Novoeste on-line - Onde o Oeste da Bahia é Notícia
> Principal > Artigos > Pauta Livre > Os homens sórdidos e o temporal que se avizinha
 
Os homens sórdidos e o temporal que se avizinha
10/08/2015 as 19:31 h  Autor Jean Wyllys  Imprimir Imprimir
A situação política em que estamos mergulhados é mesmo preocupante. Aqui na Câmara Federal a tensão que está no ar devido às conspirações, traições e acordos tardios é tão densa que pode ser cortada a faca. A aliança entre Eduardo Cunha (e asseclas de todos os partidos do baixo clero), PSDB e DEM já não é mais mal-disfarçada.  

O caminho para o impeachment traçado por esta aliança envolve a reprovação das contas da Dilma pelo Tribunal de Contas da União (TCU) devido às tais "pedaladas fiscais" ("pedaladas" semelhantes foram praticadas também por FHC quando presidente da República sem que isto lhe causasse qualquer dano à época).

Comenta-se pelos corredores da Câmara Federal que o TCU reprovará as contas da presidenta por unanimidade, já que, entre os ministros do tribunal, haveria pessoas ligadas a Renan Calheiros (PMDB-AL), simpatizantes dos tucanos e outras que, embora originalmente aliadas do governo, estariam pressionadas pelo clima antipetista que se instalou na opinião pública graças às opiniões e matérias contrárias ao PT publicadas exaustivamente na "grande mídia".

Com essa estratégia, buscarão evitar o caminho do impeachment via Tribunal Superior Eleitoral, já que, por este caminho, o vice-presidente Michel Temer cairia junto com Dilma. Os frutos dessa aliança seriam: 1) o PMDB deixar de ser o parasita do PT e assumir a presidência da República; 2) o PSDB varrer a concorrência petista (leia-se Lula) nas eleições de 2018.  

Ontem, PDT e PTB abandonaram a base governista, mas três ou quatro deputados destes partidos votaram com o governo para poder garantir a presença dos seus parceiros nos ministérios concedidos por Dilma - e esta não pode, apesar disso, sequer tirar esses ministros nesse momento como retaliação ao abandono do navio em vias de naufrágio.

Por outro lado, todos os deputados do PSD (partido do Kassab, Ministro das Cidades) votaram e votam contra o governo. É provável que o PP - que tem mais de trinta deputados arrolados nas investigações da Lava-Jato acerca do esquema de corrupção na Petrobras - também deixe a base do governo entre hoje e a semana que vem.

Ontem e hoje, alguns deputados petistas esboçaram alguma reação mais contundente contra Cunha desde a tribuna do plenário. Porém, o líder do governo, Zé Guimarães, e o líder do PT na Câmara, Sibá Machado, por ainda apostarem numa recomposição da base governista que preserve um mínimo de governabilidade, silenciam o resto da bancada petista, que está a cada dia mais murcha, constrangida e humilhada, seja pelos inegáveis fatos que comprovam o envolvimento de lideranças do partido no esquema de corrupção da Petrobras, seja pela ofensiva antipetista da grande mídia em relação a esses fatos e a repercussão dessa ofensiva em muitos setores da população, inclusive entre os que se beneficiaram bastante dos governos petistas.

Com esse engessamento, a bancada do PT na Câmara Federal caminha para a câmara de gás com os próprios pés sem esboçar reação porque seus líderes acreditam em algum surto de lealdade tardio por parte do PMDB ou simplesmente em alguma intervenção divina que salve o governo em crise profunda.

Há, porém, um complicador para os planos da aliança entre o PMDB, o PSDB e o DEM: Janot será reconduzido ao Ministério Público Federal e certamente apresentará denúncia consistente contra Eduardo Cunha et caterva - e isto poderá recolocá-lo nos noticiários, que, nesta semana, ocuparam-se de expor, com sensacionalismo, o envolvimento de Zé Dirceu com o "Petrolão". Porém, não há certeza de que os noticiários se ocuparão dos crimes de Eduardo Cunha, dado o grau de envolvimento da grande mídia na tarefa de destruir o PT publicamente a partir de cobertura seletiva e, assim, impedir que Lula se eleja em 2018.

Como pisciano e baiano - portanto, alguém atento aos recados dos mistérios do universo - pressinto o pior para todos e todas nós, torcendo para que eu esteja enganado: se Dilma cair, PMDB e PSDB não terão a solução mágica para a crise econômica que a maioria da população espera; esta reagirá violentamente e a grande mídia que agora insufla o antipetismo não conseguirá conter o chamado "estouro de boiada".

