Novoeste on-line - Onde o Oeste da Bahia é Notícia
> Principal > Artigos > Pauta Livre > MÃOS ÁGEIS*
 
MÃOS ÁGEIS*
26/08/2013 as 11:27 h  Autor Ronaldo Duran  Imprimir Imprimir
A jovem mãe meteu o agasalho no filhote de quatro anos. Sonolenta, a criança sequer esboçou irritação quando colocada no cadeirão no assento traseiro. O menino seria deixado na casa da avó, antes de a jovem seguir para o trabalho. Tinha que entrar às sete horas.

Dirigindo pela rodovia, somente a pressa conseguia espantar seu sono.

Estacionou diante da grande muralha. Uma casa de detenção. Sendo dia de visita dos familiares, rapidamente trocou de roupa e seguiu para a sala de segurança. Tomou posse do rádio comunicador que ficaria grudado a ela o dia inteiro, deixando-o com o companheiro de guarita somente quando fosse ao banheiro. Nem quando almoçava se desgrudava do rádio.

Antes de os portões serem abertos para os familiares dos detentos, quem adentra na instituição são os funcionários. Todos devem ser inspecionados. Na condição de guardete responsável pela segurança patrimonial, tem como rotina ações que previnam prejuízos para a instituição. A primeira tarefa: impedir que funcionário leve objetos da empresa para casa. O controle dá-se logo na portaria. Bolsas, sacos, mochilas, tudo são revistados. A segunda tarefa: vedar acesso a celulares por parte de detentos. Assim, os celulares dos funcionários – com exceção dos diretores – são deixados na entrada, retirados na hora da saída.

Os guardas revistam os funcionários e as funcionárias são vasculhadas pelas guardetes.

Como se trata de uma instituição de detenção masculina, a visita é na maioria composta por mulheres: mães, tias, esposas e filhas. Tem pais, tios, irmãos e filhos, mas em melhor número.

Faltam 15 minutos para abrir os portões. Dentro do banheiro, a guardete aproveita para retocar a maquiagem. Embora mãe, ainda está nos seus vinte e poucos anos. Os cabelos – item mais elogiado por homens e mulheres, depois, claro, da educação que trata as pessoas – são seguros e presos a um laço. O batom realça os lábios atraentes – principalmente na ótica dos Don Juans e chavequeiros da unidade. No rosto, sardas que nada atrapalham a suavidade dos traços.

Além da suavidade que o rosto com sardas traz, um item que encanta são os aparelhos que leva nos dentes. O de cor rosa é que mais se adapta a sua fisionomia. Mas o verde exibe uma atração ímpar. Embora possa ter pessoas insensíveis, que gostam de destratar quem quer que seja, hábeis em encontrar defeitos onde não existem, para a maioria o aparelho nos dentes da jovem mãe são bonitos. Para os fetichistas, um item provocante.

Antes de sair do banheiro, havia colocado o par de brancas luvas higiênicas.

Destino: sala de revista. A primeira mulher adentra. O rigor da vistoria corporal perde somente para o exame ginecológico. Invasivo, desconfortável até para quem examina.

A norma de segurança assim exige. Quantos aparelhos celulares, quantas trouxinhas de entorpecentes, giletes entram em presídios. Muitos trazidos no interior do órgão genital feminino.  Nem senhoras idosas ou bebês escapam.

Para a gentil guardete é doloroso ver senhoras acima de 60 anos nuas e bebês com as fraldas reviradas. Mas bandidos sequer poupam essas pessoas para atingir seus intentos. Há necessidade da prevenção.

Certa vez a loira guardete recebeu elogio por ter mãos educadas vindo de uma senhora que podia ser sua avó. Mãos ágeis também. Outra ocasião apreendeu um celular, no momento que uma moça nua agachara-se.

As habilidades no gerir as tarefas de mãe e de guardete não esgotam suas qualidades. Tem generosidade, e presteza. Numa emergência, ofereceu seu carro para um doutor da unidade, que estava sem veículo, resolver um problema na cidade. O doutor naturalmente recusou a oferta, mas ficou extremamente admirado do desapego material da moça. Mais um ponto para a jovem.
 
Ronaldo Duran é professor, psicólogo e autor de romances.

Comente via Facebook
Mais Artigos
No h comentrios.
img
img
RSS  Artigos Artigos

O escritor foi e ainda é, para as crianças que estão começando a descortinar o infinito horizonte da palavra, algo inatingível, meio mágico, talvez mítico.Isso, dito por elas mesmas. A criança é naturalmente curiosa, sedenta de conhecimento e experiência, e ficar cara a cara com...
Na civilização humana, em todos os tempos as gesticulações passaram a simbolizar determinados comportamentos e construir significados diversos para cada sociedade e para cada povo. Gestos humanos servem tanto para simbolizar comportamentos positivos, bem como...
https://www.novoeste.com/uploads/image/artigos_gaudencio-torquato_jornalista-professor-usp-consultor-politico.jpgHoje, tomo a liberdade de fazer uma reflexão sobre a vida. Valho-me, inicialmente, de Sêneca com seu puxão de orelhas: “somos gerados para uma curta existência.  A vida é breve e a arte é longa. Está errado. Não dispomos de pouco tempo, mas desperdiçamos muito. A vida é longa...
A presidenta do Instituto Justiça Fiscal aponta o falso dilema para a escolha eleitoral de 2022 e indica as fontes de custeio para vencer o quadro desolador de fragilidade da maioria do povo brasileiro. A próxima eleição, se ocorrer, certamente exigirá muito de nós. Mas não será uma escolha difícil. Para começar, terceira via não existe! Ou melhor: existe, em Bolsonaro. Este, que pode parecer insano, sádico, intratável, joga o jogo e...
A Constituição Cidadã erigiu a dignidade da pessoa humana como seu fundamento, ao lado da soberania, cidadania, valores sociais do trabalho e da livre iniciativa e o pluralismo político. Trata-se, portanto, de um dos pilares que legitimam o Estado Social e Democrático que fundou....
img
img
img
PUBLICAÇÕES RECENTES
img




img



img
img
img
CASAS img LOTES img FAZENDAS
img
CHÁCARAS img PRÉDIOS COMERCIAIS img GALPÕES
img
RSS  Dicas de Leitura Dicas de leitura
img
Ambientado em uma comunidade japonesa de São Paulo, lançamento ficcional da escritora Juliana Marinho promove o poder da música como intervenção para cura de doenças. A musicoterapia, união da arte e saúde em busca da reabilitação ou promoção do bem-estar, é a responsável...
Por meio da personagem Malu, as escritoras e letrólogas paulistas Nanda Mateus e Raphaela Comisso dialogam com as crianças sobre diversidade familiar e desmistificam a homoparentalidade. Nanda Mateus trabalha com educação e inovação em tecnologias para...
Existem músicas para os momentos felizes, tristes e até aquelas que marcam datas especiais, mas para Melody King é diferente: as canções são uma consequência — infelizmente incontrolável — de uma rara doença. As dificuldades em lidar com as embaraçosas situações,...
img
img
RSS  Top Vdeos Top Vídeos
img
Thumbnail
img
img
img
RSS  Classificados Classificados
img
img
img



RSS GOOGLE + YOUTUBE TWITTER FACEBOOK