Novoeste on-line - Onde o Oeste da Bahia é Notícia
> Principal > Artigos > Pauta Livre > Grito de morte
 
Grito de morte
20/05/2015 as 17:24 h  Autor Pedro Cardoso da Costa  Imprimir Imprimir
De imediato, o pensamento que vem seria o de pessoas sem acesso aos bens de consumo ou de serviços públicos essenciais de saúde. Aqui se fala de animais soltos pelas cidades, mais precisamente dos cães.

Mantenho entendimento defendido em artigo anterior sobre a necessidade de sacrificar os animais que estejam muito doentes ou machucados, para abreviar a morte e evitar o sofrimento prolongado.

Em São Paulo, a retirada de animais das vias públicas era realizada pela chamada “Carrocinha”. Um grupo de profissionais especializados da Secretaria de Zoonoses, que saía num carro apropriado para recolher os animais das ruas.

 O entendimento dominante na sociedade era de que esses poderiam ser retirados pelos seus donos em três dias. Os animais não retirados seriam sacrificados em câmara de gás, que consistia na retirada do ar do ambiente e os animais perdiam os sentidos em no máximo cinco segundos.

Trata-se de uma escolha difícil entre o sofrimento prolongado até o fim da vida ou a abreviação consciente e institucional. Cada um conclua conforme suas convicções pessoais. Cabe apenas apontar o problema e a necessidade de alguma medida oficial para a retirada dos animais, bem como a punição aos donos que os abandonam.

Não se sabe ao certo a razão, mas a “Carrocinha” parou de retirar animais das ruas e a capital de São Paulo tornou-se um campo de matança de cães no dia a dia. Os animais são atropelados e ficam agonizando até a morte, num sofrimento indescritível, que causa mal-estar em todos, já que as pessoas ficam sensibilizadas e impotentes e não podem aliviar a dor do animal nem podem procurar nenhum órgão oficial que cuide, por não existir.
 
Em Belo Horizonte, uma lei foi aprovada para obrigar a colocação de chips nos cães para quando eles forem encontrados nas ruas os donos serem responsabilizados e punidos com o pagamento de multa. Claro que se fala da lei, a prática deve ser apenas uma retórica, como costuma ser em todas as esferas da administração pública brasileira.

Faz-se necessário que algum órgão retire os animais das ruas. Antes, porém, seria necessária a veiculação de uma campanha de conscientização aos donos dos animais para não soltarem nas ruas, quando estes, por algum motivo, não interessassem mais. Mas, ainda mais importante é a punição certa, eficaz aos donos que soltam os animais em vias públicas.

Para um país que não extingue nem o analfabetismo do seu povo, parece exagerado esperar que cuide adequadamente dos animais. Por muito tempo, o cidadão verá o cachorrinho na rua e ao dar as costas ouvirá o barulho de uma freada brusca dos pneus de um carro e um grito. É o único direito que resta aos animais. Um grito de desamparo e sofrimento. Um grito fatal.

Pedro Cardoso da Costa – Interlagos/SP
Bacharel em direito

Comente via Facebook
Mais Artigos
No h comentrios.
img
img
RSS  Artigos Artigos

Embora pensada para se opor à polarização entre direita e esquerda nas eleições presidenciais, a candidatura de terceira via, se ocorrer, favorecerá Lula e atrapalhará Bolsonaro. Por natureza, o eleitorado de esquerda comparece incondicionalmente às urnas e vota no candidato da tendência, mesmo...
Em evento de filiação ao Podemos e com discurso político, Sérgio Moro traz à tona sentimentos e projeções variadas acerca de seus objetivos políticos. Símbolo maior da Operação Lava Jato quando juiz, superministro do Governo Bolsonaro, trabalhador da iniciativa privada nos EUA, enfim, uma trajetória já assaz atribulada nos últimos anos e, agora, uma pré-candidatura, ao que tudo indica para a Presidência, em 2022, mas não...
O partido que desfralda a bandeira da socialdemocracia e adota um tucano como símbolo, o PSDB, está em frangalhos. Quando foi criado em 1988 era a esperança de o país pela trilha de uma nova política, amparada no conceito do Estado comprometido com o bem estar social e aberto aos...
O cipoal de leis que restringe a liberdade individual deve ser censurado. Característica principal dos sistemas socialistas anacrônicos e até mesmos dos híbridos, a hegemonia de leis que restringe a liberdade individual vem contaminando o progresso geral. A liberdade é instrumento de construção e de evolução meteórica mais consistente dentro dos sistemas viáveis de construção da sociedade humana. Os dois caminhos experimentados pelas...
A Caridade é o centro gravitacional da consciência ideológica, portanto, educacional, política, social, filosófica, científica, religiosa, artística, esportiva, doméstica e pública do Cidadão Espiritual. Desse modo, se o ser humano não tiver compreensão dela, deve esforçar-se para entendê-la, a fim de...
img
img
img
PUBLICAÇÕES RECENTES
img




img



img
img
img
CASAS img LOTES img FAZENDAS
img
CHÁCARAS img PRÉDIOS COMERCIAIS img GALPÕES
img
RSS  Dicas de Leitura Dicas de leitura
img
Ambientado em uma comunidade japonesa de São Paulo, lançamento ficcional da escritora Juliana Marinho promove o poder da música como intervenção para cura de doenças. A musicoterapia, união da arte e saúde em busca da reabilitação ou promoção do bem-estar, é a responsável...
Por meio da personagem Malu, as escritoras e letrólogas paulistas Nanda Mateus e Raphaela Comisso dialogam com as crianças sobre diversidade familiar e desmistificam a homoparentalidade. Nanda Mateus trabalha com educação e inovação em tecnologias para...
Existem músicas para os momentos felizes, tristes e até aquelas que marcam datas especiais, mas para Melody King é diferente: as canções são uma consequência — infelizmente incontrolável — de uma rara doença. As dificuldades em lidar com as embaraçosas situações,...
img
img
RSS  Top Vdeos Top Vídeos
img
Thumbnail
img
img
img
RSS  Classificados Classificados
img
img
img



RSS GOOGLE + YOUTUBE TWITTER FACEBOOK