Novoeste on-line - Onde o Oeste da Bahia é Notícia
> Principal > Artigos > Pauta Livre > Prefeitura pode melhorar Carnaval e mobilidade para turistas em Salvador
 
Prefeitura pode melhorar Carnaval e mobilidade para turistas em Salvador
24/02/2015 as 10:08 h  Autor José Queiroz  Imprimir Imprimir
O Carnaval na região Barra/Ondina completou 20 anos e, desde o início, empreendedores, gestores públicos e imprensa à serviço do evento, falam de milhares de turistas, empregos e dinheiro gerados pela festa. Os tais turistas não passam de foliões e não beneficiam toda a cadeia produtiva da atividade, muito menos os atrativos do entorno de Salvador, como o turismo regular. Os empregos de seis dias só servem para sobreviver outros seis, e o tal dinheiro beneficia apenas o seleto grupo de empresários de bandas, blocos e camarotes que ganham dinheiro em seis dias para o resto do ano!

O evento é tratado como o principal atrativo da cidade no verão, porém, além de afetar o turismo regular, já que muitas operadoras não vendem a cidade nesse período, o Turismo não tem tido o mesmo tratamento privilegiado de artistas e convidados, com trânsito livre e escolta policial. Este ano a Prefeitura simplesmente negou a autorização de trânsito livre para condutores autônomos do turismo, que poderiam ligar os hotéis dos outros bairros ao circuito, e deixou os turistas entregues à imprudência de moto taxis e à ganância dos taxistas que - nas barbas da fiscalização! – recusam corridas curtas e andam em alta velocidade.  O acesso e mobilidade em todo o circuito de carnaval de Salvador tem se tornado cada vez mais penoso, perigoso e desanimador!

Há muito tempo o espaço público foi restringido e privatizado no Carnaval para usufruto de instituições privadas que não fazem nenhum benefício à sociedade, ao contrário, utilizam largamente dinheiro público através dos patrocínios diretos e indiretos, que são deduzidos de impostos que serviriam para a saúde, educação, segurança e geração de empregos. E ainda interferem nos negócios e no direito de ir e vir, principalmente para quem mora ou trabalha entre Rio Vermelho e Pelourinho, como o pessoal envolvido com o turismo da cidade. E baianos e turistas ainda são obrigados a beber o que os ‘donos da festa’ decidem. Falta pouco para eles decidirem o que comer!

O excesso e a qualidade das parcerias público/privado ainda estão provocando a descaracterização e o esvaziamento da festa – pelos próprios baianos! – que estão fugindo para praias ou criando carnaval em outros lugares, como no Nordeste de Amaralina, afinal, a qualidade das atrações e os valores exorbitantes de blocos e camarotes inviabilizam a festa para nativos e visitantes. E o pior: a imposição de ritmos, cantores e bandas completamente desconectados do espírito carnavalesco da Bahia está desviando muita gente para o Rio de Janeiro, Recife e até São Paulo, onde o carnaval de rua está crescendo! E o turista de lazer que viaja nessa época procura destinos mais baratos, já que companhias aéreas e hotéis usam e abusam da fama de Salvador.

Há profissionais de ponta que defendem a ‘reformatação’ do carnaval da cidade, um lugar que substitua o circuito Barra/Ondina, o retorno às origens, com prioridade e incentivo – aí, sim! - à música local, como fazem Rio de Janeiro e Recife. Afinal, Salvador e o Recôncavo Baiano têm muitos talentos e manifestações que tem sido substituídos por outros – locais e forasteiros! - que não estão agradando. Eles não representam a história, a memória e as tradições do povo baiano, muito mais abrangente, narrativa, educativa, poética e dançante. Não é com gritos de “sai do chão”, “levanta a mão”, ou “sou barril”, que o Carnaval agradará ao baiano e ao Brasil!

José Queiroz é guia de turismo especializado em Turismo Receptivo

Comente via Facebook
Mais Artigos
No h comentrios.
img
img
RSS  Artigos Artigos

Embora pensada para se opor à polarização entre direita e esquerda nas eleições presidenciais, a candidatura de terceira via, se ocorrer, favorecerá Lula e atrapalhará Bolsonaro. Por natureza, o eleitorado de esquerda comparece incondicionalmente às urnas e vota no candidato da tendência, mesmo...
Em evento de filiação ao Podemos e com discurso político, Sérgio Moro traz à tona sentimentos e projeções variadas acerca de seus objetivos políticos. Símbolo maior da Operação Lava Jato quando juiz, superministro do Governo Bolsonaro, trabalhador da iniciativa privada nos EUA, enfim, uma trajetória já assaz atribulada nos últimos anos e, agora, uma pré-candidatura, ao que tudo indica para a Presidência, em 2022, mas não...
O partido que desfralda a bandeira da socialdemocracia e adota um tucano como símbolo, o PSDB, está em frangalhos. Quando foi criado em 1988 era a esperança de o país pela trilha de uma nova política, amparada no conceito do Estado comprometido com o bem estar social e aberto aos...
O cipoal de leis que restringe a liberdade individual deve ser censurado. Característica principal dos sistemas socialistas anacrônicos e até mesmos dos híbridos, a hegemonia de leis que restringe a liberdade individual vem contaminando o progresso geral. A liberdade é instrumento de construção e de evolução meteórica mais consistente dentro dos sistemas viáveis de construção da sociedade humana. Os dois caminhos experimentados pelas...
A Caridade é o centro gravitacional da consciência ideológica, portanto, educacional, política, social, filosófica, científica, religiosa, artística, esportiva, doméstica e pública do Cidadão Espiritual. Desse modo, se o ser humano não tiver compreensão dela, deve esforçar-se para entendê-la, a fim de...
img
img
img
PUBLICAÇÕES RECENTES
img




img



img
img
img
CASAS img LOTES img FAZENDAS
img
CHÁCARAS img PRÉDIOS COMERCIAIS img GALPÕES
img
RSS  Dicas de Leitura Dicas de leitura
img
Ambientado em uma comunidade japonesa de São Paulo, lançamento ficcional da escritora Juliana Marinho promove o poder da música como intervenção para cura de doenças. A musicoterapia, união da arte e saúde em busca da reabilitação ou promoção do bem-estar, é a responsável...
Por meio da personagem Malu, as escritoras e letrólogas paulistas Nanda Mateus e Raphaela Comisso dialogam com as crianças sobre diversidade familiar e desmistificam a homoparentalidade. Nanda Mateus trabalha com educação e inovação em tecnologias para...
Existem músicas para os momentos felizes, tristes e até aquelas que marcam datas especiais, mas para Melody King é diferente: as canções são uma consequência — infelizmente incontrolável — de uma rara doença. As dificuldades em lidar com as embaraçosas situações,...
img
img
RSS  Top Vdeos Top Vídeos
img
Thumbnail
img
img
img
RSS  Classificados Classificados
img
img
img



RSS GOOGLE + YOUTUBE TWITTER FACEBOOK