Novoeste on-line - Onde o Oeste da Bahia é Notícia
> Principal > Artigos > Pauta Livre > Com esses ministros não haverá amanhã
 
Com esses ministros não haverá amanhã
12/12/2016 as 15:58 h  Autor Luiz Holanda  Imprimir Imprimir
O Supremo Tribunal Federal (STF), desmoralizado diante da resistência do amotinado senador, Renan Calheiros, ao ignorar a liminar que o apearia do poder, não sabe qual será o seu amanhã.

Entrincheirado em seu gabinete, disparando telefonemas pra tudo quanto é lado, Renan bradava que dali comandaria o motim que iria desmoralizar de vez a mais alta Corte do país. Além de ter se recusado a receber a notificação judicial, humilhou o servidor público que a foi entregar.

Num curto espaço de tempo – praticamente em menos de uma semana -, o decano da Corte, ministro Celso de Mello, justificou o adjetivo que lhe foi imputado pelo falecido advogado Saulo Ramos, em seu livro o Código da Vida.

Esse ministro comandou a divergência à decisão monocrática do seu colega, Marco Aurélio Mello, determinando o afastamento do senador Renan Calheiros da presidência do Senado. O amotinado, acompanhado da maior parte dos integrantes da Mesa Diretora do Senado, não só desafiou a Corte como potencializou uma grave crise entre o Legislativo e o Judiciário.

Ao se recusar a cumprir a ordem do Supremo, Renan, agora chamado de REINAN, demonstrou força e prestígio, ao ponto de conseguir que o Supremo se curvasse diante de seus interesses.

Jamais na história deste país se viu nada igual. Graças ao verborrágico voto do ministro Celso de Mello, proferido no juridiquês que o caracteriza, Renan, réu em um processo penal no STF e respondendo a outros 11 inquéritos, conseguiu desmoralizar essa Corte permanecendo no cargo, tudo em nome de uma ilusória justificativa de que seu afastamento poderia atrasar as propostas de emendas constitucionais apresentadas pelo governo para fazer o Brasil sair da crise.

O resultado do julgamento foi acertado antes, às 6h25m de quarta-feira passada, entre o presidente da República, Michel Temer e os ministros do STF, à frente a sua enfraquecida presidente, ministra Carmen Lúcia. Realmente, a votação deu-se justamente como foi combinado: Celso de Mello apresentaria o voto pró-Renan seguido por Dias Toffoli, Ricardo Lewandowski, Teori Zavascki e Luiz Fux, que já beijou a mão de Renan quando percorreu o “caminho do beija-mão”, conforme se deduz das suas declarações.

A ministra Carmen Lúcia fez questão de expressar o seu humilde voto, embora não precisasse. Sua excelência é uma pessoa honesta, mas isso é pouco para dirigir uma Corte acusada de não o ser.

O ministro Marco Aurélio, tendo conhecimento prévio do desmoralizante acordo para blindar Renan, fez questão de indagar (não perante o Supremo, mas perante a História), “A que custo será implementada essa blindagem pessoal, inusitada e desmoralizante, em termos de pronunciamento judicial?”

Essa decisão esdrúxula de deixar Renan na presidência mas fora da linha sucessória, só podia sair da cabeça de um Celso de Mello, que pouco se importa com a dignidade da corte que integra, principalmente diante da reação do senador, que deverá, na ocasião, substituir o presidente da República porque é assim que está na Constituição, queira ou não o STF.

Como disse um comentarista, os ministros do STF demonstraram o que já se imaginava: “Eles têm o rabo preso com o coronel das Alagoas”. Não é sem razão, pois, que os 11 inquéritos contra Renan estejam adormecidos naquela Corte. E o único que virou processo, ninguém perde por esperar, foi apenas pro forma.

Ao afirmar que receava muito pelo amanhã caso prevalecesse a visão acomodadora dando-se o certo pelo errado e o dito pelo não dito, Marco Aurélio cometeu apenas um erro: é que, com esses ministros, não haverá amanhã para o STF.





Luiz Holanda
é advogado e professor universitário.

Comente via Facebook
Mais Artigos
No h comentrios.
img
img
RSS  Artigos Artigos

Embora pensada para se opor à polarização entre direita e esquerda nas eleições presidenciais, a candidatura de terceira via, se ocorrer, favorecerá Lula e atrapalhará Bolsonaro. Por natureza, o eleitorado de esquerda comparece incondicionalmente às urnas e vota no candidato da tendência, mesmo...
Em evento de filiação ao Podemos e com discurso político, Sérgio Moro traz à tona sentimentos e projeções variadas acerca de seus objetivos políticos. Símbolo maior da Operação Lava Jato quando juiz, superministro do Governo Bolsonaro, trabalhador da iniciativa privada nos EUA, enfim, uma trajetória já assaz atribulada nos últimos anos e, agora, uma pré-candidatura, ao que tudo indica para a Presidência, em 2022, mas não...
O partido que desfralda a bandeira da socialdemocracia e adota um tucano como símbolo, o PSDB, está em frangalhos. Quando foi criado em 1988 era a esperança de o país pela trilha de uma nova política, amparada no conceito do Estado comprometido com o bem estar social e aberto aos...
O cipoal de leis que restringe a liberdade individual deve ser censurado. Característica principal dos sistemas socialistas anacrônicos e até mesmos dos híbridos, a hegemonia de leis que restringe a liberdade individual vem contaminando o progresso geral. A liberdade é instrumento de construção e de evolução meteórica mais consistente dentro dos sistemas viáveis de construção da sociedade humana. Os dois caminhos experimentados pelas...
A Caridade é o centro gravitacional da consciência ideológica, portanto, educacional, política, social, filosófica, científica, religiosa, artística, esportiva, doméstica e pública do Cidadão Espiritual. Desse modo, se o ser humano não tiver compreensão dela, deve esforçar-se para entendê-la, a fim de...
img
img
img
PUBLICAÇÕES RECENTES
img




img



img
img
img
CASAS img LOTES img FAZENDAS
img
CHÁCARAS img PRÉDIOS COMERCIAIS img GALPÕES
img
RSS  Dicas de Leitura Dicas de leitura
img
Ambientado em uma comunidade japonesa de São Paulo, lançamento ficcional da escritora Juliana Marinho promove o poder da música como intervenção para cura de doenças. A musicoterapia, união da arte e saúde em busca da reabilitação ou promoção do bem-estar, é a responsável...
Por meio da personagem Malu, as escritoras e letrólogas paulistas Nanda Mateus e Raphaela Comisso dialogam com as crianças sobre diversidade familiar e desmistificam a homoparentalidade. Nanda Mateus trabalha com educação e inovação em tecnologias para...
Existem músicas para os momentos felizes, tristes e até aquelas que marcam datas especiais, mas para Melody King é diferente: as canções são uma consequência — infelizmente incontrolável — de uma rara doença. As dificuldades em lidar com as embaraçosas situações,...
img
img
RSS  Top Vdeos Top Vídeos
img
Thumbnail
img
img
img
RSS  Classificados Classificados
img
img
img



RSS GOOGLE + YOUTUBE TWITTER FACEBOOK