre o dever constitucional de preservar a saúde e o meio ambiente.

Isso representa apenas um simples exemplo da luta pelas percepções do povo que pode ser legitimamente alvo para um bom e longo debate. No ano do novo governo, em 2019, haverá conflito de todas as ordens para todos os lados, por isso, é preciso do quarto poder.

As dez Confederações Empresariais Nacionais sob uma liderança patriótica significam toda a economia do Brasil. A representações de trabalhadores não dominadas por partidos políticos, a educação, os educadores, os cientistas, os pesquisadores e a mídia.

Se o Brasil não entrar em 2019 com a sociedade civil estruturada formatando um quarto poder (com planos, prioridades e educação comunicados com a mídia), os outros três poderes (judiciário, legislativo e executivo) ficarão como o balão mágico: suspensos pela constituição.

Toda obra tem a missão de eterna ser, e permite interpretações. Quem lê uma palavra pode interpretá-la, porque o subtexto de qualquer obra secular sempre foi maior do que as poucas linhas que ali permanecem visíveis.




Por José Luiz Tejon Megido, Conselheiro Fiscal do Conselho Científico Agro Sustentável (CCAS) e Dirige o Núcleo de Agronegócio da ESPM.

Comente via Facebook
Mais Artigos
No h comentrios.
img
img
RSS  Artigos Artigos

O escritor foi e ainda é, para as crianças que estão começando a descortinar o infinito horizonte da palavra, algo inatingível, meio mágico, talvez mítico.Isso, dito por elas mesmas. A criança é naturalmente curiosa, sedenta de conhecimento e experiência, e ficar cara a cara com...
Na civilização humana, em todos os tempos as gesticulações passaram a simbolizar determinados comportamentos e construir significados diversos para cada sociedade e para cada povo. Gestos humanos servem tanto para simbolizar comportamentos positivos, bem como...
https://www.novoeste.com/uploads/image/artigos_gaudencio-torquato_jornalista-professor-usp-consultor-politico.jpgHoje, tomo a liberdade de fazer uma reflexão sobre a vida. Valho-me, inicialmente, de Sêneca com seu puxão de orelhas: “somos gerados para uma curta existência.  A vida é breve e a arte é longa. Está errado. Não dispomos de pouco tempo, mas desperdiçamos muito. A vida é longa...
A presidenta do Instituto Justiça Fiscal aponta o falso dilema para a escolha eleitoral de 2022 e indica as fontes de custeio para vencer o quadro desolador de fragilidade da maioria do povo brasileiro. A próxima eleição, se ocorrer, certamente exigirá muito de nós. Mas não será uma escolha difícil. Para começar, terceira via não existe! Ou melhor: existe, em Bolsonaro. Este, que pode parecer insano, sádico, intratável, joga o jogo e...
A Constituição Cidadã erigiu a dignidade da pessoa humana como seu fundamento, ao lado da soberania, cidadania, valores sociais do trabalho e da livre iniciativa e o pluralismo político. Trata-se, portanto, de um dos pilares que legitimam o Estado Social e Democrático que fundou....
img
img
img
PUBLICAÇÕES RECENTES
img




img



img
img
img
CASAS img LOTES img FAZENDAS
img
CHÁCARAS img PRÉDIOS COMERCIAIS img GALPÕES
img
RSS  Dicas de Leitura Dicas de leitura
img
Ambientado em uma comunidade japonesa de São Paulo, lançamento ficcional da escritora Juliana Marinho promove o poder da música como intervenção para cura de doenças. A musicoterapia, união da arte e saúde em busca da reabilitação ou promoção do bem-estar, é a responsável...
Por meio da personagem Malu, as escritoras e letrólogas paulistas Nanda Mateus e Raphaela Comisso dialogam com as crianças sobre diversidade familiar e desmistificam a homoparentalidade. Nanda Mateus trabalha com educação e inovação em tecnologias para...
Existem músicas para os momentos felizes, tristes e até aquelas que marcam datas especiais, mas para Melody King é diferente: as canções são uma consequência — infelizmente incontrolável — de uma rara doença. As dificuldades em lidar com as embaraçosas situações,...
img
img
RSS  Top Vdeos Top Vídeos
img
Thumbnail
img
img
img
RSS  Classificados Classificados
img
img
img



RSS GOOGLE + YOUTUBE TWITTER FACEBOOK