Novoeste on-line - Onde o Oeste da Bahia é Notícia
> Principal > Artigos > Pauta Livre > Flagelado
 
Flagelado
22/01/2014 as 17:12 h  Autor João Baptista Herkenhof  Imprimir Imprimir
Pela primeira vez no curso de minha existência, vivi por uma noite a situação de flagelado. Foi uma experiência que me impõe um salto existencial.

Eu voltava de Vitória, onde acompanhei minha mulher para uma consulta médica, e me dirigia a nossa residência na Praia da Costa. No meio do caminho caiu o temporal que deixou milhares de famílias capixabas ao desabrigo.

Quando estávamos diante da alça, cuja transposição nos levaria bem próximo do edifício onde moramos, o táxi que nos conduzia percebeu que não seria possível seguir adiante. O carro ficaria afogado na água, se tentasse vencer a correnteza. Também já estava totalmente interrompida a passagem pela Rua Hugo Musso, a segunda alternativa possível. O taxista subiu até o topo do Morro do Marinho, onde estaríamos a salvo das águas. Disse que deixaria o carro estacionado ali e seguiria a pé para sua casa, no meio da lama. Deixou-nos a ver navios, como se diz na linguagem popular. Eu me vi na situação de flagelado: ao relento, sem ter onde reclinar a cabeça. Pensei nos milhares, em situação infinitamente pior: não num desabrigo eventual, que podia ser contornado com um pouco de paciência, mas num desabrigo total. Meu filho, residente na Praia do Canto, disse que iria a nosso encalço. Nós lhe pedimos que não se lançasse a tão temerária jornada, uma vez que não poderia transpor a correnteza.

Quando estávamos aparentemente entregues a nossa própria sorte, eis que se aproxima um casal que não conhecíamos e também não nos conhecia: Miguel Motta Neto e Valquíria Motta. Esse casal nos convidou para que nos dirigíssemos à casa deles, que ficava ali bem perto. Fomos então recebidos por Dona Mara, Mãe do Miguel, e ficamos conhecendo o filhinho do casal – Gabriel, que tem a mesma idade de nossa netinha Lis. Dona Mara nos ofereceu um café com broas feitas em casa.

Estávamos a projetar como seria nossa ida em direção ao edifício onde moramos, na Avenida Antônio Gil Veloso. Seria preciso esperar que o nível das águas baixasse. Foi aí que Miguel e Valquíria atalharam nosso pensamento: não iríamos para nossa residência, dormiríamos na casa deles.

Felizes sob a proteção daquele lar, antevimos que o assoalho de madeira seria mais confortável que o leito que nos fosse oferecido num castelo.

E eis que Valquíria, Miguel e Dona Mara nos propõem um absurdo: eles todos se ajeitariam no chão e nós dormiríamos na confortável cama do quarto do casal. Tentamos sem êxito dizer não.

E a noite que supúnhamos seria de flagelado tornou-se uma celebração de Fraternidade. O salto existencial que mencionei no início deste artigo consiste no desafio de tentarmos ser para outros tão irmãos quanto foram para nós Miguel, Valquíria e Dona Mara.
 
João Baptista Herkenhoff é Juiz de Direito aposentado (ES), professor e escritor. E-mail: jbherkenhoff@uol.com.br

Comente via Facebook
Mais Artigos
No h comentrios.
img
img
RSS  Artigos Artigos

O escritor foi e ainda é, para as crianças que estão começando a descortinar o infinito horizonte da palavra, algo inatingível, meio mágico, talvez mítico.Isso, dito por elas mesmas. A criança é naturalmente curiosa, sedenta de conhecimento e experiência, e ficar cara a cara com...
Na civilização humana, em todos os tempos as gesticulações passaram a simbolizar determinados comportamentos e construir significados diversos para cada sociedade e para cada povo. Gestos humanos servem tanto para simbolizar comportamentos positivos, bem como...
https://www.novoeste.com/uploads/image/artigos_gaudencio-torquato_jornalista-professor-usp-consultor-politico.jpgHoje, tomo a liberdade de fazer uma reflexão sobre a vida. Valho-me, inicialmente, de Sêneca com seu puxão de orelhas: “somos gerados para uma curta existência.  A vida é breve e a arte é longa. Está errado. Não dispomos de pouco tempo, mas desperdiçamos muito. A vida é longa...
A presidenta do Instituto Justiça Fiscal aponta o falso dilema para a escolha eleitoral de 2022 e indica as fontes de custeio para vencer o quadro desolador de fragilidade da maioria do povo brasileiro. A próxima eleição, se ocorrer, certamente exigirá muito de nós. Mas não será uma escolha difícil. Para começar, terceira via não existe! Ou melhor: existe, em Bolsonaro. Este, que pode parecer insano, sádico, intratável, joga o jogo e...
A Constituição Cidadã erigiu a dignidade da pessoa humana como seu fundamento, ao lado da soberania, cidadania, valores sociais do trabalho e da livre iniciativa e o pluralismo político. Trata-se, portanto, de um dos pilares que legitimam o Estado Social e Democrático que fundou....
img
img
img
PUBLICAÇÕES RECENTES
img




img



img
img
img
CASAS img LOTES img FAZENDAS
img
CHÁCARAS img PRÉDIOS COMERCIAIS img GALPÕES
img
RSS  Dicas de Leitura Dicas de leitura
img
Ambientado em uma comunidade japonesa de São Paulo, lançamento ficcional da escritora Juliana Marinho promove o poder da música como intervenção para cura de doenças. A musicoterapia, união da arte e saúde em busca da reabilitação ou promoção do bem-estar, é a responsável...
Por meio da personagem Malu, as escritoras e letrólogas paulistas Nanda Mateus e Raphaela Comisso dialogam com as crianças sobre diversidade familiar e desmistificam a homoparentalidade. Nanda Mateus trabalha com educação e inovação em tecnologias para...
Existem músicas para os momentos felizes, tristes e até aquelas que marcam datas especiais, mas para Melody King é diferente: as canções são uma consequência — infelizmente incontrolável — de uma rara doença. As dificuldades em lidar com as embaraçosas situações,...
img
img
RSS  Top Vdeos Top Vídeos
img
Thumbnail
img
img
img
RSS  Classificados Classificados
img
img
img



RSS GOOGLE + YOUTUBE TWITTER FACEBOOK