Novoeste on-line - Onde o Oeste da Bahia é Notícia
> Principal > Artigos > Pauta Livre > A odiosa exploração política dos jovens
 
A odiosa exploração política dos jovens
12/05/2016 as 16:06 h  Autor Tenente Dirceu Cardoso Gon&cce  Imprimir Imprimir
É tradicional a juventude se exaltar e cometer exageros, assim como há normalidade no seu pendor pela contestação que, em nosso país e em muitas outras partes do mundo levou moças e rapazes a serem cooptados pelas teses das esquerdas alijadas do poder. No entanto, depois da queda do muro de Berlin e do esfacelamento da União Soviética, aquele apelo dito salvador da sociedade tornou-se menor, até inócuo, por algumas razões concretas. Acabou a exportação ideológica do leste europeu, Cuba comunista vive grande crise e países, como o Brasil, tiveram a experiência dos esquerdistas no poder. Logo, não há o ideal a perseguir, principalmente depois da derrocada do governo petista, que deverá receber sua pá de cal com a concretização do impeachment da presidente Dilma Rousseff.

Em seus extertores, o governo lulopetista reage com a patética repetição da tese do “golpe”, bravateia com a afirmativa de que os ditos movimentos sociais “incendiarão” o país e realizam ações pontuais mobilizando jovens para cometer a desobediência civil invadindo escolas, repartições e, agora, em São Paulo, até a sede do Poder Legislativo, templo da cidadania do povo paulista. Há de se ter tolerância com os que pensam diferente, mas isso não os autoriza a cometerem ilegalidades e a se prestarem a objetivos que não os declarados em suas ações.

O Brasil dos últimos 30 anos foi muito condescendente – omisso, para ser mais claro – em relação ao MST e mais recentemente ao MTST, que tumultuam a vida das comunidades e vandalizam o patrimônio público e privado com finalidades político-contestatórias. Em vez de contê-los, governos irresponsáveis os financiam. Não deveriam ser tolerados quando suas ações extrapolam sua finalidade de conseguir terra para reforma agrária ou moradia para seus membros e partem para infernizar a vida daqueles que nada tem a ver com sua luta e nada podem por ela fazer. Da mesma forma, é preciso investigar até onde os estudantes rebelados o fazem por conta própria ou são insuflados por outros interesses. Os infiltrados, se descobertos, têm de ser exemplarmente punidos, pois agem com desonestidade e colocam em risco suas inocentes vítimas e a sociedade. Não defendemos a caça às bruxas, mas separação entre joio e trigo que tanto mal tem feito à sociedade, hoje privada de serviços e direitos em razão de greves intransigências que também se alastram pelo serviço público.

O governo que assumir tem pela frente uma grande e espinhosa tarefa. Além de corrigir os desmandos que naufragaram a economia, não pode abrir mão de desaparelhar o Estado e só reconhecer como movimentos sociais aqueles que agem estritamente dentro de suas finalidades. Aos que se portam como “exércitos” ou fontes incendiárias é preciso aplicar os rigores da lei. Até porque, embora digam defender a democracia, que todos nós almejamos aperfeiçoar, o que eles querem, mesmo, é algo parecido com a falida ditadura do proletariado a que no passado seus líderes e inspiradores tentaram infrutiferamente nos submeter. Nunca é demais lembrar que ao mesmo tempo em que jovens protestam em países capitalistas, os dos países governados pela esquerda, sempre que podem, fogem. Os exemplos mais recentes são os atletas e os médicos cubanos que, pisando fora da ilha, buscam asilo para não mais voltar... 
 



Tenente Dirceu Cardoso Gonçalves - dirigente da ASPOMIL (Associação de Assist. Social dos Policiais Militares de São Paulo) - aspomilpm@terra.com.br                                                                
 

Comente via Facebook
Mais Artigos
No h comentrios.
img
img
RSS  Artigos Artigos

O escritor foi e ainda é, para as crianças que estão começando a descortinar o infinito horizonte da palavra, algo inatingível, meio mágico, talvez mítico.Isso, dito por elas mesmas. A criança é naturalmente curiosa, sedenta de conhecimento e experiência, e ficar cara a cara com...
Na civilização humana, em todos os tempos as gesticulações passaram a simbolizar determinados comportamentos e construir significados diversos para cada sociedade e para cada povo. Gestos humanos servem tanto para simbolizar comportamentos positivos, bem como...
https://www.novoeste.com/uploads/image/artigos_gaudencio-torquato_jornalista-professor-usp-consultor-politico.jpgHoje, tomo a liberdade de fazer uma reflexão sobre a vida. Valho-me, inicialmente, de Sêneca com seu puxão de orelhas: “somos gerados para uma curta existência.  A vida é breve e a arte é longa. Está errado. Não dispomos de pouco tempo, mas desperdiçamos muito. A vida é longa...
A presidenta do Instituto Justiça Fiscal aponta o falso dilema para a escolha eleitoral de 2022 e indica as fontes de custeio para vencer o quadro desolador de fragilidade da maioria do povo brasileiro. A próxima eleição, se ocorrer, certamente exigirá muito de nós. Mas não será uma escolha difícil. Para começar, terceira via não existe! Ou melhor: existe, em Bolsonaro. Este, que pode parecer insano, sádico, intratável, joga o jogo e...
A Constituição Cidadã erigiu a dignidade da pessoa humana como seu fundamento, ao lado da soberania, cidadania, valores sociais do trabalho e da livre iniciativa e o pluralismo político. Trata-se, portanto, de um dos pilares que legitimam o Estado Social e Democrático que fundou....
img
img
img
PUBLICAÇÕES RECENTES
img




img



img
img
img
CASAS img LOTES img FAZENDAS
img
CHÁCARAS img PRÉDIOS COMERCIAIS img GALPÕES
img
RSS  Dicas de Leitura Dicas de leitura
img
Ambientado em uma comunidade japonesa de São Paulo, lançamento ficcional da escritora Juliana Marinho promove o poder da música como intervenção para cura de doenças. A musicoterapia, união da arte e saúde em busca da reabilitação ou promoção do bem-estar, é a responsável...
Por meio da personagem Malu, as escritoras e letrólogas paulistas Nanda Mateus e Raphaela Comisso dialogam com as crianças sobre diversidade familiar e desmistificam a homoparentalidade. Nanda Mateus trabalha com educação e inovação em tecnologias para...
Existem músicas para os momentos felizes, tristes e até aquelas que marcam datas especiais, mas para Melody King é diferente: as canções são uma consequência — infelizmente incontrolável — de uma rara doença. As dificuldades em lidar com as embaraçosas situações,...
img
img
RSS  Top Vdeos Top Vídeos
img
Thumbnail
img
img
img
RSS  Classificados Classificados
img
img
img



RSS GOOGLE + YOUTUBE TWITTER FACEBOOK