Novoeste on-line - Onde o Oeste da Bahia é Notícia
> Principal > Artigos > Pauta Livre > Alvoroço cervejeiro no Brasil
 
Alvoroço cervejeiro no Brasil
10/03/2014 as 17:28 h  Autor Bruno Peron  Imprimir Imprimir
A Associação Brasileira da Indústria da Cerveja (CervBrasil) informou que tal indústria produz 13 bilhões de litros de cerveja por ano no Brasil. A indústria brasileira neste setor é a terceira maior do mundo e só fica atrás da dos Estados Unidos e da China; há poucos anos, ela superou as da Alemanha e da Rússia. Mas o Brasil não é só grande produtor; é também grande consumidor. Nisto reside o gigante problema.

Desde a primeira metade do século XIX, quando Portugal abriu os portos às “nações amigas”, sua parceira favorita – a Inglaterra – inundou-nos com barricadas de sua cerveja escura. Logo tivemos as cervejas conhecidas como de “marca barbante”, cujo nome se deve à forma como se amarravam as tampas das garrafas para evitar abertura por pressão da fermentação. Mais tarde, outros países (Alemanha, Dinamarca) investiram no mercado consumidor brasileiro até que surgisse uma indústria nacional.

Não nego que a indústria cervejeira tenha impacto econômico no desenvolvimento do Brasil e portanto melhore nossos índices de emprego, investimento e renda. O portal Cerveja Brasil anuncia que a indústria cervejeira no Brasil emprega 1,7 milhão de pessoas e contribui para 1,6% do Produto Interno Bruto do país. Mas, junto do afã economicista, está a relação despropositada entre álcool e lazer, álcool e saúde, álcool e êxito. Neste sentido, os trabalhos de publicidade de marcas de cerveja têm cumprido seu papel de inebriar a busca dos brasileiros de autoconhecimento, salubridade e sociabilidade.

Porque não acredito em tudo que dizem, questiono a relação que estabelecem – ainda que usem estudos científicos – entre consumo de cerveja e saúde. Citam-se pesquisadores alemães que afirmam que o consumo diário de 1,5 a 2,0 litros de cerveja tem efeitos benéficos, como a melhora da capacidade física e a redução de riscos de infarto. Penso que, num país como a Alemanha, onde a indústria cervejeira é próspera, pesquisadores recebem uma boa grana para puxar a pesquisa para o lado dos ingredientes básicos (cevada, lúpulo e outros, que provavelmente têm efeitos benéficos devido a sua origem natural), e para generalizar a legitimidade do vício.

Assim, em vez de afirmar que ingredientes como malte e trigo triturados fazem mal à saúde, dou atenção aos malefícios de um único ingrediente (o álcool), que tem efeitos danosos para o equilíbrio mental. Não é à toa que o governo federal aprovou a Lei Seca em junho de 2008 para coibir acidentes de trânsito, e que haja grupos como o dos Alcoólicos Anônimos em prol da redução do consumo de álcool. O poder das indústrias no mundo evidencia uma contradição: a proibição de produtos estupefacientes como maconha e cocaína, mas a autorização de outros como álcool.

Notícia da Agência Brasil (Nova fórmula da cerveja está em consulta pública, Brasília, 22 de janeiro de 2014) informa que algumas marcas de cervejas vendidas no Brasil estão prestes a incluir ingredientes de origem animal (leite e mel). Para fazer uma comparação com outro produto, a partir do momento em que o governo federal autorizou a mistura de gasolina com outros ingredientes para venda em postos de combustível, temos nela cada vez menos gasolina e mais ingredientes desconhecidos em proporções bem variadas e em desacordo com a lei (combustível adulterado).

A indústria cervejeira brasileira também discute com o governo a aprovação de leis que permitam reduzir a percentagem de cevada maltada de 55% a 50% para reduzir seu custo de produção e, segundo ela, tornar-se mais competitiva; no entanto, um líquido só é considerado cerveja nas convenções internacionais se tiver lúpulo, mínimo de 55% de ingrediente maltado, e carência de qualquer conteúdo de origem animal. Para o Sindicato Nacional da Indústria da Cerveja (Sindicerv), a classificação da cerveja varia de acordo com o tipo de fermentação, o malte, a cor, e os teores de álcool e extrato. O mesmo Sindicato indica que quatro elementos constituem a cerveja: água, fermento, malte (que se substitui muitas vezes por arroz, milho ou trigo) e lúpulo.

