Novoeste on-line - Onde o Oeste da Bahia é Notícia
> Principal > Artigos > Pauta Livre > ÚLTIMO ANO DA POLI*
 
ÚLTIMO ANO DA POLI*
03/08/2013 as 10:12 h  Autor Ronaldo Duran  Imprimir Imprimir
O período de festas de fim de ano e férias torna a cidade universitária bem esvaziada. Embora que nas férias conte com a equipe de segurança, alunos e professores circulam por lá.  São professores envolvidos com pesquisa. Alunos que servem de monitores ou assistentes. Os cursos de verão e de aperfeiçoamento igualmente trazem gente para andar nas enormes avenidas universitárias.

Para servir a mestres e alunos, que passam as férias no campus, acrescenta-se o contingente de funcionários. É preciso secretários, pessoal de apoio operacional.

Todavia nada se compara ao retorno das aulas. Se antes uma sala de aula, ou de departamento, era ocupada por um único professor diante de três ou quatro assistentes de pesquisa, quando as aulas são retomadas, a muvuca toma conta inclusive dos corredores.

A volta às aulas proporciona, a cada ano, o choque do novo com o estabelecido. Calouros, verdadeira manada de cérebros pouco corrompidos e sedentos de conhecimento, que adentram a porteira da universidade. Meninas, ex colegiais, umas mais atiradas, outras mais recatadas. Meninos, crianças crescidas. Todos visualizando um futuro promissor ou uma rotina mais livre, longe da família.

De um lado, calouros a absorver a novidade. De outro, os veteranos fingindo indiferença ou realmente entediados da rotina vivida há um ou mais anos. Uns apreciando os calouros com o olhar que deixaria o Marquês de Sade enrubescido. Ávidos veteranos buscando amedrontar receosos calouros com gritos, com cortes de cabelo, com linguagem chula. Mesmo na pele de bom samaritano, uns procurando acolher lascivamente os novatos. É a micro sociedade, e suas imperfeições. Por isso a prefeitura do campus e o diretório acadêmico devem ficar vigilantes para evitar abusos de parte dos veteranos que de outro modo não teriam limites.

Todos estão prontos para enfrentar seja o primeiro seja o último ano do curso da poli da USP, certo?

Infelizmente há desistentes. No caso aqui, um rapaz, de barba grande, vindo de uma família cujo perfil é típico dos alunos da Poli. A alegria que dera a sua família quando, há quatro anos, soube da aprovação no concorrido vestibular da USP, é agora transformada em decepção, ainda que disfarçada, diante da desistência do último ano da Poli.

O motivo da desistência? A paixão pelo rock.

Meteu-se numa banda e nela se afundou. Nada diferente da rotina de muitas bandas famosas, cujos integrantes desistiram da carreira universitária. Pena que para ele e para a banda o sucesso não veio.

A bebida, além da inspiração que dava aos acordes e composição, gerou vida desregrada a partir do segundo ano de curso, contribuindo para as deps. A cada semestre, via a obrigação de estudar mais e mais se caso quisesse ter bons resultados no mundo acadêmico, ao mesmo tempo em que mais e mais murchava o interesse para ficar em cima dos livros.

O fascínio do rock vendava-o. Acabou por entregar-se ao relaxo.

Já depois de ter terminado o primeiro ano de curso, a transformação era visível. Aquele aluno, que era aplicado no colegial, gostou das bebidas e da conversas fiada nos barzinhos. Preferiu ficar na cantina por mais tempo que o intervalo de aulas permitia. A ressaca das baladas o impedia, caso fosse para sala de aula, de dar a mínima atenção ao conteúdo que o professor doutor transmitia em cima do tablado.

Aflorou nele o instinto da liberdade e quis dar um basta a todos os anos que fora obrigado a perder tempo dentro da escola. A banda de rock foi essa porta.

De volta à sua cidade natal, vive para fazer shows noturnos com sua banda. Dinheiro nenhum. Está mergulhado numa rotina: dormir às sete da manhã, logo que chega das baladas.

Diante do futuro incerto, uma frase atravessa seus lábios: “hoje seria o primeiro dia de aula...”.
 
*Ronaldo Duran, autor de romances e contos. Em 2012, lançou o Sonhar é Bom, Viver é Muito Melhor.

Comente via Facebook
Mais Artigos
No h comentrios.
img
img
RSS  Artigos Artigos

Embora pensada para se opor à polarização entre direita e esquerda nas eleições presidenciais, a candidatura de terceira via, se ocorrer, favorecerá Lula e atrapalhará Bolsonaro. Por natureza, o eleitorado de esquerda comparece incondicionalmente às urnas e vota no candidato da tendência, mesmo...
Em evento de filiação ao Podemos e com discurso político, Sérgio Moro traz à tona sentimentos e projeções variadas acerca de seus objetivos políticos. Símbolo maior da Operação Lava Jato quando juiz, superministro do Governo Bolsonaro, trabalhador da iniciativa privada nos EUA, enfim, uma trajetória já assaz atribulada nos últimos anos e, agora, uma pré-candidatura, ao que tudo indica para a Presidência, em 2022, mas não...
O partido que desfralda a bandeira da socialdemocracia e adota um tucano como símbolo, o PSDB, está em frangalhos. Quando foi criado em 1988 era a esperança de o país pela trilha de uma nova política, amparada no conceito do Estado comprometido com o bem estar social e aberto aos...
O cipoal de leis que restringe a liberdade individual deve ser censurado. Característica principal dos sistemas socialistas anacrônicos e até mesmos dos híbridos, a hegemonia de leis que restringe a liberdade individual vem contaminando o progresso geral. A liberdade é instrumento de construção e de evolução meteórica mais consistente dentro dos sistemas viáveis de construção da sociedade humana. Os dois caminhos experimentados pelas...
A Caridade é o centro gravitacional da consciência ideológica, portanto, educacional, política, social, filosófica, científica, religiosa, artística, esportiva, doméstica e pública do Cidadão Espiritual. Desse modo, se o ser humano não tiver compreensão dela, deve esforçar-se para entendê-la, a fim de...
img
img
img
PUBLICAÇÕES RECENTES
img




img



img
img
img
CASAS img LOTES img FAZENDAS
img
CHÁCARAS img PRÉDIOS COMERCIAIS img GALPÕES
img
RSS  Dicas de Leitura Dicas de leitura
img
Ambientado em uma comunidade japonesa de São Paulo, lançamento ficcional da escritora Juliana Marinho promove o poder da música como intervenção para cura de doenças. A musicoterapia, união da arte e saúde em busca da reabilitação ou promoção do bem-estar, é a responsável...
Por meio da personagem Malu, as escritoras e letrólogas paulistas Nanda Mateus e Raphaela Comisso dialogam com as crianças sobre diversidade familiar e desmistificam a homoparentalidade. Nanda Mateus trabalha com educação e inovação em tecnologias para...
Existem músicas para os momentos felizes, tristes e até aquelas que marcam datas especiais, mas para Melody King é diferente: as canções são uma consequência — infelizmente incontrolável — de uma rara doença. As dificuldades em lidar com as embaraçosas situações,...
img
img
RSS  Top Vdeos Top Vídeos
img
Thumbnail
img
img
img
RSS  Classificados Classificados
img
img
img



RSS GOOGLE + YOUTUBE TWITTER FACEBOOK