Novoeste on-line - Onde o Oeste da Bahia é Notícia
> Principal > Artigos > Pauta Livre > O juramento de um profissional
 
O juramento de um profissional
24/04/2015 as 14:33 h  Autor Pedro Valls Feu Rosa  Imprimir Imprimir
Dia desses fui a uma formatura. Linda a cena de cada novo profissional prometendo, de pé e solenemente, ser um verdadeiro sacerdote ao longo da carreira.

É assim, quase sempre com o coração puro de uma criança, que começamos as nossas caminhadas. E aí começam a chegar os primeiros clientes, segurando com as mãos os seus problemas ou direitos doentes e raquíticos.

Estes primeiros pacientes são afortunados! Com que carinho nos debruçamos sobre os casos deles! Lemos e relemos cada documento, e pesamos criteriosamente todas as circunstâncias a fim de que nosso diagnóstico seja absolutamente preciso.

Nestes primeiros dias nós até recebemos as famílias dos nossos clientes, e pacientemente as ouvimos e até confortamos, se for o caso. Terminado o expediente diário, deixamos nossos locais de trabalho com a alma leve de quem passou o dia a recitar uma linda oração.

Mas eis que os dias vão se passando, e o desfile das misérias humanas não diminui – pelo contrário, só aumenta, juntamente com o nosso torpor. Decorridos alguns meses, a angústia do próximo passa a ser cada vez mais apenas uma rotina desconfortável, desagradável ao espírito e aos sentidos. Lentamente, sem que o percebamos, passamos a ser vítimas daquele que Ralph Waldo Emerson definiu como “o pior veneno”: o tempo!

É assim que passamos a estudar cada caso com atenção cada vez menor, e quanto mais experientes mais delegamos tarefas a auxiliares que não tem experiência alguma, em uma total inversão de lógica. Atender familiares? Para quê? Afinal, o passar dos anos transformou o ato de ouvir as expressões de ansiedade e angústia deles em uma mera perda de tempo – ficamos importantes demais para isso.

Na maior parte das vezes, passamos a só nos dar ao trabalho de alguma pesquisa mais extensa quando nos deparamos com algum daqueles casos polêmicos. Assim, quando se trata de impor um remédio amargo a alguém importante, cercamo-nos de todas as precauções – aliás, não raramente pesquisamos tanto que acabamos encontrando uma maneira de resolver o problema sem ministrar remédio amargo algum.

Já quanto aos miseráveis, o tempo que dispensamos aos casos deles costuma ser inversamente proporcional à duração de nossas carreiras. Assim, em seguida às expressões “a situação é conhecida”, “trata-se de um quadro comum” ou “é mais um daqueles casos” não raramente seguem-se remédios amargos, daqueles que causam dor e sofrimento durante anos a fio.

Encerrado o expediente, deixamos os nossos gabinetes e escritórios já não mais com aquela alma leve dos primeiros dias, mas com uma sensação estranha de alívio por estarmos saindo daquela passarela na qual desfilam as mais pungentes misérias humanas.

É diante desta realidade que talvez fosse oportuno mudarmos nossos tão solenes juramentos.

Que tal prometermos, simplesmente, em nossos corações, sermos pessoas não só de bem, mas também do bem por toda a vida? Que tal nos comprometermos a receber e atender, ao longo de nossas carreiras, cada miserável, cada pessoa atormentada por problemas, que bater à porta dos nossos gabinetes ou escritórios? Que tal, finalmente, jurar que tentaremos, pelos tortuosos caminhos da vida, reduzir ao máximo nossos “momentos de Pilatos”? Por favor, não juremos que não teremos deles – a vida não nos permitirá tamanho luxo! Mas que não sejam muitos, eis algo que humana e honestamente poderíamos cobiçar e prometer nestas noites de formatura.


Pedro Valls Feu Rosa

Desembargador desde 1994, foi presidente do Tribunal de Justiça do Espírito Santo (TJES) no biênio 2012/2013.
Fonte: http://congressoemfoco.uol.com.br/

Comente via Facebook
Mais Artigos
No h comentrios.
img
img
RSS  Artigos Artigos

O escritor foi e ainda é, para as crianças que estão começando a descortinar o infinito horizonte da palavra, algo inatingível, meio mágico, talvez mítico.Isso, dito por elas mesmas. A criança é naturalmente curiosa, sedenta de conhecimento e experiência, e ficar cara a cara com...
Na civilização humana, em todos os tempos as gesticulações passaram a simbolizar determinados comportamentos e construir significados diversos para cada sociedade e para cada povo. Gestos humanos servem tanto para simbolizar comportamentos positivos, bem como...
https://www.novoeste.com/uploads/image/artigos_gaudencio-torquato_jornalista-professor-usp-consultor-politico.jpgHoje, tomo a liberdade de fazer uma reflexão sobre a vida. Valho-me, inicialmente, de Sêneca com seu puxão de orelhas: “somos gerados para uma curta existência.  A vida é breve e a arte é longa. Está errado. Não dispomos de pouco tempo, mas desperdiçamos muito. A vida é longa...
A presidenta do Instituto Justiça Fiscal aponta o falso dilema para a escolha eleitoral de 2022 e indica as fontes de custeio para vencer o quadro desolador de fragilidade da maioria do povo brasileiro. A próxima eleição, se ocorrer, certamente exigirá muito de nós. Mas não será uma escolha difícil. Para começar, terceira via não existe! Ou melhor: existe, em Bolsonaro. Este, que pode parecer insano, sádico, intratável, joga o jogo e...
A Constituição Cidadã erigiu a dignidade da pessoa humana como seu fundamento, ao lado da soberania, cidadania, valores sociais do trabalho e da livre iniciativa e o pluralismo político. Trata-se, portanto, de um dos pilares que legitimam o Estado Social e Democrático que fundou....
img
img
img
PUBLICAÇÕES RECENTES
img




img



img
img
img
CASAS img LOTES img FAZENDAS
img
CHÁCARAS img PRÉDIOS COMERCIAIS img GALPÕES
img
RSS  Dicas de Leitura Dicas de leitura
img
Ambientado em uma comunidade japonesa de São Paulo, lançamento ficcional da escritora Juliana Marinho promove o poder da música como intervenção para cura de doenças. A musicoterapia, união da arte e saúde em busca da reabilitação ou promoção do bem-estar, é a responsável...
Por meio da personagem Malu, as escritoras e letrólogas paulistas Nanda Mateus e Raphaela Comisso dialogam com as crianças sobre diversidade familiar e desmistificam a homoparentalidade. Nanda Mateus trabalha com educação e inovação em tecnologias para...
Existem músicas para os momentos felizes, tristes e até aquelas que marcam datas especiais, mas para Melody King é diferente: as canções são uma consequência — infelizmente incontrolável — de uma rara doença. As dificuldades em lidar com as embaraçosas situações,...
img
img
RSS  Top Vdeos Top Vídeos
img
Thumbnail
img
img
img
RSS  Classificados Classificados
img
img
img



RSS GOOGLE + YOUTUBE TWITTER FACEBOOK