A despeito dos dados de que se exporta parte da produção nacional de cerveja, o consumo deste produto não tem nada de “saudável” nem de “sociável” no Brasil nem em qualquer outro país. Uma grande proporção de acidentes de trânsito e de atos de violência tem sua causa na ingestão de bebidas alcoólicas. Advertências que seguem as propagandas, tais como “Beba com moderação” e “Se beber, não dirija”, são insuficientes para alertar o brasileiro das consequências do consumo deste produto.

Para o sucesso destas campanhas, há que enfrentar o lóbi das indústrias cervejeiras. Considerando-se os conflitos de meia-cidadania e débil-educação que todos os brasileiros experimentamos, a cultura da cerveja alvoroça ainda mais o país.

Por Bruno Peron
http://www.brunoperon.com.br

Comente via Facebook
Mais Artigos
No h comentrios.
img
img
RSS  Artigos Artigos

O escritor foi e ainda é, para as crianças que estão começando a descortinar o infinito horizonte da palavra, algo inatingível, meio mágico, talvez mítico.Isso, dito por elas mesmas. A criança é naturalmente curiosa, sedenta de conhecimento e experiência, e ficar cara a cara com...
Na civilização humana, em todos os tempos as gesticulações passaram a simbolizar determinados comportamentos e construir significados diversos para cada sociedade e para cada povo. Gestos humanos servem tanto para simbolizar comportamentos positivos, bem como...
https://www.novoeste.com/uploads/image/artigos_gaudencio-torquato_jornalista-professor-usp-consultor-politico.jpgHoje, tomo a liberdade de fazer uma reflexão sobre a vida. Valho-me, inicialmente, de Sêneca com seu puxão de orelhas: “somos gerados para uma curta existência.  A vida é breve e a arte é longa. Está errado. Não dispomos de pouco tempo, mas desperdiçamos muito. A vida é longa...
A presidenta do Instituto Justiça Fiscal aponta o falso dilema para a escolha eleitoral de 2022 e indica as fontes de custeio para vencer o quadro desolador de fragilidade da maioria do povo brasileiro. A próxima eleição, se ocorrer, certamente exigirá muito de nós. Mas não será uma escolha difícil. Para começar, terceira via não existe! Ou melhor: existe, em Bolsonaro. Este, que pode parecer insano, sádico, intratável, joga o jogo e...
A Constituição Cidadã erigiu a dignidade da pessoa humana como seu fundamento, ao lado da soberania, cidadania, valores sociais do trabalho e da livre iniciativa e o pluralismo político. Trata-se, portanto, de um dos pilares que legitimam o Estado Social e Democrático que fundou....
img
img
img
PUBLICAÇÕES RECENTES
img




img



img
img
img
CASAS img LOTES img FAZENDAS
img
CHÁCARAS img PRÉDIOS COMERCIAIS img GALPÕES
img
RSS  Dicas de Leitura Dicas de leitura
img
Ambientado em uma comunidade japonesa de São Paulo, lançamento ficcional da escritora Juliana Marinho promove o poder da música como intervenção para cura de doenças. A musicoterapia, união da arte e saúde em busca da reabilitação ou promoção do bem-estar, é a responsável...
Por meio da personagem Malu, as escritoras e letrólogas paulistas Nanda Mateus e Raphaela Comisso dialogam com as crianças sobre diversidade familiar e desmistificam a homoparentalidade. Nanda Mateus trabalha com educação e inovação em tecnologias para...
Existem músicas para os momentos felizes, tristes e até aquelas que marcam datas especiais, mas para Melody King é diferente: as canções são uma consequência — infelizmente incontrolável — de uma rara doença. As dificuldades em lidar com as embaraçosas situações,...
img
img
RSS  Top Vdeos Top Vídeos
img
Thumbnail
img
img
img
RSS  Classificados Classificados
img
img
img



RSS GOOGLE + YOUTUBE TWITTER FACEBOOK