Novoeste on-line - Onde o Oeste da Bahia é Notícia
> Principal > Artigos > Pauta Livre > Contra as pedaladas municipais
 
Contra as pedaladas municipais
13/07/2016 as 11:20 h  Autor Tenente Dirceu Cardoso Gon&cce  Imprimir Imprimir
De que são constituídas as receitas municipais? As prefeituras vivem dos repasses da União e do Estado e das receitas próprias (impostos que arrecada diretamente da população). Para a maioria delas, as principais fontes de receita estão no federal FPM (Fundo de Participação dos Municípios) no estadual ICMS, resultantes dos impostos arrecadados pelas esferas superiores de governo, que distribuem uma parte de acordo com população, atividade econômica e outros indicadores de cada localidade. Quanto menor o município, mais dependente ele é das receitas do FPM e do ICMS. O montante dessas parcelas vem caindo significativamente em razão da redução da atividade econômica. Já existem prefeituras com dificuldade até para pagar os salários do funcionalismo.

O desaquecimento da economia leva a crise a todos os níveis. Nas prefeituras, além da redução do FPM e do ICMS, verifica-se também a diminuição das receitas próprias. Contribuintes atrasam o IPTU, o ISS (Imposto Sobre Serviços) encolhe porque presta-se menos serviços tributáveis e, com a retração do mercado imobiliário, também diminuem as receitas da transação de imóveis. Da mesma forma que a União precisa reequilibrar suas contas e os Estados lutam para renegociar as dívidas, os municípios têm problemas para resolver.

A grande preocupação que se coloca à mesa neste momento é que, nos municípios, entramos em período eleitoral. Os prefeitos de primeiro mandato ainda podem concorrer à reeleição e os de segundo certamente quererão eleger seus sucessores. Seria uma grave distorção se, por conta de atrair o eleitorado, tais administradores transferissem o enfrentamento dos problemas para depois das eleições, programadas para 2 de outubro. Se isso estiver acontecendo, será o mesmo que as pedaladas fiscais que a presidente Dilma Rousseff praticou para reeleger-se em 2014, que hoje constituem um dos motivos de seu afastamento do governo.

A parte mais expressiva do calendário eleitoral está apenas começando. Devemos todos prestar muita atenção sobre o que fazem os administradores municipais. Se as contas estão em dia, se as obrigações administrativas vêm sendo cumpridas e, principalmente, se não estão deixando dívidas que possam desequilibrar e colocar em colapso a administração. As ditas “pedaladas”, que já fizeram um grande mal ao país, não podem se repetir na esfera municipal, sob pena de dentro de alguns meses o funcionalismo penar com atraso de salários e a população sofrer com o caos nos serviços públicos.

A eleição e o propósito de vencê-la não podem ser superiores às obrigações dos prefeitos para com o serviço público e a população. As lideranças da comunidade e os órgãos de fiscalização - Câmara de Vereadores, Ministério Público e outros - devem estar atentas.




Tenente Dirceu Cardoso Gonçalves
- dirigente da ASPOMIL (Associação de Assist. Social dos Policiais Militares de São Paulo) - aspomilpm@terra.com.br

Comente via Facebook
Mais Artigos
No h comentrios.
img
img
RSS  Artigos Artigos

O escritor foi e ainda é, para as crianças que estão começando a descortinar o infinito horizonte da palavra, algo inatingível, meio mágico, talvez mítico.Isso, dito por elas mesmas. A criança é naturalmente curiosa, sedenta de conhecimento e experiência, e ficar cara a cara com...
Na civilização humana, em todos os tempos as gesticulações passaram a simbolizar determinados comportamentos e construir significados diversos para cada sociedade e para cada povo. Gestos humanos servem tanto para simbolizar comportamentos positivos, bem como...
https://www.novoeste.com/uploads/image/artigos_gaudencio-torquato_jornalista-professor-usp-consultor-politico.jpgHoje, tomo a liberdade de fazer uma reflexão sobre a vida. Valho-me, inicialmente, de Sêneca com seu puxão de orelhas: “somos gerados para uma curta existência.  A vida é breve e a arte é longa. Está errado. Não dispomos de pouco tempo, mas desperdiçamos muito. A vida é longa...
A presidenta do Instituto Justiça Fiscal aponta o falso dilema para a escolha eleitoral de 2022 e indica as fontes de custeio para vencer o quadro desolador de fragilidade da maioria do povo brasileiro. A próxima eleição, se ocorrer, certamente exigirá muito de nós. Mas não será uma escolha difícil. Para começar, terceira via não existe! Ou melhor: existe, em Bolsonaro. Este, que pode parecer insano, sádico, intratável, joga o jogo e...
A Constituição Cidadã erigiu a dignidade da pessoa humana como seu fundamento, ao lado da soberania, cidadania, valores sociais do trabalho e da livre iniciativa e o pluralismo político. Trata-se, portanto, de um dos pilares que legitimam o Estado Social e Democrático que fundou....
img
img
img
PUBLICAÇÕES RECENTES
img




img



img
img
img
CASAS img LOTES img FAZENDAS
img
CHÁCARAS img PRÉDIOS COMERCIAIS img GALPÕES
img
RSS  Dicas de Leitura Dicas de leitura
img
Ambientado em uma comunidade japonesa de São Paulo, lançamento ficcional da escritora Juliana Marinho promove o poder da música como intervenção para cura de doenças. A musicoterapia, união da arte e saúde em busca da reabilitação ou promoção do bem-estar, é a responsável...
Por meio da personagem Malu, as escritoras e letrólogas paulistas Nanda Mateus e Raphaela Comisso dialogam com as crianças sobre diversidade familiar e desmistificam a homoparentalidade. Nanda Mateus trabalha com educação e inovação em tecnologias para...
Existem músicas para os momentos felizes, tristes e até aquelas que marcam datas especiais, mas para Melody King é diferente: as canções são uma consequência — infelizmente incontrolável — de uma rara doença. As dificuldades em lidar com as embaraçosas situações,...
img
img
RSS  Top Vdeos Top Vídeos
img
Thumbnail
img
img
img
RSS  Classificados Classificados
img
img
img



RSS GOOGLE + YOUTUBE TWITTER FACEBOOK