Novoeste on-line - Onde o Oeste da Bahia é Notícia
> Principal > Artigos > Pauta Livre > O Brasil para principiantes
 
O Brasil para principiantes
02/09/2017 as 11:16 h  Autor Carlos Sodré Lanna  Imprimir Imprimir

Cataratas do Iguaçu: a grandiosidade de certos aspectos da natureza brasileira
parece indicar a vocação e a missão providenciais do País
 

Nosso País é a terra do "Deus é brasileiro", do "em se plantando dá", do "amanhã se não chover", onde um misto de sabedoria da vida e esperteza nos ensina desde cedo o segredo para se "quebrar o galho", e para "dar um jeitinho".

É igualmente cenário de contrastes violentos e por vezes até pitorescos. Apesar de tudo somos um povo de boa índole, unido e compreensivo. Tudo isso é mais do que sabido, e vivido pelos brasileiros natos.

Mas o que dizer aos estrangeiros que vêm para cá fixar residência?

Para se adaptarem ao nosso estilo de vida, único em todo o mundo, são grandes e surpreendentes os contratempos que têm enfrentado.

Tempos atrás, um húngaro de nascimento, Peter Kellemen, mudou-se para o Brasil, cuja cidadania adotou. Suas observações, experiências e aventuras descreveu-as num livro: Brasil para principiantes (Editora Civilização Brasileira, Rio, 1961).

Citarei aqui alguns trechos interessantes do mesmo:

"Não se esqueça, meu jovem amigo, de que é preciso se ambientar durante o primeiro ano. Aprenda a julgar os gestos, as meias palavras, os olhares, as insinuações, pois o brasileiro jamais dirá a palavra não" (p. 16).

"No Brasil, desde a infância, as pessoas se acostumam a compreender certos contrastes. Por exemplo, o automóvel contrabandeado só vai a leilão depois de enferrujado e totalmente inutilizado, ao invés de na época, quando está valendo milhões. Edifícios públicos com obras paralisadas em meio à construção, por falta de verba, enquanto outros edifícios públicos recebem o dinheiro necessário para poder iniciar a fundação. Verá moleques sem sapatos, mal alimentados, mas com rádio portátil na mão. Ao lado de moderníssimos supermercados e gigantescas lojas de departamento, verá feiras-livres e vendedores ambulantes. Homens visivelmente pobres, de tamanco, possuindo milhões e outros, gastando milhões, sem possuir um par de tamancos. Aprenderá que as placas: Estacionamento proibido, Não fume ou Entrada Proibida -são apenas adornos coloridos para enfeitar a cidade” (p.141).

"Saiba que o Brasil não tem estradas como as da Alemanha, nem a riqueza dos americanos... Mas o que importa? Se você não compreender que o povo brasileiro é diferente e, tem um caráter humano não dominado por leis ou parágrafos, nunca o entenderá.

"Quero ainda confessar uma coisa: todo estrangeiro não quer parecer estrangeiro. Isto é uma coisa difícil de realizar, pois além da aparência, que mostra logo a sua origem estrangeira, basta o sujeito abrir a boca e todo o mundo percebe que se trata de alguém de outra nacionalidade.

"O caráter desse país (se é que uma Nação possa ter caráter) é cheio de contrastes, beleza, sinceridade, um pouco de infantilidade, mistério, insubmisso, de personalidade marcante. Não tente modificá-lo. É impossível e desnecessário. Ao contrário, aprenda a gostar de seus contrastes e assim você será mais sábio e muito mais feliz” (p. 142).

Em suas descrições sobre as coisas do Brasil, Kellemen fala da viagem de avião, a chegada na alfândega, estadia em um hotel, meios de transporte nas cidades, um país de milhões de médicos, economia, indústria, comércio, política e da laboriosa classe dos estrangeiros.

No entanto, convém dizer que o livro apresenta uma visão unilateral do brasileiro, considerado de modo exagerado e caricato, generalizando os defeitos do "jeitinho", como malandragem, relativismo, os quais são encarados de modo simpático, como algo quase folclórico.

