Novoeste on-line - Onde o Oeste da Bahia é Notícia
> Principal > Artigos > Pauta Livre > ELEIÇÕES 2016: QUEM QUER SER PREFEITO?
 
ELEIÇÕES 2016: QUEM QUER SER PREFEITO?
06/06/2016 as 14:49 h  Autor Monica Lobenschuss  Imprimir Imprimir
De item de luxo para essencial. Além de um ambiente para discussão, as redes sociais fazem parte do dia a dia dos brasileiros, das empresas e, agora, dos candidatos à prefeitura e câmara dos vereadores. Isto porque a Lei nº 13.165/2015, conhecida como Reforma Eleitoral 2015, promoveu importantes alterações nas regras das eleições deste ano. Entre elas, mudanças nos prazos para as convenções partidárias, filiação, financiamento eleitoral por pessoas jurídicas e a redução do tempo de campanha eleitoral, fundamental para que os inúmeros candidatos e partidos possam se destacar e serem lembrados pelo eleitor.

De 90 para 45 dias, este será o tempo de campanha eleitoral dos candidatos. Já nas propagandas de rádio e TV, o tempo passou de 45 para 35 dias, com início em 26 de agosto, no primeiro turno. Assim, a campanha terá dois blocos no rádio e dois na televisão com 10 minutos cada. Além dos blocos, os partidos terão direito a 70 minutos diários em inserções, que serão distribuídos entre os candidatos a prefeito (60%) e vereadores (40%). Em 2016, essas inserções somente poderão ser de 30 ou 60 segundos cada uma.

Sendo assim, podemos esperar que as redes sociais serão o novo palanque político dessas eleições, assim como foi em 2014 na votação presidencial. O espaço digital será como vitrine político-partidária de cada candidato. Hoje, são 110 milhões de brasileiros com acesso à internet em qualquer ambiente, segundo a Nielsen. Só pelo smartphone, são quase 80 milhões de pessoas com acesso a internet e entre os 20 aplicativos mais utilizados, seis deles são de mídias sociais. Ou seja, esse novo comportamento interfere diretamente no cotidiano das pessoas e, consequentemente, no relacionamento entre políticos e eleitores.

E não irei longe para justificar este notório engajamento das pessoas nas redes sociais. No dia 13 de março de 2016 – quando milhares de pessoas foram às ruas –, com o Scup, ferramenta de monitoramento, foi possível coletar mais de 1 milhão de posts no Twitter e no Instagram sobre as manifestações contra o governo. As hashtags #ForaPT e #ForaDilma tiveram adesão de 27% dos internautas, enquanto 5% aderiram a hashtag #MarchaDasCoxinhas. No Instagram, 98% das menções foram favoráveis à manifestação, no Twitter 136k das menções citaram a Operação Lava Jato, resultando na coleta de 85% das menções nas ferramentas.

Diferentemente das demais eleições, neste ano, quem quiser vencer essa disputa, ao que tudo indica, terá de fazer uma campanha focada em propostas. E não adianta apenas o horário do programa político. Muito menos acreditar que ter site e canal em redes sociais é estar fazendo Marketing Político Digital. Precisará de muito mais. Afinal, o eleitor mudou e a comunicação também. Será preciso repensar o jeito de se fazer campanha política na web. É necessário tirar o foco das ofensas e difamações. É preciso aprender a gerar conteúdo relevante. É vital gerar conteúdo, relacionar-se com os eleitores e inspirar ideias.

E o sucesso será do candidato que atender às necessidades da comunidade, principalmente onde ela não está sendo ouvida, e abordar questões que não estavam sendo tratadas. Apenas com o monitorando das redes sociais será possível traçar estratégias de relacionamento entre a opinião pública, eleitores e políticos. Quem o fizer primeiro, se aproximará do eleitorado e sairá na frente.
 



Monica Lobenschuss
é fundadora da Social Lounge, primeira rede de franquias de mídias sociais do Brasil.

Comente via Facebook
Mais Artigos
No h comentrios.
img
img
RSS  Artigos Artigos

Embora pensada para se opor à polarização entre direita e esquerda nas eleições presidenciais, a candidatura de terceira via, se ocorrer, favorecerá Lula e atrapalhará Bolsonaro. Por natureza, o eleitorado de esquerda comparece incondicionalmente às urnas e vota no candidato da tendência, mesmo...
Em evento de filiação ao Podemos e com discurso político, Sérgio Moro traz à tona sentimentos e projeções variadas acerca de seus objetivos políticos. Símbolo maior da Operação Lava Jato quando juiz, superministro do Governo Bolsonaro, trabalhador da iniciativa privada nos EUA, enfim, uma trajetória já assaz atribulada nos últimos anos e, agora, uma pré-candidatura, ao que tudo indica para a Presidência, em 2022, mas não...
O partido que desfralda a bandeira da socialdemocracia e adota um tucano como símbolo, o PSDB, está em frangalhos. Quando foi criado em 1988 era a esperança de o país pela trilha de uma nova política, amparada no conceito do Estado comprometido com o bem estar social e aberto aos...
O cipoal de leis que restringe a liberdade individual deve ser censurado. Característica principal dos sistemas socialistas anacrônicos e até mesmos dos híbridos, a hegemonia de leis que restringe a liberdade individual vem contaminando o progresso geral. A liberdade é instrumento de construção e de evolução meteórica mais consistente dentro dos sistemas viáveis de construção da sociedade humana. Os dois caminhos experimentados pelas...
A Caridade é o centro gravitacional da consciência ideológica, portanto, educacional, política, social, filosófica, científica, religiosa, artística, esportiva, doméstica e pública do Cidadão Espiritual. Desse modo, se o ser humano não tiver compreensão dela, deve esforçar-se para entendê-la, a fim de...
img
img
img
PUBLICAÇÕES RECENTES
img




img



img
img
img
CASAS img LOTES img FAZENDAS
img
CHÁCARAS img PRÉDIOS COMERCIAIS img GALPÕES
img
RSS  Dicas de Leitura Dicas de leitura
img
Ambientado em uma comunidade japonesa de São Paulo, lançamento ficcional da escritora Juliana Marinho promove o poder da música como intervenção para cura de doenças. A musicoterapia, união da arte e saúde em busca da reabilitação ou promoção do bem-estar, é a responsável...
Por meio da personagem Malu, as escritoras e letrólogas paulistas Nanda Mateus e Raphaela Comisso dialogam com as crianças sobre diversidade familiar e desmistificam a homoparentalidade. Nanda Mateus trabalha com educação e inovação em tecnologias para...
Existem músicas para os momentos felizes, tristes e até aquelas que marcam datas especiais, mas para Melody King é diferente: as canções são uma consequência — infelizmente incontrolável — de uma rara doença. As dificuldades em lidar com as embaraçosas situações,...
img
img
RSS  Top Vdeos Top Vídeos
img
Thumbnail
img
img
img
RSS  Classificados Classificados
img
img
img



RSS GOOGLE + YOUTUBE TWITTER FACEBOOK