Novoeste on-line - Onde o Oeste da Bahia é Notícia
> Principal > Artigos > Pauta Livre > O colapso mundial do populismo
 
O colapso mundial do populismo
20/03/2017 as 14:13 h  Autor Amadeu Roberto Garrido de Paul  Imprimir Imprimir
Populismo é política aparentemente correta. Os excluídos recebem determinados apoios que os tornarão incluídos. O governante sabe que as políticas alardeadas não tem base estrutural. Portanto, têm prazo certo. Um dia seu desabamento dará lugar a frustrações.

Não é projeto de assentamento da coisa pública em terreno sólido, duradouro. Regra geral, vem acompanhado de nacionalismo xenófobo e pretensa superioridade dos naturais da terra sobre outros povos. Sua essência são discursos demagógicos. Seu corolário é a facilidade de soluções de problemas complexos, simplificados e atribuídos à "falta de vontade política". O populismo é conservador, porquanto não enfrenta as estruturas que devem ser modificadas. A mentira é sua ferramenta diária. Tende, consequentemente, a implodir.
                                                                      
"Como soa falso na libré de Petain um socialismo dirigido por Laval, como é ridícula a "história proletária" de Mussolini", disse Oswald de Andrade.
 
Pode, pois, provir dos rótulos de esquerda e de direita. No caso do lulopetismo, veio de um partido dito de esquerda, nascido no chão da fábrica, mas cuja maioria dos eleitores tinha - e tem - pensamentos típicos de direita, como o de se equiparar às "elites" que os oprimem.

Valeu-se o metalúrgico e a sucessora de um momento mundial propício à nossa geopolítica. Políticas assistencialistas como o bolsa família e minha casa minha vida, levaram muitos de seus adeptos e o povo a crer numa libertadora política assistencialista. As liberalidades escolares foram disponibilizadas, em ordem a se crer que um número muito maior de jovens era educado, inclusive por cursos superiores. Estes foram criados sob uma visão estritamente quantitativa, o que, é última análise, uma das mentiras institucionais do populismo. Cursa-se uma faculdade e ganha-se um diploma, que não expressa a verdade dos conhecimentos necessários, o que é simplesmente trágico. O povo não receberá serviços adequados desses profissionais e os pseudo doutores, em muito pouco tempo, verão que foram metidos numa enrascada. Dá-se valor superior a considerações ideológicas em contraste com a meritocracia. Sem compromisso com o conhecimento profundo e meritório, não há pais que possa crescer e ser considerado no plano mundial.

O populismo no Brasil, acima posto em apertada síntese, já vazou suas águas. A queda no real, sorte inevitável de todos os populismos, teve um impacto mortífero: a jamais vista crise generalizada da sociedade brasileira Mas, como é de regra dialética da história, o populismo não mata. É cíclico e capaz de fomentar uma estrela nova, destinada a substituir a estrela anã, que brilhou intensamente ao anunciar sua morte.

Às avessas, vem o populismo de direita de Trump, que, num país bem edificado, já em seu início tromba com um judiciário muito bem preparado e sério. Pela segunda vez já recebe um "chega pra lá" na política relativa aos imigrantes. Imigrantes não fazem e não farão parte de seu povo, foi sua última declaração. É hilário quanto à questão do homem e do cidadão nacional. Aquele desmerece qualquer consideração. Ele foi eleito para cuidar de seus cidadãos, e toda política democrática que ultrapasse suas fronteiras é inimiga. Valoriza mais a Otan que a ONU, conforme anunciou, com sua hilaridade e criancice próprias de um mal psíquico a ser diagnosticado.  Como se, quando a globalização já se consolidou, os Estados Unidos pudessem ficar isolados, em poder de mando, num altiplano inacessível. O mesmo raciocínio dos imperadores romanos, que caminharam para seu declínio e queda do império, tão bem descritos por Edward Gibbon. O populismo oriundo da direita.

Cremos, em conclusão, na superação dos populismos e de suas consequentes crises, neste século que não tem mais lugar a guerras mundiais, com sofrimentos inevitáveis dos povos nesses contextos, mas, pela experiência do contrário, em aperfeiçoamento da política, que a torne instrumento eficiente e capaz de organizar convenientemente as sociedades.

Amadeu Roberto Garrido de Paula, é Advogado e sócio do Escritório Garrido de Paula Advogados, com uma ampla visão sobre política, economia, cenário sindical e assuntos internacionais.

Comente via Facebook
Mais Artigos
No h comentrios.
img
img
RSS  Artigos Artigos

Embora pensada para se opor à polarização entre direita e esquerda nas eleições presidenciais, a candidatura de terceira via, se ocorrer, favorecerá Lula e atrapalhará Bolsonaro. Por natureza, o eleitorado de esquerda comparece incondicionalmente às urnas e vota no candidato da tendência, mesmo...
Em evento de filiação ao Podemos e com discurso político, Sérgio Moro traz à tona sentimentos e projeções variadas acerca de seus objetivos políticos. Símbolo maior da Operação Lava Jato quando juiz, superministro do Governo Bolsonaro, trabalhador da iniciativa privada nos EUA, enfim, uma trajetória já assaz atribulada nos últimos anos e, agora, uma pré-candidatura, ao que tudo indica para a Presidência, em 2022, mas não...
O partido que desfralda a bandeira da socialdemocracia e adota um tucano como símbolo, o PSDB, está em frangalhos. Quando foi criado em 1988 era a esperança de o país pela trilha de uma nova política, amparada no conceito do Estado comprometido com o bem estar social e aberto aos...
O cipoal de leis que restringe a liberdade individual deve ser censurado. Característica principal dos sistemas socialistas anacrônicos e até mesmos dos híbridos, a hegemonia de leis que restringe a liberdade individual vem contaminando o progresso geral. A liberdade é instrumento de construção e de evolução meteórica mais consistente dentro dos sistemas viáveis de construção da sociedade humana. Os dois caminhos experimentados pelas...
A Caridade é o centro gravitacional da consciência ideológica, portanto, educacional, política, social, filosófica, científica, religiosa, artística, esportiva, doméstica e pública do Cidadão Espiritual. Desse modo, se o ser humano não tiver compreensão dela, deve esforçar-se para entendê-la, a fim de...
img
img
img
PUBLICAÇÕES RECENTES
img




img



img
img
img
CASAS img LOTES img FAZENDAS
img
CHÁCARAS img PRÉDIOS COMERCIAIS img GALPÕES
img
RSS  Dicas de Leitura Dicas de leitura
img
Ambientado em uma comunidade japonesa de São Paulo, lançamento ficcional da escritora Juliana Marinho promove o poder da música como intervenção para cura de doenças. A musicoterapia, união da arte e saúde em busca da reabilitação ou promoção do bem-estar, é a responsável...
Por meio da personagem Malu, as escritoras e letrólogas paulistas Nanda Mateus e Raphaela Comisso dialogam com as crianças sobre diversidade familiar e desmistificam a homoparentalidade. Nanda Mateus trabalha com educação e inovação em tecnologias para...
Existem músicas para os momentos felizes, tristes e até aquelas que marcam datas especiais, mas para Melody King é diferente: as canções são uma consequência — infelizmente incontrolável — de uma rara doença. As dificuldades em lidar com as embaraçosas situações,...
img
img
RSS  Top Vdeos Top Vídeos
img
Thumbnail
img
img
img
RSS  Classificados Classificados
img
img
img



RSS GOOGLE + YOUTUBE TWITTER FACEBOOK