O "jeitinho" brasileiro – como a palavra "saudade" não tem tradução para nenhum outro idioma –– tem muito de inteligência e sagacidade, mas a ela se acrescentou uma camada de defeitos.

Apoiar na totalidade a visão que autor formou do Brasil e dos brasileiro: seria ver nossa Pátria como uma terra de espertezas e pequenos expedientes, portanto negar a vocação e a missão providenciais do País. Embora se deva reconhecer que ele apanhou bem certos aspectos, como flexibilidade de espírito em contraposição à rigidez e ao "espírito geométrico" que caracterizam outros povos.

Não resta dúvida de que o tão decantado "jeitinho" é um valor do Brasil:

Mas ele será um mero expediente prático se não estiver a serviço de um povo que sabe voar nos grandes horizontes do pensamento, da ação e dos planos Deus a serem aqui realizados.
 
Carlos Sodré Lanna é colaborador da Abim.    
Fonte: Agência Boa Imprensa – (ABIM)

Comente via Facebook
Mais Artigos
No h comentrios.
img
img
RSS  Artigos Artigos

Embora pensada para se opor à polarização entre direita e esquerda nas eleições presidenciais, a candidatura de terceira via, se ocorrer, favorecerá Lula e atrapalhará Bolsonaro. Por natureza, o eleitorado de esquerda comparece incondicionalmente às urnas e vota no candidato da tendência, mesmo...
Em evento de filiação ao Podemos e com discurso político, Sérgio Moro traz à tona sentimentos e projeções variadas acerca de seus objetivos políticos. Símbolo maior da Operação Lava Jato quando juiz, superministro do Governo Bolsonaro, trabalhador da iniciativa privada nos EUA, enfim, uma trajetória já assaz atribulada nos últimos anos e, agora, uma pré-candidatura, ao que tudo indica para a Presidência, em 2022, mas não...
O partido que desfralda a bandeira da socialdemocracia e adota um tucano como símbolo, o PSDB, está em frangalhos. Quando foi criado em 1988 era a esperança de o país pela trilha de uma nova política, amparada no conceito do Estado comprometido com o bem estar social e aberto aos...
O cipoal de leis que restringe a liberdade individual deve ser censurado. Característica principal dos sistemas socialistas anacrônicos e até mesmos dos híbridos, a hegemonia de leis que restringe a liberdade individual vem contaminando o progresso geral. A liberdade é instrumento de construção e de evolução meteórica mais consistente dentro dos sistemas viáveis de construção da sociedade humana. Os dois caminhos experimentados pelas...
A Caridade é o centro gravitacional da consciência ideológica, portanto, educacional, política, social, filosófica, científica, religiosa, artística, esportiva, doméstica e pública do Cidadão Espiritual. Desse modo, se o ser humano não tiver compreensão dela, deve esforçar-se para entendê-la, a fim de...
img
img
img
PUBLICAÇÕES RECENTES
img




img



img
img
img
CASAS img LOTES img FAZENDAS
img
CHÁCARAS img PRÉDIOS COMERCIAIS img GALPÕES
img
RSS  Dicas de Leitura Dicas de leitura
img
Ambientado em uma comunidade japonesa de São Paulo, lançamento ficcional da escritora Juliana Marinho promove o poder da música como intervenção para cura de doenças. A musicoterapia, união da arte e saúde em busca da reabilitação ou promoção do bem-estar, é a responsável...
Por meio da personagem Malu, as escritoras e letrólogas paulistas Nanda Mateus e Raphaela Comisso dialogam com as crianças sobre diversidade familiar e desmistificam a homoparentalidade. Nanda Mateus trabalha com educação e inovação em tecnologias para...
Existem músicas para os momentos felizes, tristes e até aquelas que marcam datas especiais, mas para Melody King é diferente: as canções são uma consequência — infelizmente incontrolável — de uma rara doença. As dificuldades em lidar com as embaraçosas situações,...
img
img
RSS  Top Vdeos Top Vídeos
img
Thumbnail
img
img
img
RSS  Classificados Classificados
img
img
img



RSS GOOGLE + YOUTUBE TWITTER FACEBOOK