Novoeste on-line - Onde o Oeste da Bahia é Notícia
> Principal > Artigos > Pauta Livre > A emoção, as provas e a decisão
 
A emoção, as provas e a decisão
23/03/2016 as 18:30 h  Autor Tenente Dirceu Cardoso Gon&cce  Imprimir Imprimir
A crise política atinge ao perigoso nível em que seus atores trocam a razão pela emoção. A presidente Dilma Rousseff e o PT, seu partido e aliados, em vez de contestar com argumentos as imputações que lhes são feitas, recorrem à vitimização ideológica e eleitoreira. Procuram sensibilizar pelo discurso, quando o mais racional seria apresentar recursos convincentes em foro adequado. O governo naufraga na impopularidade e a sociedade torna-se cada dia mais excitada, tanto pelo fim quanto pela continuidade do mando petista. Apesar de todos os cuidados para evitar o confronto direto entre os divergentes, já surgem os primeiros embates e até o primeiro cadáver (o advogado e militante do MBL (Movimento Brasil Livre) assassinado em Guarulhos). Movimentos sociais e outros agregados do governo ameaçam transformar o país “num inferno” se Dilma for afastada ou Lula preso.

É preciso evitar a emoção e optar pela razão. O Judiciário, único poder que ainda funciona integralmente neste país, apesar do interesse de grupos de atraí-lo também para o olho do furacão, vem, rigorosamente, fazendo as apurações, definindo o que é e o que não é crime e, através de suas diferentes instâncias, modulando as ações e contendo os possíveis excessos tanto de um lado quanto de outro. As apurações da Operação Lava Jato têm revelado esquemas inimagináveis e supostamente causadores da crise econômica e política. Esses fatos, além das providências de primeira instância, também passam pelos tribunais regionais e superiores quando apontam para detentores de foro privilegiado. Nessa tramitação, os acusadores e os envolvidos terão, com certeza, a segurança jurídica para apresentar e defender suas razões. Tudo através de provas, não de simples sugestões. Dessa forma, o Brasil aperfeiçoará suas instituições e restará melhor após a crise. Afinal, provas são provas e devem ser perseguidas até o deslinde das questões, doa a quem doer, envolva a quem envolver.

Chegou a hora de todos os atores desse imenso teatro atentarem para suas responsabilidades com a Pátria. Usar o povo como massa de manobra ou bucha para o estopim da crise é impatriótico, até desumano. Como velho policial, sou daqueles que confiam nas provas bem apuradas. Afastar ou não a presidente é mero detalhe de todo esse processo. O importante é ter tudo claro, buscar a punição de quem praticou ilícitos e devolver o pais à normalidade para que possa voltar a se desenvolver e proporcionar o bem-estar da população. O vasto conjunto de informações já disponíveis, com certeza, é mais do que suficiente para cada qual na sua área de atribuição – deputados, senadores e magistrados – decidam o que é mais justo para o Brasil e os brasileiros. Até o momento não temos razões concretas para pensar que poderão agir de forma diferente...




Tenente Dirceu Cardoso Gonçalves
- dirigente da ASPOMIL (Associação de Assist. Social dos Policiais Militares de São Paulo) - aspomilpm@terra.com.br

Comente via Facebook
Mais Artigos
No h comentrios.
img
img
RSS  Artigos Artigos

O escritor foi e ainda é, para as crianças que estão começando a descortinar o infinito horizonte da palavra, algo inatingível, meio mágico, talvez mítico.Isso, dito por elas mesmas. A criança é naturalmente curiosa, sedenta de conhecimento e experiência, e ficar cara a cara com...
Na civilização humana, em todos os tempos as gesticulações passaram a simbolizar determinados comportamentos e construir significados diversos para cada sociedade e para cada povo. Gestos humanos servem tanto para simbolizar comportamentos positivos, bem como...
https://www.novoeste.com/uploads/image/artigos_gaudencio-torquato_jornalista-professor-usp-consultor-politico.jpgHoje, tomo a liberdade de fazer uma reflexão sobre a vida. Valho-me, inicialmente, de Sêneca com seu puxão de orelhas: “somos gerados para uma curta existência.  A vida é breve e a arte é longa. Está errado. Não dispomos de pouco tempo, mas desperdiçamos muito. A vida é longa...
A presidenta do Instituto Justiça Fiscal aponta o falso dilema para a escolha eleitoral de 2022 e indica as fontes de custeio para vencer o quadro desolador de fragilidade da maioria do povo brasileiro. A próxima eleição, se ocorrer, certamente exigirá muito de nós. Mas não será uma escolha difícil. Para começar, terceira via não existe! Ou melhor: existe, em Bolsonaro. Este, que pode parecer insano, sádico, intratável, joga o jogo e...
A Constituição Cidadã erigiu a dignidade da pessoa humana como seu fundamento, ao lado da soberania, cidadania, valores sociais do trabalho e da livre iniciativa e o pluralismo político. Trata-se, portanto, de um dos pilares que legitimam o Estado Social e Democrático que fundou....
img
img
img
PUBLICAÇÕES RECENTES
img




img



img
img
img
CASAS img LOTES img FAZENDAS
img
CHÁCARAS img PRÉDIOS COMERCIAIS img GALPÕES
img
RSS  Dicas de Leitura Dicas de leitura
img
Ambientado em uma comunidade japonesa de São Paulo, lançamento ficcional da escritora Juliana Marinho promove o poder da música como intervenção para cura de doenças. A musicoterapia, união da arte e saúde em busca da reabilitação ou promoção do bem-estar, é a responsável...
Por meio da personagem Malu, as escritoras e letrólogas paulistas Nanda Mateus e Raphaela Comisso dialogam com as crianças sobre diversidade familiar e desmistificam a homoparentalidade. Nanda Mateus trabalha com educação e inovação em tecnologias para...
Existem músicas para os momentos felizes, tristes e até aquelas que marcam datas especiais, mas para Melody King é diferente: as canções são uma consequência — infelizmente incontrolável — de uma rara doença. As dificuldades em lidar com as embaraçosas situações,...
img
img
RSS  Top Vdeos Top Vídeos
img
Thumbnail
img
img
img
RSS  Classificados Classificados
img
img
img



RSS GOOGLE + YOUTUBE TWITTER FACEBOOK