Novoeste on-line - Onde o Oeste da Bahia é Notícia
> Principal > Artigos > Pauta Livre > Duas fotos
 
Duas fotos
18/02/2016 as 15:32 h  Autor Dr. Rosinha  Imprimir Imprimir
Não é a primeira vez que escrevo sobre uma foto, ou sobre fotos. Como sempre há fotos a serem debatidas, volto ao tema. “Uma foto não é simplesmente o resultado de uma pose e um clique. Como também não é o resultado natural de um instantâneo. É muito mais”. A frase acima escrevi-a na apresentação do livro A Cara do Fórum, de Paulo Pedron.

Pedron esteve no Fórum Social Mundial realizado no Quênia, em 2007, e fez uma série de fotos. A partir delas, foi publicado um livro, no qual tive a honra de escrever a apresentação.

Uma foto é muito mais do que uma pose e um clique, ela pode mostrar uma realidade indescritível à palavra, pode ser símbolo de alguma luta, conquista ou perda. Pode carregar a alegria ou a tristeza de momentos. Pode representar uma cultura. Pode ser muito mais.

A foto não é só resultado do ato mecânico de apertar um botão. Tampouco é só o resultado da pose de quem está diante da câmara. A foto tampouco é só resultado do ângulo que o fotógrafo toma ou da luminosidade do ambiente. A foto é tudo isto e muito mais. Feita a foto, ela é vista e interpretada, portanto, ganha outra condição, a de quem vai vê-la. E quem vai vê-la é portador de uma cultura e de uma intenção.

A intenção do fotografado e do fotógrafo pode não ser a interpretada por quem vai ver. Dou um exemplo: durante o carnaval, uma foto circulou na internet. A foto mostrava uma criança (Mateus) feliz nos ombros do seu pai, igualmente feliz.

A foto me foi apresentada pela minha mulher e imediatamente pensei: “que legal, uma família feliz e se divertindo juntos”. Em seguida a apresentação, veio à pergunta: “você leu os comentários?”. Não, não tinha lido os comentários, simplesmente tinha gostado da foto.

Em seguida fui lê-los. Minha ignorância sobre lendas é tamanha que só mais tarde fui saber que a família estava fantasiada de Aladim, Jasmine e o filho de Abu, o macaquinho que acompanha o Aladim.

Não comentarei os comentários (feio, né? A minha frase e muitos dos comentários que li) gerados a partir da foto, até por que muitos já o fizeram com qualidade e capacidade de análise, como o texto “Próxima vítima? Por aqui, por favor!”, de Jari Rocha.

A segunda foto que comento é mais simbólica. Aliás, não é bem uma foto, é um desenho, a partir de fotos, mas não deixa de ter sua simbologia. É a ‘foto’ que está no site da campanha para coletar assinaturas para mudar a lei de combate à corrupção.

A ‘foto’ retrata três personagens da Operação Lava Jato: na frente, o juiz Sérgio Moro. Ao seu lado esquerdo, de perfil, o procurador Deltan Dallagnol. Do outro lado, também de perfil, o agente da Polícia Federal Newton Ishi.

Esta ‘foto’ é o símbolo do que acriticamente a mídia criou e os midiotas aceitaram. Posam como heróis de combate à corrupção. Todos desta foto merecem comentários sobre o comportamento e os exemplos (bons e maus) que estão dando.

Combater a corrupção é um bom exemplo, desrespeitar a lei é um mau exemplo e isto está presente no Lava Jato. Mau exemplo: obter provas de maneira ilegal como foram obtidas na Suíça e vazar informações sobre processos que correm em segredo de Justiça.

Mas um dos ‘heróis’ da ‘foto’, o agente da PF, Newton Ishii, tornou-se a cara da Polícia Federal. Ishii responde processo por corrupção, formação de quadrilha e facilitação de contrabando e descaminho. Ele já foi condenado por corrupção e expulso da PF. Expulsão que foi revertida judicialmente por uma questão técnica, e não por provar a inocência.

Há que se ter em conta que a foto é mais do que um clique, é mais do que a mídia mostra, é mais que a intenção do fotógrafo e do fotografado. É também a cultura de ambos os lados, dos que divulgam e de quem vê a foto.

