Novoeste on-line - Onde o Oeste da Bahia é Notícia
> Principal > Artigos > Pauta Livre > O Brasil, as raposas e o galinheiro
 
O Brasil, as raposas e o galinheiro
04/07/2017 as 15:10 h  Autor Tenente Dirceu Cardoso Gon&  Imprimir Imprimir
Todos os dias – ou quase todos – somos surpreendidos por notícias sobre esquemas criminosos cujos participantes desviam a finalidade do dinheiro público, levando-o para o custeio de campanhas eleitorais ou para o puro enriquecimento ilícito. Aquela informação velada de que tudo teria uma propina de 10%, que circulou por anos a fio e era difícil de ser confirmada, agora é fato conhecido e comprovado por milhares de  investigações, inquéritos, processos, delações e até sentenças. São elevadíssimas somas roubadas. Escolas, hospitais, estradas, aeroportos, abastecimento de água e energético e outros serviços custeados ou executados pelos governos e seus prepostos têm sido usados para sustentar a legião de corruptos que ocupam os escaninhos do poder ou gravitam ao seu redor. E o povo, legítimo dono dos recursos resultantes de impostos e serviços superfaturados, além de pagar caro, não é atendido. A degradação é tanta que até membros de tribunais de contas já foram presos, considerável parcela do Congresso Nacional é investigada (alguns congressistas já são processados e outros presos) e até o presidente da República é denunciado e seus antecessores processados.

É surreal o quadro formado pela crônica dos detentores do poder nas diferentes esferas. Os malfeitos já conhecidos e aqueles que ainda virão a público com o avançar das investigações, principalmente as delações onde um envolvido revela a identidade de seus comparsas, mostram um Brasil doente. Mesmo assim, a economia, quando não é (ou é menos) atingida pelos esquemas de corrupção, dá sinais de recuperação. Precisamos de reformas. Mas não o simples tirar de direitos dos trabalhadores, o nada fazer sobre os grandes devedores e o deixar inalterados os elevados gastos governamentais e os privilégios de poucos que, cortados, poderiam resolver os problemas de muitos.

Mais do que qualquer alteração setorial, como as que se têm proposto, o país necessita de uma reforma conceitual. O bem público, hoje negligenciado e sob a guarda de corruptos, tem de receber controles eficientes e compartilhados entre diferentes entes, onde um impossibilite que o outro cometa irregularidades. A União, os estados e os municípios têm de operar sob rígidos controles. A máquina pública tem de ser reforçada e tornar-se eficiente para atender as demandas e administrar o erário, sem que os políticos, ocupantes de caros eletivos ou nomeados por estes, tenham acesso direto ao cofre. A estes deve ser reservada apenas a tarefa política. Para colocar a mão no dinheiro, tem de ser servidor de carreira, com formação, concursado e compromissado  para essa finalidade com regras que, não cumpridas, possam custar a carreira, o patrimônio e a estabilidade profissional e pessoal. Não podemos continuar no atual sistema, onde o que vigora é a popular figura da raposa administrando o galinheiro...
 



Tenente Dirceu Cardoso Gonçalves
- dirigente da ASPOMIL (Associação de Assist. Social dos Policiais Militares de São Paulo) - aspomilpm@terra.com.br

Comente via Facebook
Mais Artigos
No h comentrios.
img
img
RSS  Artigos Artigos

O escritor foi e ainda é, para as crianças que estão começando a descortinar o infinito horizonte da palavra, algo inatingível, meio mágico, talvez mítico.Isso, dito por elas mesmas. A criança é naturalmente curiosa, sedenta de conhecimento e experiência, e ficar cara a cara com...
Na civilização humana, em todos os tempos as gesticulações passaram a simbolizar determinados comportamentos e construir significados diversos para cada sociedade e para cada povo. Gestos humanos servem tanto para simbolizar comportamentos positivos, bem como...
https://www.novoeste.com/uploads/image/artigos_gaudencio-torquato_jornalista-professor-usp-consultor-politico.jpgHoje, tomo a liberdade de fazer uma reflexão sobre a vida. Valho-me, inicialmente, de Sêneca com seu puxão de orelhas: “somos gerados para uma curta existência.  A vida é breve e a arte é longa. Está errado. Não dispomos de pouco tempo, mas desperdiçamos muito. A vida é longa...
A presidenta do Instituto Justiça Fiscal aponta o falso dilema para a escolha eleitoral de 2022 e indica as fontes de custeio para vencer o quadro desolador de fragilidade da maioria do povo brasileiro. A próxima eleição, se ocorrer, certamente exigirá muito de nós. Mas não será uma escolha difícil. Para começar, terceira via não existe! Ou melhor: existe, em Bolsonaro. Este, que pode parecer insano, sádico, intratável, joga o jogo e...
A Constituição Cidadã erigiu a dignidade da pessoa humana como seu fundamento, ao lado da soberania, cidadania, valores sociais do trabalho e da livre iniciativa e o pluralismo político. Trata-se, portanto, de um dos pilares que legitimam o Estado Social e Democrático que fundou....
img
img
img
PUBLICAÇÕES RECENTES
img




img



img
img
img
CASAS img LOTES img FAZENDAS
img
CHÁCARAS img PRÉDIOS COMERCIAIS img GALPÕES
img
RSS  Dicas de Leitura Dicas de leitura
img
Ambientado em uma comunidade japonesa de São Paulo, lançamento ficcional da escritora Juliana Marinho promove o poder da música como intervenção para cura de doenças. A musicoterapia, união da arte e saúde em busca da reabilitação ou promoção do bem-estar, é a responsável...
Por meio da personagem Malu, as escritoras e letrólogas paulistas Nanda Mateus e Raphaela Comisso dialogam com as crianças sobre diversidade familiar e desmistificam a homoparentalidade. Nanda Mateus trabalha com educação e inovação em tecnologias para...
Existem músicas para os momentos felizes, tristes e até aquelas que marcam datas especiais, mas para Melody King é diferente: as canções são uma consequência — infelizmente incontrolável — de uma rara doença. As dificuldades em lidar com as embaraçosas situações,...
img
img
RSS  Top Vdeos Top Vídeos
img
Thumbnail
img
img
img
RSS  Classificados Classificados
img
img
img



RSS GOOGLE + YOUTUBE TWITTER FACEBOOK