Novoeste on-line - Onde o Oeste da Bahia é Notícia
> Principal > Artigos > Pauta Livre > A democracia analógica deve ceder espaço para a democracia digital?
 
A democracia analógica deve ceder espaço para a democracia digital?
31/07/2013 as 21:11 h  Autor Luiz Flávio Gomes  Imprimir Imprimir
Essa é a grande novidade do século XXI. Os protestos massivos, que no fundo pedem justiça social e mais eficiência nos serviços prestados pelo estado, sinalizam a necessidade de um novo modelo de democracia participativa, deliberativa e vigilante, muito mais transparente que a velha democracia analógica (representativa). Seria uma espécie de democracia digital. A sociedade em rede aprofundou o descompasso entre a dinâmica dos partidos políticos e as exigências atuais da cidadania (Viard, em Daniel Aarão, O Globo de 09.07.13, p. 14).
 
Ela está em busca de um novo regime político que dê abertura para a cidadania em rede, que é autônoma e horizontalizada. Os destinos da nação não podem mais ficar nas mãos exclusivamente dos representantes políticos (em quem o povo, hoje, não confia). Já não bastam as eleições. É preciso se aproximar das redes sociais: “Há anos a gente está gritando na internet e ninguém escuta, porque o governo não sabe nem sequer abrir o facebook” (diz um manifestante).
 
O que a sociedade está pretendendo?
 
A sociedade em rede quer vigiar os poderes e ter voz e poder de decisão compartilhada. Participação, deliberação e vigilância são as palavras-chave da nova racionalidade. É preciso digitalizar a democracia, criando-se uma praça pública digital, um Fórum Cidadão, onde a população possa manifestar e deliberar, algo híbrido de Avaaz (dirigido por Pedro Abramovay) e Facebbok, só que com validade jurídica (O Estado de S. Paulo de 21.07.13, p. A8). A descentralização das decisões se tornou impostergável. Quem tem voz na internet terá voz no Congresso. Consoante Marcus Vinicius Coêlho (presidente da OAB nacional), a proposta não só é viável, como é desejável.
 
A presidência da República está começando a entender a nova lógica?
 
Sim, tanto que decidiu instalar no Palácio do Planalto um “gabinete digital” para se comunicar, sem intermediários, com as redes sociais. A ideia (Folha de S. Paulo de 23.07.13, p. A10) é “abastecer o mundo cibernético com dados oficiais; monitorar e pautar o debate virtual; fazer disputa de versões, desfazer boatos e tentar, na medida do possível, colocar a presidente em contato mais direto com internautas”. A proposta, no entanto, é de um gabinete digital defensivo.
 
Mas o que a democracia direta digital pede é algo bem distinto, é um Fórum Cidadão, legalizado, que possibilite discutir, deliberar e vigiar o poder público (os seus atos e contratos). Mais que isso: no mundo desencantado que vivemos, o que atrai a confiança dos cidadãos não é o acerto do programa eleitoral anunciado, os discursos, as promessas, sim, o netcidadão quer discutir os programas de governo, quer transparência, quer deliberar junto (assumindo suas responsabilidades), quer vigiar o servidor público, sobretudo, sua personalidade, ou seja, importa saber o que ele faz, mas especialmente quem ele é (no exercício da função pública).
 
Recorde-se que os programas dos partidos políticos são (plasticamente) intercambiáveis e dizem quase sempre a mesma coisa. “A verdadeira diferença, a summa divisio rerum na política, a encontramos, pois, não no que eles são, sim, na linha que separa dois estilos contrapostos de vida, o vulgar e o exemplar” (Gomá Lazón). Em suma, o que mais importa hoje, para além de uma boa governança, é a exemplaridade, a honestidade, a retidão, a ética do político ou governante, que tem que saber a diferença entre o egoísmo e o altruísmo.

LUIZ FLÁVIO GOMES
, jurista e coeditor do portal atualidades do direito. Estou ao vivo no Portal e TV atualidadesdodireito.com.br

Comente via Facebook
Mais Artigos
No h comentrios.
img
img
RSS  Artigos Artigos

Embora pensada para se opor à polarização entre direita e esquerda nas eleições presidenciais, a candidatura de terceira via, se ocorrer, favorecerá Lula e atrapalhará Bolsonaro. Por natureza, o eleitorado de esquerda comparece incondicionalmente às urnas e vota no candidato da tendência, mesmo...
Em evento de filiação ao Podemos e com discurso político, Sérgio Moro traz à tona sentimentos e projeções variadas acerca de seus objetivos políticos. Símbolo maior da Operação Lava Jato quando juiz, superministro do Governo Bolsonaro, trabalhador da iniciativa privada nos EUA, enfim, uma trajetória já assaz atribulada nos últimos anos e, agora, uma pré-candidatura, ao que tudo indica para a Presidência, em 2022, mas não...
O partido que desfralda a bandeira da socialdemocracia e adota um tucano como símbolo, o PSDB, está em frangalhos. Quando foi criado em 1988 era a esperança de o país pela trilha de uma nova política, amparada no conceito do Estado comprometido com o bem estar social e aberto aos...
O cipoal de leis que restringe a liberdade individual deve ser censurado. Característica principal dos sistemas socialistas anacrônicos e até mesmos dos híbridos, a hegemonia de leis que restringe a liberdade individual vem contaminando o progresso geral. A liberdade é instrumento de construção e de evolução meteórica mais consistente dentro dos sistemas viáveis de construção da sociedade humana. Os dois caminhos experimentados pelas...
A Caridade é o centro gravitacional da consciência ideológica, portanto, educacional, política, social, filosófica, científica, religiosa, artística, esportiva, doméstica e pública do Cidadão Espiritual. Desse modo, se o ser humano não tiver compreensão dela, deve esforçar-se para entendê-la, a fim de...
img
img
img
PUBLICAÇÕES RECENTES
img




img



img
img
img
CASAS img LOTES img FAZENDAS
img
CHÁCARAS img PRÉDIOS COMERCIAIS img GALPÕES
img
RSS  Dicas de Leitura Dicas de leitura
img
Ambientado em uma comunidade japonesa de São Paulo, lançamento ficcional da escritora Juliana Marinho promove o poder da música como intervenção para cura de doenças. A musicoterapia, união da arte e saúde em busca da reabilitação ou promoção do bem-estar, é a responsável...
Por meio da personagem Malu, as escritoras e letrólogas paulistas Nanda Mateus e Raphaela Comisso dialogam com as crianças sobre diversidade familiar e desmistificam a homoparentalidade. Nanda Mateus trabalha com educação e inovação em tecnologias para...
Existem músicas para os momentos felizes, tristes e até aquelas que marcam datas especiais, mas para Melody King é diferente: as canções são uma consequência — infelizmente incontrolável — de uma rara doença. As dificuldades em lidar com as embaraçosas situações,...
img
img
RSS  Top Vdeos Top Vídeos
img
Thumbnail
img
img
img
RSS  Classificados Classificados
img
img
img



RSS GOOGLE + YOUTUBE TWITTER FACEBOOK