Novoeste on-line - Onde o Oeste da Bahia é Notícia
> Principal > Artigos > Pauta Livre > Dinheiro vai rolar solto nessa campanha eleitoral
 
Dinheiro vai rolar solto nessa campanha eleitoral
18/08/2016 as 15:45 h  Autor Genaldo de Melo  Imprimir Imprimir
O instituto ilícito das doações para campanhas eleitorais realizadas via caixa-dois jamais vai acabar no país, como rezam alguns papagaios que defendem a tese de que com as novas regras de financiamento que não permitem a participação de empresários no processo, definitivamente sepulta-se essa idéia. Com essa minirreforma eleitoral pobre e carente de seriedade vai acontecer exatamente o contrário, vai aumentar o caixa-dois.

Exatamente por não permitir a participação legal dos grandes empresários, interessados em participar das licitações públicas, no financiamento de seus amigos, é que se cria “esotericamente” o instrumento de caixa-dois! O próprio Michel Temer, presidente interino, falou disso na entrevista ao Valor Econômico quando disse “Ainda hoje, quando não há a menor possibilidade de pessoa jurídica (doar dinheiro para campanha) eles vêm me perguntar como vão colaborar...

É preciso ter muita resistência à raciocínio, ou acreditar demais na inocência de justos que ouvem rádio e televisão no Brasil, de que vai se acabar com financiamento eleitoral via caixa-dois nas condições atuais. Provavelmente nesse exato momento, orientados por bons assessores muitos empresários já estejam retirando dinheiro vivo de suas contas para bancar campanhas de muitos amigos políticos na condição de candidatos à chefes de executivos, que devem ter extensas listas de candidatos à vereadores, que precisam ganhar as eleições para se manter grupos fechados nas máquinas administrativas, sem grandes oposições.

Seria ingenuidade além dos limites, acreditar que em municípios como Feira de Santana, em torno de 400 mil eleitores uma campanha para prefeito custasse somente cerca de R$ 1,6 milhão. Gastar esses valores numa eleição de prefeito, e gastar em torno de R$ 60 mil para vereadores em cidades desse porte, é querer que eu espere meu presente de papai-noel no natal, ou correr atrás de coelhinho da páscoa!

Nas condições em que foi feita a minirreforma eleitoral não existem fundamentos nenhum para dúvidas, que quem vai beneficiar-se com caixa-dois vão ser os indivíduos e os grupos que sempre se beneficiaram, pois não se mudou nada.

Vão continuar ganhando licitações públicas os mesmos empresários, vão continuar ganhando eleições os mesmos canalhas, que mais escondidos ainda vão criar mecanismos secretos de financiamento em caixa-dois. A única forma de se acabar com esse instituto ilícito seria proibir as próprias campanhas eleitorais tais como acontecem, com gastanças infindas de estruturas de campanhas, em que muitas das vezes em algumas se gastam mais dinheiro do que em prestação de serviços para a população ou em obras públicas de infra-estrutura.

Nas condições atuais dizer que o instituto ilícito do caixa-dois vai acabar é iludir o cidadão de bem que ainda acredita que alguns homens públicos se redimem apenas com palavras. Meras palavras...!

Por Genaldo de Melo
genaldo40.blogspot.com

Comente via Facebook
Mais Artigos
No h comentrios.
img
img
RSS  Artigos Artigos

Embora pensada para se opor à polarização entre direita e esquerda nas eleições presidenciais, a candidatura de terceira via, se ocorrer, favorecerá Lula e atrapalhará Bolsonaro. Por natureza, o eleitorado de esquerda comparece incondicionalmente às urnas e vota no candidato da tendência, mesmo...
Em evento de filiação ao Podemos e com discurso político, Sérgio Moro traz à tona sentimentos e projeções variadas acerca de seus objetivos políticos. Símbolo maior da Operação Lava Jato quando juiz, superministro do Governo Bolsonaro, trabalhador da iniciativa privada nos EUA, enfim, uma trajetória já assaz atribulada nos últimos anos e, agora, uma pré-candidatura, ao que tudo indica para a Presidência, em 2022, mas não...
O partido que desfralda a bandeira da socialdemocracia e adota um tucano como símbolo, o PSDB, está em frangalhos. Quando foi criado em 1988 era a esperança de o país pela trilha de uma nova política, amparada no conceito do Estado comprometido com o bem estar social e aberto aos...
O cipoal de leis que restringe a liberdade individual deve ser censurado. Característica principal dos sistemas socialistas anacrônicos e até mesmos dos híbridos, a hegemonia de leis que restringe a liberdade individual vem contaminando o progresso geral. A liberdade é instrumento de construção e de evolução meteórica mais consistente dentro dos sistemas viáveis de construção da sociedade humana. Os dois caminhos experimentados pelas...
A Caridade é o centro gravitacional da consciência ideológica, portanto, educacional, política, social, filosófica, científica, religiosa, artística, esportiva, doméstica e pública do Cidadão Espiritual. Desse modo, se o ser humano não tiver compreensão dela, deve esforçar-se para entendê-la, a fim de...
img
img
img
PUBLICAÇÕES RECENTES
img




img



img
img
img
CASAS img LOTES img FAZENDAS
img
CHÁCARAS img PRÉDIOS COMERCIAIS img GALPÕES
img
RSS  Dicas de Leitura Dicas de leitura
img
Ambientado em uma comunidade japonesa de São Paulo, lançamento ficcional da escritora Juliana Marinho promove o poder da música como intervenção para cura de doenças. A musicoterapia, união da arte e saúde em busca da reabilitação ou promoção do bem-estar, é a responsável...
Por meio da personagem Malu, as escritoras e letrólogas paulistas Nanda Mateus e Raphaela Comisso dialogam com as crianças sobre diversidade familiar e desmistificam a homoparentalidade. Nanda Mateus trabalha com educação e inovação em tecnologias para...
Existem músicas para os momentos felizes, tristes e até aquelas que marcam datas especiais, mas para Melody King é diferente: as canções são uma consequência — infelizmente incontrolável — de uma rara doença. As dificuldades em lidar com as embaraçosas situações,...
img
img
RSS  Top Vdeos Top Vídeos
img
Thumbnail
img
img
img
RSS  Classificados Classificados
img
img
img



RSS GOOGLE + YOUTUBE TWITTER FACEBOOK