Novoeste on-line - Onde o Oeste da Bahia é Notícia
> Principal > Artigos > Pauta Livre > Reforma 500 anos: A trajetória brasileira
 
Reforma 500 anos: A trajetória brasileira
11/11/2017 as 11:41 h  Autor Pastor Luiz Sayão  Imprimir Imprimir
O panorama religioso brasileiro mudou radicalmente. A religião dominante perdeu espaço, minorias como os sem-religião, espíritas e evangélicos têm crescido no Brasil. Os pentecostais e neopentecostais cresceram de modo surpreendente. Os herdeiros da Reforma Protestante, os evangélicos, eram cerca de 13% da população em 1991, chegaram a 22% em 2010 e atingem 32% hoje (Datafolha). São mais de 60 milhões de pessoas.
 
A Reforma, que mudou a história da Europa, foi um retorno à Bíblia. Sola Scriptura foi o grito de Lutero, acompanhado por Calvino, Zuínglio e muitos outros. As mudanças socioculturais, econômicas e teológicas decorrentes do Protestantismo reescreveram a trajetória de diversos povos e lhes deu nova identidade.  Os contornos teológicos do fim da Idade Média exigiam uma releitura da cristandade europeia a partir de suas origens. Os reformadores, luteranos, anglicanos, calvinistas e anabatistas, esboçaram uma caminhada em direção ao cristianismo primitivo, à busca da exegese bíblica, à compreensão da graça divina e da salvação, à liberdade de consciência.
 
O primeiro culto protestante das Américas aconteceu no Rio de Janeiro (1557). Com a Constituição de 1824 e a entrada de imigrantes alemães e suíços, luteranos e reformados chegaram ao país. Mas, só tiveram influência decisiva na formação religiosa dos imigrantes e seus descendentes. Paralelamente, os ingleses que aqui viviam tiveram liberdade de praticarem o anglicanismo. O protestantismo missionário chegou mais tarde: congregacionais (1855), presbiterianos (1859), metodistas (1867) e batistas (1871).
 
Tradicionalmente agentes da modernidade e secularização, nossos protestantes não se alinharam com a cultura brasileira. Com herança puritana, espiritualidade petista e ênfase no indivíduo, a nova fé via a tradição católica como atraso e pobreza. A fé protestante valorizava o trabalho, a repressão das paixões, a intelectualidade produtiva e a tranquilidade econômica da posteridade. As características desse protestantismo missionário podem ser assim resumidas:

Doutrinária. Ênfase na autoridade da Bíblia em oposição à tradição, crença na salvação individual pela graça e pela fé e não em obras e sacramentos, intermediação única de Cristo entre Deus e o homem em oposição à intercessão de Maria, dos santos etc.

Culto. Abolição de ícones no culto, centralidade da pregação, valorização da atuação dos leigos, proselitismo (conversão), negação do mundo e repressão das paixões (santificação), maior participação dos membros no culto.
 
A enorme extensão do país e a falta de sacerdotes romanos marcaram a dificuldade católica de cuidar de seus fiéis, membros de uma fé diversificada. Como notou Gilberto Freyre, os portugueses tinham uma divisão de personalidade, acostumados com diferenças raciais e religiosas que marcaram sua história. No caso do Brasil caboclo e mulato, a flexibilidade e convivência com a contradição se tornaram uma realidade. As ideias liberais e positivistas, aliadas à influência maçônica, presentes na elite permitiram maior liberdade religiosa no país. Assim, os protestantes começaram a evangelização para converter os católicos à nova fé. Distribuindo Bíblias, realizando cultos vivos, usando leigos nas pregações, nas escolas dominicais e numa estrutura de igreja marcada pela ampla participação dos fiéis, os protestantes iniciaram com sucesso sua empreitada no país.
 
A tropicalização desse protestantismo é uma experiência única. Trata-se de uma igreja muito recente, em busca de sua identidade e caminho. Em parte, é uma expressão de progresso e desenvolvimento social, em parte é retrógrada e obscurantista. Seu perfil mais popular se afasta de suas raízes e mostra-se cheio de misticismo, marcados por experiências existenciais e espirituais frágeis e pré-modernas. O que será do Protestantismo Brasileiro, o movimento evangélico? Se não é fácil entender nosso Brasil, mais difícil será compreender nossa igreja evangélica. Qualquer previsão sobre o futuro é temerária. Que Deus nos ajude e nos abençoe.
 
Luiz Sayão é pastor, teólogo e hebraísta da Igreja Batista Nações Unidas (São Paulo-SP)

Comente via Facebook
Mais Artigos
No h comentrios.
img
img
RSS  Artigos Artigos

O escritor foi e ainda é, para as crianças que estão começando a descortinar o infinito horizonte da palavra, algo inatingível, meio mágico, talvez mítico.Isso, dito por elas mesmas. A criança é naturalmente curiosa, sedenta de conhecimento e experiência, e ficar cara a cara com...
Na civilização humana, em todos os tempos as gesticulações passaram a simbolizar determinados comportamentos e construir significados diversos para cada sociedade e para cada povo. Gestos humanos servem tanto para simbolizar comportamentos positivos, bem como...
https://www.novoeste.com/uploads/image/artigos_gaudencio-torquato_jornalista-professor-usp-consultor-politico.jpgHoje, tomo a liberdade de fazer uma reflexão sobre a vida. Valho-me, inicialmente, de Sêneca com seu puxão de orelhas: “somos gerados para uma curta existência.  A vida é breve e a arte é longa. Está errado. Não dispomos de pouco tempo, mas desperdiçamos muito. A vida é longa...
A presidenta do Instituto Justiça Fiscal aponta o falso dilema para a escolha eleitoral de 2022 e indica as fontes de custeio para vencer o quadro desolador de fragilidade da maioria do povo brasileiro. A próxima eleição, se ocorrer, certamente exigirá muito de nós. Mas não será uma escolha difícil. Para começar, terceira via não existe! Ou melhor: existe, em Bolsonaro. Este, que pode parecer insano, sádico, intratável, joga o jogo e...
A Constituição Cidadã erigiu a dignidade da pessoa humana como seu fundamento, ao lado da soberania, cidadania, valores sociais do trabalho e da livre iniciativa e o pluralismo político. Trata-se, portanto, de um dos pilares que legitimam o Estado Social e Democrático que fundou....
img
img
img
PUBLICAÇÕES RECENTES
img




img



img
img
img
CASAS img LOTES img FAZENDAS
img
CHÁCARAS img PRÉDIOS COMERCIAIS img GALPÕES
img
RSS  Dicas de Leitura Dicas de leitura
img
Ambientado em uma comunidade japonesa de São Paulo, lançamento ficcional da escritora Juliana Marinho promove o poder da música como intervenção para cura de doenças. A musicoterapia, união da arte e saúde em busca da reabilitação ou promoção do bem-estar, é a responsável...
Por meio da personagem Malu, as escritoras e letrólogas paulistas Nanda Mateus e Raphaela Comisso dialogam com as crianças sobre diversidade familiar e desmistificam a homoparentalidade. Nanda Mateus trabalha com educação e inovação em tecnologias para...
Existem músicas para os momentos felizes, tristes e até aquelas que marcam datas especiais, mas para Melody King é diferente: as canções são uma consequência — infelizmente incontrolável — de uma rara doença. As dificuldades em lidar com as embaraçosas situações,...
img
img
RSS  Top Vdeos Top Vídeos
img
Thumbnail
img
img
img
RSS  Classificados Classificados
img
img
img



RSS GOOGLE + YOUTUBE TWITTER FACEBOOK