Novoeste on-line - Onde o Oeste da Bahia é Notícia
> Principal > Artigos > Pauta Livre > Oposição ou ódio?
 
Oposição ou ódio?
24/03/2016 as 15:02 h  Autor João Baptista Herkenhof  Imprimir Imprimir
As divergências políticas são normais, constituem sinal de Democracia.

Só nas ditaduras vigora o pensamento único.

O choque de opiniões aprimora o regime democrático.

De minha parte, não pretendo estar livre de críticas. Muito pelo contrário, as críticas me honram.

O clima de debates, no Brasil de hoje, deve ser motivo de contentamento. No período ditatorial, inaugurado pelo Golpe de 1964, quem discordava era preso, algumas vezes torturado, assassinado, jogado em alto mar para alimentar os peixes.

Muitos patrícios, hoje figuras históricas, tiveram de procurar asilo em países que abriram suas portas para os divergentes brasileiros.

A ordem era esta: “Brasil, ame-o ou deixe-o”.

Não se confunda a sadia opinião, qualquer que seja, com o nefasto ódio.

Percebo hoje, em nosso país, um clima de ódio que se mistura com a desejável manifestação democrática.

Mesmo dentro de uma família, ou de um clube, ou de uma associação religiosa, entre vizinhos, pessoas não se contêm e o ódio explode com virulência.

Nas redes sociais, a palavra de discordância é substituída pelas ofensas pessoais: “quem pensa diferente é canalha”.

Neste momento da vida nacional, uma leitura da Quaresma é apropriada. Trata-se do sublime episódio de Madalena, uma pecadora pública que estava para ser apedrejada.

Jesus Cristo foi escrevendo no chão os pecados ocultos dos apedrejadores. E cada um, quando via seu pecado revelado, deixava a pedra cair ao solo e se afastava.

Depois que todos se retiraram o Cristo perguntou a Madalena: “Onde estão os que te condenavam?

Ela respondeu humildemente: “”Eles se foram, Senhor.

Jesus concluiu: “Pois bem. Eles não te condenaram. Eu também não te condeno. Vá e não tornes a pecar.

A boa interpretação do episódio bíblico não se limita a entender que só cabe o gesto de Jesus à face do pecado de adultério. A mensagem é bem mais ampla, segundo autorizados hermeneutas. Madalena representa a imperfeição humana: somos de barro, tudo o mais é hipocrisia.

Todos os que pretendem hoje o apedrejamento são puros, são vestais? Não há crimes e pecados escondidos? Nosso país está neste momento dividido entre homens de bem que apedrejam e corruptos que são pisoteados?

Não conviria, para o bem do Brasil, refrear a fúria quase sanguinária?

Mesmo entre os que se opõem ao poder dominante, ouço vozes sensatas e prudentes que não torcem pelo pior. Estas vozes de opositores equilibrados merecem admiração.
 
João Baptista Herkenhoff, Juiz de Direito aposentado (ES) e escritor.
E-mail: jbpherkenhoff@gmail.com / Site: www.palestrantededireito.com.br

Comente via Facebook
Mais Artigos
No h comentrios.
img
img
RSS  Artigos Artigos

Embora pensada para se opor à polarização entre direita e esquerda nas eleições presidenciais, a candidatura de terceira via, se ocorrer, favorecerá Lula e atrapalhará Bolsonaro. Por natureza, o eleitorado de esquerda comparece incondicionalmente às urnas e vota no candidato da tendência, mesmo...
Em evento de filiação ao Podemos e com discurso político, Sérgio Moro traz à tona sentimentos e projeções variadas acerca de seus objetivos políticos. Símbolo maior da Operação Lava Jato quando juiz, superministro do Governo Bolsonaro, trabalhador da iniciativa privada nos EUA, enfim, uma trajetória já assaz atribulada nos últimos anos e, agora, uma pré-candidatura, ao que tudo indica para a Presidência, em 2022, mas não...
O partido que desfralda a bandeira da socialdemocracia e adota um tucano como símbolo, o PSDB, está em frangalhos. Quando foi criado em 1988 era a esperança de o país pela trilha de uma nova política, amparada no conceito do Estado comprometido com o bem estar social e aberto aos...
O cipoal de leis que restringe a liberdade individual deve ser censurado. Característica principal dos sistemas socialistas anacrônicos e até mesmos dos híbridos, a hegemonia de leis que restringe a liberdade individual vem contaminando o progresso geral. A liberdade é instrumento de construção e de evolução meteórica mais consistente dentro dos sistemas viáveis de construção da sociedade humana. Os dois caminhos experimentados pelas...
A Caridade é o centro gravitacional da consciência ideológica, portanto, educacional, política, social, filosófica, científica, religiosa, artística, esportiva, doméstica e pública do Cidadão Espiritual. Desse modo, se o ser humano não tiver compreensão dela, deve esforçar-se para entendê-la, a fim de...
img
img
img
PUBLICAÇÕES RECENTES
img




img



img
img
img
CASAS img LOTES img FAZENDAS
img
CHÁCARAS img PRÉDIOS COMERCIAIS img GALPÕES
img
RSS  Dicas de Leitura Dicas de leitura
img
Ambientado em uma comunidade japonesa de São Paulo, lançamento ficcional da escritora Juliana Marinho promove o poder da música como intervenção para cura de doenças. A musicoterapia, união da arte e saúde em busca da reabilitação ou promoção do bem-estar, é a responsável...
Por meio da personagem Malu, as escritoras e letrólogas paulistas Nanda Mateus e Raphaela Comisso dialogam com as crianças sobre diversidade familiar e desmistificam a homoparentalidade. Nanda Mateus trabalha com educação e inovação em tecnologias para...
Existem músicas para os momentos felizes, tristes e até aquelas que marcam datas especiais, mas para Melody King é diferente: as canções são uma consequência — infelizmente incontrolável — de uma rara doença. As dificuldades em lidar com as embaraçosas situações,...
img
img
RSS  Top Vdeos Top Vídeos
img
Thumbnail
img
img
img
RSS  Classificados Classificados
img
img
img



RSS GOOGLE + YOUTUBE TWITTER FACEBOOK