Novoeste on-line - Onde o Oeste da Bahia é Notícia
> Principal > Artigos > Pauta Livre > Não consigo assumir um relacionamento
 
Não consigo assumir um relacionamento
13/01/2014 as 17:47 h  Autor Rosana Braga  Imprimir Imprimir
Pessoas que não se comprometem com nada certamente têm seus motivos. Em geral, tipos assim se mostram muito convictos de seu estilo livre de vida, seja por algum trauma vivido no passado, por medo de sofrer ou por considerar a vida de solteiro bem mais interessante. O fato é que há um bloqueio para demonstrar emoções.

O pior é que, mesmo não querendo compromisso, não é assim que eles se comportam. No amor essas pessoas estão sempre disponíveis e são altamente sedutoras e envolventes. O problema é que assim que conseguem conquistar mais um desavisado, começam a reafirmar o quanto não estão preparados para viver um relacionamento sério com ninguém.

Quem fica a ver navios, imediatamente, levanta um mar de questionamentos. Será que o problema é comigo? O que eu fiz de errado? Por que essa pessoa não consegue manter um relacionamento?

Há quem se convença de que a questão mal resolvida é de quem está terminando a relação, mas há quem tome para si todas as culpas e, pior, dedica toda a sua energia tentando conquistar o sujeito ‘difícil’, custe o que custar, como se mudar o jeito de ser desta pessoa fosse um desafio ou uma missão.

Mas, a pergunta que não quer calar: por que algumas pessoas não conseguem assumir um compromisso? Posso garantir que o que faz uma pessoa se defender de seus próprios sentimentos, a ponto de nem conseguir percebê-los, é, na maioria das vezes, medo. Medo de ser enganado, de não ser correspondido, de ser traído, de se apegar demais e se tornar refém dos desejos do outro, medo de sofrer como já sofreu no passado ou como já viu alguém sofrer, de se sentir sem controle de si mesmo e por aí vai.

E quando nem a pessoa se dá conta de que está dominada pelo medo, este sentimento é capaz de anestesiar emoções e paralisar reações. A pessoa que não se deixa ser amada e nem se permite amar está se distanciando do que sente de tal forma que prefere levantar um escudo de proteção e fincar a bandeira de uma suposta liberdade. Como se o outro ou o relacionamento fossem grades ou algemas que impossibilitam o prazer e a felicidade.

A saída real está na consciência. Somente quando a pessoa perceber que amar faz parte do risco de viver é que conseguirá ser livre de verdade. O medo precede a ânsia por certezas, mas certezas não existem – nem garantias. Para ser feliz é preciso arriscar. Como escreveu lindamente Leo Buscáglia, “Os riscos têm de ser corridos, pois o maior perigo na vida é não arriscar nada. A pessoa que não arrisca nada, não faz nada, não tem nada e não é nada. Pode evitar o sofrimento e o pesar, mas não pode aprender, sentir, mudar, crescer, viver ou amar”.

Para arriscar é preciso ter coragem e para ter coragem uma pessoa precisa conhecer cada um de seus medos. Só assim será possível superá-los e se entregar à dádiva de amar e ser amado. E ter a certeza de que o amor vale a pena.

Rosana Braga é consultora de relacionamento e comunicação do ParPerfeito, palestrante, jornalista e escritora.

Comente via Facebook
Mais Artigos
No h comentrios.
img
img
RSS  Artigos Artigos

O escritor foi e ainda é, para as crianças que estão começando a descortinar o infinito horizonte da palavra, algo inatingível, meio mágico, talvez mítico.Isso, dito por elas mesmas. A criança é naturalmente curiosa, sedenta de conhecimento e experiência, e ficar cara a cara com...
Na civilização humana, em todos os tempos as gesticulações passaram a simbolizar determinados comportamentos e construir significados diversos para cada sociedade e para cada povo. Gestos humanos servem tanto para simbolizar comportamentos positivos, bem como...
https://www.novoeste.com/uploads/image/artigos_gaudencio-torquato_jornalista-professor-usp-consultor-politico.jpgHoje, tomo a liberdade de fazer uma reflexão sobre a vida. Valho-me, inicialmente, de Sêneca com seu puxão de orelhas: “somos gerados para uma curta existência.  A vida é breve e a arte é longa. Está errado. Não dispomos de pouco tempo, mas desperdiçamos muito. A vida é longa...
A presidenta do Instituto Justiça Fiscal aponta o falso dilema para a escolha eleitoral de 2022 e indica as fontes de custeio para vencer o quadro desolador de fragilidade da maioria do povo brasileiro. A próxima eleição, se ocorrer, certamente exigirá muito de nós. Mas não será uma escolha difícil. Para começar, terceira via não existe! Ou melhor: existe, em Bolsonaro. Este, que pode parecer insano, sádico, intratável, joga o jogo e...
A Constituição Cidadã erigiu a dignidade da pessoa humana como seu fundamento, ao lado da soberania, cidadania, valores sociais do trabalho e da livre iniciativa e o pluralismo político. Trata-se, portanto, de um dos pilares que legitimam o Estado Social e Democrático que fundou....
img
img
img
PUBLICAÇÕES RECENTES
img




img



img
img
img
CASAS img LOTES img FAZENDAS
img
CHÁCARAS img PRÉDIOS COMERCIAIS img GALPÕES
img
RSS  Dicas de Leitura Dicas de leitura
img
Ambientado em uma comunidade japonesa de São Paulo, lançamento ficcional da escritora Juliana Marinho promove o poder da música como intervenção para cura de doenças. A musicoterapia, união da arte e saúde em busca da reabilitação ou promoção do bem-estar, é a responsável...
Por meio da personagem Malu, as escritoras e letrólogas paulistas Nanda Mateus e Raphaela Comisso dialogam com as crianças sobre diversidade familiar e desmistificam a homoparentalidade. Nanda Mateus trabalha com educação e inovação em tecnologias para...
Existem músicas para os momentos felizes, tristes e até aquelas que marcam datas especiais, mas para Melody King é diferente: as canções são uma consequência — infelizmente incontrolável — de uma rara doença. As dificuldades em lidar com as embaraçosas situações,...
img
img
RSS  Top Vdeos Top Vídeos
img
Thumbnail
img
img
img
RSS  Classificados Classificados
img
img
img



RSS GOOGLE + YOUTUBE TWITTER FACEBOOK