Novoeste on-line - Onde o Oeste da Bahia é Notícia
> Principal > Artigos > Pauta Livre > Retrato da crise brasileira
 
Retrato da crise brasileira
08/12/2015 as 18:08 h  Autor Frei Betto  Imprimir Imprimir
Nau sem rumo, o governo Dilma, refém de sucessivos escândalos de corrupção, se depara com a corrosão de sua “joia da coroa”: o social. Segundo dados do governo federal (Pnad 2014, o principal levantamento socioeconômico do Brasil), o país conta, hoje, com menos miseráveis e menos desigualdades do que há dez anos, porém com mais desemprego e informalidade no mercado de trabalho.

O analfabetismo refluiu um pouco, mas ainda temos 13,7 milhões de brasileiros, com mais de 15 anos, que não sabem ler.

O desemprego atinge sobretudo os jovens entre 15 e 24 anos. Eles eram 75,5% dos 617 mil desempregados em 2014.

Voltou a crescer o trabalho infanto-juvenil, que vinha em queda contínua nos últimos oito anos. Hoje, são 3,3 milhões de trabalhadores com idades entre 5 e 17 anos. Um crime de lesa-pátria e lesa-humanidade!

Com o aumento do desemprego e da inflação, as famílias de baixa renda se veem obrigadas a apelar para um recurso trágico: mandar suas crianças para o mercado de trabalho. Na faixa etária entre 5 e 13 anos, na qual todo trabalho é ilegal, o aumento foi de 9,5% - 554 mil crianças! Resultado: a taxa de escolarização caiu para 80,3%. Entre crianças e jovens que não trabalham a escolarização abrange 95,6%.

Isa Oliveira, secretária executiva do Fórum Nacional de Prevenção e Erradicação do Trabalho Infantil, não é otimista quanto ao futuro. Segundo ela, até 2020 o Brasil terá pelo menos 2 milhões de crianças trabalhando, a maioria na zona rural. E muitas em condições de semiescravidão, como na colheita de cana, apesar de o governo ter reduzido o trabalho infantil em carvoarias e indústrias.

Há três anos não aumenta a taxa de escolaridade entre jovens de 15 a 17 anos. Permanece estagnada em 84,3% dos jovens dessa faixa etária. E com o ajuste fiscal cortando verbas do financiamento estudantil, como o Fies, tudo indica que mergulharemos no efeito Tostines: com o mercado em crise, jovens terão menos oferta de empregos; e terão menos oportunidades porque carecem de experiência e formação qualificada.

Entre os que têm de 18 a 24 anos, apenas 30% continuam na escola. Os demais tiveram que abandoná-la por falta de recursos ou pela dificuldade de conciliar estudo e trabalho. Efeito vergonhoso para um país no qual a frequência escolar deveria ser obrigatória e todo o sistema de ensino gratuito.

Houve melhoras nos últimos dez anos. De 2004 a 2014, a renda dos 10% mais pobres triplicou quando comparada ao aumento da renda dos 10% mais ricos. No mesmo período, a extrema pobreza entre crianças e jovens até 14 anos caiu de 7,6% para 2,8%. Se em 2016 forem cortados R$ 10 bilhões do Bolsa Família, como quer o relator do orçamento, deputado Ricardo Barros (PP-PR), 23 milhões de pessoas ficarão fora do programa – metade delas crianças!

O número de pobres (pessoas com renda mensal até R$184), no Brasil, em um ano, caiu de 20,4 milhões ou 10,13% da população (2013) para 17 milhões ou 8,38% (2014). A extrema pobreza (renda mensal até R$ 75 ou R$ 1,25 por dia) passou de 7 milhões de pessoas em 2013 para 4,7 milhões em 2014.

Será que tais avanços resistirão à recessão que o país enfrenta? A inflação, prestes a superar a barreira dos 10% ao ano, deve atingir, sobretudo, os mais pobres, cuja renda é gasta, na maior parte, com alimentação.




Frei Betto
é escritor, autor do romance “Minas do Ouro” (Rocco), entre outros livros.
Fonte: http://www.correiocidadania.com.br/

Comente via Facebook
Mais Artigos
No h comentrios.
img
img
RSS  Artigos Artigos

O escritor foi e ainda é, para as crianças que estão começando a descortinar o infinito horizonte da palavra, algo inatingível, meio mágico, talvez mítico.Isso, dito por elas mesmas. A criança é naturalmente curiosa, sedenta de conhecimento e experiência, e ficar cara a cara com...
Na civilização humana, em todos os tempos as gesticulações passaram a simbolizar determinados comportamentos e construir significados diversos para cada sociedade e para cada povo. Gestos humanos servem tanto para simbolizar comportamentos positivos, bem como...
https://www.novoeste.com/uploads/image/artigos_gaudencio-torquato_jornalista-professor-usp-consultor-politico.jpgHoje, tomo a liberdade de fazer uma reflexão sobre a vida. Valho-me, inicialmente, de Sêneca com seu puxão de orelhas: “somos gerados para uma curta existência.  A vida é breve e a arte é longa. Está errado. Não dispomos de pouco tempo, mas desperdiçamos muito. A vida é longa...
A presidenta do Instituto Justiça Fiscal aponta o falso dilema para a escolha eleitoral de 2022 e indica as fontes de custeio para vencer o quadro desolador de fragilidade da maioria do povo brasileiro. A próxima eleição, se ocorrer, certamente exigirá muito de nós. Mas não será uma escolha difícil. Para começar, terceira via não existe! Ou melhor: existe, em Bolsonaro. Este, que pode parecer insano, sádico, intratável, joga o jogo e...
A Constituição Cidadã erigiu a dignidade da pessoa humana como seu fundamento, ao lado da soberania, cidadania, valores sociais do trabalho e da livre iniciativa e o pluralismo político. Trata-se, portanto, de um dos pilares que legitimam o Estado Social e Democrático que fundou....
img
img
img
PUBLICAÇÕES RECENTES
img




img



img
img
img
CASAS img LOTES img FAZENDAS
img
CHÁCARAS img PRÉDIOS COMERCIAIS img GALPÕES
img
RSS  Dicas de Leitura Dicas de leitura
img
Ambientado em uma comunidade japonesa de São Paulo, lançamento ficcional da escritora Juliana Marinho promove o poder da música como intervenção para cura de doenças. A musicoterapia, união da arte e saúde em busca da reabilitação ou promoção do bem-estar, é a responsável...
Por meio da personagem Malu, as escritoras e letrólogas paulistas Nanda Mateus e Raphaela Comisso dialogam com as crianças sobre diversidade familiar e desmistificam a homoparentalidade. Nanda Mateus trabalha com educação e inovação em tecnologias para...
Existem músicas para os momentos felizes, tristes e até aquelas que marcam datas especiais, mas para Melody King é diferente: as canções são uma consequência — infelizmente incontrolável — de uma rara doença. As dificuldades em lidar com as embaraçosas situações,...
img
img
RSS  Top Vdeos Top Vídeos
img
Thumbnail
img
img
img
RSS  Classificados Classificados
img
img
img



RSS GOOGLE + YOUTUBE TWITTER FACEBOOK