E para quem vê, principalmente no caso, é importante a informação: quem são os fotografados.

Ao comentar a ‘foto’, temos a oportunidade de cobrar sobre a mesma: (1) O que tem a PF (corporação séria) a dizer sobre isto? (2) Por que o Judiciário é lento neste caso (Newton Ishii) específico? (3) Como o Ministério Público Federal e o juiz Sérgio Moro explicam o fato de que a imagem símbolo da coleta de assinaturas para um projeto de lei contra a corrupção ter a cara de um condenado por corrupção?


Dr. Rosinha
. Médico, com especialização em Pediatria, Saúde Pública e Medicina do Trabalho, destacou-se como líder sindical antes de se eleger vereador, deputado estadual e deputado federal. Também foi presidente do Parlamento do Mercosul (Parlasul). Exerce o quarto mandato na Câmara dos Deputados, pelo PT do Paraná. (Fonte: http://congressoemfoco.uol.com.br/)

Comente via Facebook
Mais Artigos
No h comentrios.
img
img
RSS  Artigos Artigos

O escritor foi e ainda é, para as crianças que estão começando a descortinar o infinito horizonte da palavra, algo inatingível, meio mágico, talvez mítico.Isso, dito por elas mesmas. A criança é naturalmente curiosa, sedenta de conhecimento e experiência, e ficar cara a cara com...
Na civilização humana, em todos os tempos as gesticulações passaram a simbolizar determinados comportamentos e construir significados diversos para cada sociedade e para cada povo. Gestos humanos servem tanto para simbolizar comportamentos positivos, bem como...
https://www.novoeste.com/uploads/image/artigos_gaudencio-torquato_jornalista-professor-usp-consultor-politico.jpgHoje, tomo a liberdade de fazer uma reflexão sobre a vida. Valho-me, inicialmente, de Sêneca com seu puxão de orelhas: “somos gerados para uma curta existência.  A vida é breve e a arte é longa. Está errado. Não dispomos de pouco tempo, mas desperdiçamos muito. A vida é longa...
A presidenta do Instituto Justiça Fiscal aponta o falso dilema para a escolha eleitoral de 2022 e indica as fontes de custeio para vencer o quadro desolador de fragilidade da maioria do povo brasileiro. A próxima eleição, se ocorrer, certamente exigirá muito de nós. Mas não será uma escolha difícil. Para começar, terceira via não existe! Ou melhor: existe, em Bolsonaro. Este, que pode parecer insano, sádico, intratável, joga o jogo e...
A Constituição Cidadã erigiu a dignidade da pessoa humana como seu fundamento, ao lado da soberania, cidadania, valores sociais do trabalho e da livre iniciativa e o pluralismo político. Trata-se, portanto, de um dos pilares que legitimam o Estado Social e Democrático que fundou....
img
img
img
PUBLICAÇÕES RECENTES
img




img



img
img
img
CASAS img LOTES img FAZENDAS
img
CHÁCARAS img PRÉDIOS COMERCIAIS img GALPÕES
img
RSS  Dicas de Leitura Dicas de leitura
img
Ambientado em uma comunidade japonesa de São Paulo, lançamento ficcional da escritora Juliana Marinho promove o poder da música como intervenção para cura de doenças. A musicoterapia, união da arte e saúde em busca da reabilitação ou promoção do bem-estar, é a responsável...
Por meio da personagem Malu, as escritoras e letrólogas paulistas Nanda Mateus e Raphaela Comisso dialogam com as crianças sobre diversidade familiar e desmistificam a homoparentalidade. Nanda Mateus trabalha com educação e inovação em tecnologias para...
Existem músicas para os momentos felizes, tristes e até aquelas que marcam datas especiais, mas para Melody King é diferente: as canções são uma consequência — infelizmente incontrolável — de uma rara doença. As dificuldades em lidar com as embaraçosas situações,...
img
img
RSS  Top Vdeos Top Vídeos
img
Thumbnail
img
img
img
RSS  Classificados Classificados
img
img
img



RSS GOOGLE + YOUTUBE TWITTER FACEBOOK