Só a dura repressão por parte das forças armadas e/ou polícias poderá fazer isso, o que resultará em graves consequências para os diretos humanos e instituições democráticas. A ultradireita se apresentará como "a solução", e o resto dessa história vocês podem inferir.

Nós, parlamentares do PSOL, somos oposição ao governo Dilma (que é também o governo do PMDB, não esqueçamos disso!): uma oposição à esquerda contra o ajuste fiscal que beneficia banqueiros e especuladores financeiros; contra os cortes nos recursos destinados à Saúde e à Educação e contra os acordos com fundamentalistas religiosos e latifundiários.

Mas somos contra o impeachment da presidenta Dilma, pois não acreditamos em nenhuma saída fora das regras democráticas, principalmente saída construída por pessoas que traíram o governo de que faziam parte ou que não se conformam de terem perdido as últimas quatro eleições; não acreditamos especialmente naquelas saídas que têm potencial para ampliar a crise política.

Não quero ser catastrófico nem parecer sombrio (embora haja hoje especialmente uma sombra em meu coração, não sei direito o porquê: apenas fruto dessa intuição). Fiquemos atentos de qualquer forma pra que não tenhamos que cantarolar aquela canção que diz "quando eu falava dessas cores mórbidas, quando eu falava desses homens sórdidos, quando eu falava desse temporal, você não escutou, você não quis acreditar".




Jean Wyllys
é jornalista e linguista, é deputado federal pelo PSOL-RJ e integrante da frente parlamentar em defesa dos direitos LGBT. (Fonte: CartaCapital)

Comente via Facebook
Mais Artigos
No h comentrios.
img
img
RSS  Artigos Artigos

Embora pensada para se opor à polarização entre direita e esquerda nas eleições presidenciais, a candidatura de terceira via, se ocorrer, favorecerá Lula e atrapalhará Bolsonaro. Por natureza, o eleitorado de esquerda comparece incondicionalmente às urnas e vota no candidato da tendência, mesmo...
Em evento de filiação ao Podemos e com discurso político, Sérgio Moro traz à tona sentimentos e projeções variadas acerca de seus objetivos políticos. Símbolo maior da Operação Lava Jato quando juiz, superministro do Governo Bolsonaro, trabalhador da iniciativa privada nos EUA, enfim, uma trajetória já assaz atribulada nos últimos anos e, agora, uma pré-candidatura, ao que tudo indica para a Presidência, em 2022, mas não...
O partido que desfralda a bandeira da socialdemocracia e adota um tucano como símbolo, o PSDB, está em frangalhos. Quando foi criado em 1988 era a esperança de o país pela trilha de uma nova política, amparada no conceito do Estado comprometido com o bem estar social e aberto aos...
O cipoal de leis que restringe a liberdade individual deve ser censurado. Característica principal dos sistemas socialistas anacrônicos e até mesmos dos híbridos, a hegemonia de leis que restringe a liberdade individual vem contaminando o progresso geral. A liberdade é instrumento de construção e de evolução meteórica mais consistente dentro dos sistemas viáveis de construção da sociedade humana. Os dois caminhos experimentados pelas...
A Caridade é o centro gravitacional da consciência ideológica, portanto, educacional, política, social, filosófica, científica, religiosa, artística, esportiva, doméstica e pública do Cidadão Espiritual. Desse modo, se o ser humano não tiver compreensão dela, deve esforçar-se para entendê-la, a fim de...
img
img
img
PUBLICAÇÕES RECENTES
img




img



img
img
img
CASAS img LOTES img FAZENDAS
img
CHÁCARAS img PRÉDIOS COMERCIAIS img GALPÕES
img
RSS  Dicas de Leitura Dicas de leitura
img
Ambientado em uma comunidade japonesa de São Paulo, lançamento ficcional da escritora Juliana Marinho promove o poder da música como intervenção para cura de doenças. A musicoterapia, união da arte e saúde em busca da reabilitação ou promoção do bem-estar, é a responsável...
Por meio da personagem Malu, as escritoras e letrólogas paulistas Nanda Mateus e Raphaela Comisso dialogam com as crianças sobre diversidade familiar e desmistificam a homoparentalidade. Nanda Mateus trabalha com educação e inovação em tecnologias para...
Existem músicas para os momentos felizes, tristes e até aquelas que marcam datas especiais, mas para Melody King é diferente: as canções são uma consequência — infelizmente incontrolável — de uma rara doença. As dificuldades em lidar com as embaraçosas situações,...
img
img
RSS  Top Vdeos Top Vídeos
img
Thumbnail
img
img
img
RSS  Classificados Classificados
img
img
img



RSS GOOGLE + YOUTUBE TWITTER FACEBOOK