Novoeste on-line - Onde o Oeste da Bahia é Notícia
> Principal > Artigos > Pauta Livre > Vândalos... Quem são?
 
Vândalos... Quem são?
11/07/2013 as 18:30 h  Autor Daniel Chutorianscy  Imprimir Imprimir
Vândalos... Quem são? Aqueles que enfrentam toda a polícia do patriciado armada até os dentes, com armaduras, bombas, balas de borracha, “caveirões”, numa manifestação exigindo justiça? Ou seriam os “vândalos” a mídia amestrada do mesmo patriciado, que faz e executa um terrorismo armado até os dentes para estupidificar, idiotizar, emburrecer?

Os vândalos na época da triste e cruel ditadura militar eram chamados de “subversivos”. Agora, os subversivos são chamados de “vândalos”. Pouco mudou para a mídia que veste o modelo do capital internacional. A razão também não mudou para essa mesma mídia: encobrir lucros fantásticos, corrupção mais fantástica ainda, e encobrir o “melhor dos mundos”: uma dívida eterna, interna e externa que sangra um país que é a sexta economia do planeta, com 50% de seu produto interno bruto direcionado ao pagamentos de juros cada vez maiores para banqueiros e multinacionais. Com o índice de qualidade de vida estando lá na rabeira... E perguntamos novamente: quem são os vândalos?

Quando a população sai às ruas para dizer: “basta de um país SPC!” (samba, pizza, carnaval), como a mídia do patriciado costuma vender em seus telões globais, com o vandalismo da fantasia e da ilusão. Viva o samba, viva o carnaval, que juntos se uniram nas ruas do país cantando um novo samba-enredo com a alma do coletivo e popular e que soava bem alto ao som de “queremos um país SPC, ou seja, sem pobreza e corrupção”.

Que país fantástico! Ao mesmo tempo, o futebol dentro dos campos gramados, e as manifestações em outros campos armados de indignação e basta. “O brasileiro é acovardado, um bunda-mole que só pensa em samba e futebol”, frase que ouvimos repetidamente. “Eu não sou bunda-mole”... Pois é, esse foi o sentimento que levou todo um país a bater forte nas portas da senhora austera e elitizada que se chama República, para fazer ouvir sua voz bem alto. Aliás, uma República que nunca ouviu sua população, e viveu sempre dando golpes de Estado. Diga-se, uma República que nasceu de um golpe de Estado.

Privatizações, ditaduras, plano Collor, leilões de riquezas naturais e minerais, estádios de futebol riquíssimos e mais um sem fim de golpes de Estado e vandalismos.

Vândalos... quem são? Aqueles que, consciente ou inconscientemente, nas manifestações de rua, enfrentam um aparato militar que protege o patriciado, os bancos, as multinacionais que aqui operam e extraem riquezas do país, desregulando tudo e qualquer coisa e que “mete o cacete” na população de “segunda ou terceira linha”, segundo a linguagem dos “iluminados”? Tudo orquestrado com a mídia obediente, cujo papel é hipnotizar o “distinto público” e esconder a prioridade número 1 deste país: mudar definitivamente as relações com o capital internacional, que vandaliza, tortura, adoece, desestrutura, deseduca e mata.

Auditar as contas de uma dívida eterna com a população, auditar a dívida eterna com a Educação, Saúde, Habitação, Justiça, Cidadania. Auditar o direito número 1: a Vida, e como disse bem claro a população com suas bandeiras nas ruas, “os vândalos são vocês, que são contra a vida, só pensam em lucro e que, quando se encontram, só proferem duas frases: ‘ganhar mais e pagar menos’”.

Protestar, ir para as ruas com determinação e jogar pedras nos lucros mais que abusivos que massacram o país, quebrar as vitrines enfeitadas de uma mídia adestrada que protege a corrupção do violento capitalismo, é um ato histórico.

Ou o modelo capitalista acaba com nóis, ou nóis acaba com o modelo capitalista”, esse foi o estímulo consciente ou inconsciente que a população deste imenso país usou para expulsar a “bruxaria” e o “vandalismo” do entreguismo e da inércia. Com ou sem lideranças, repudiando os partidos políticos atuais e, ao mesmo tempo, formando novas lideranças que sairão das ruas e não dos “nobres” recintos fechados, onde impera o ato de lucrar com a vida humana – este sim, um ato cruel, diabólico. O verdadeiro vandalismo com a espécie humana.

Vândalos... quem são? Com certeza não estão do lado de cá.

Escrito por Daniel Chutorianscy. Médico.
E-mail: trenzinhocaipira(0)vnet.com.br

Comente via Facebook
Mais Artigos
No h comentrios.
img
img
RSS  Artigos Artigos

O escritor foi e ainda é, para as crianças que estão começando a descortinar o infinito horizonte da palavra, algo inatingível, meio mágico, talvez mítico.Isso, dito por elas mesmas. A criança é naturalmente curiosa, sedenta de conhecimento e experiência, e ficar cara a cara com...
Na civilização humana, em todos os tempos as gesticulações passaram a simbolizar determinados comportamentos e construir significados diversos para cada sociedade e para cada povo. Gestos humanos servem tanto para simbolizar comportamentos positivos, bem como...
https://www.novoeste.com/uploads/image/artigos_gaudencio-torquato_jornalista-professor-usp-consultor-politico.jpgHoje, tomo a liberdade de fazer uma reflexão sobre a vida. Valho-me, inicialmente, de Sêneca com seu puxão de orelhas: “somos gerados para uma curta existência.  A vida é breve e a arte é longa. Está errado. Não dispomos de pouco tempo, mas desperdiçamos muito. A vida é longa...
A presidenta do Instituto Justiça Fiscal aponta o falso dilema para a escolha eleitoral de 2022 e indica as fontes de custeio para vencer o quadro desolador de fragilidade da maioria do povo brasileiro. A próxima eleição, se ocorrer, certamente exigirá muito de nós. Mas não será uma escolha difícil. Para começar, terceira via não existe! Ou melhor: existe, em Bolsonaro. Este, que pode parecer insano, sádico, intratável, joga o jogo e...
A Constituição Cidadã erigiu a dignidade da pessoa humana como seu fundamento, ao lado da soberania, cidadania, valores sociais do trabalho e da livre iniciativa e o pluralismo político. Trata-se, portanto, de um dos pilares que legitimam o Estado Social e Democrático que fundou....
img
img
img
PUBLICAÇÕES RECENTES
img




img



img
img
img
CASAS img LOTES img FAZENDAS
img
CHÁCARAS img PRÉDIOS COMERCIAIS img GALPÕES
img
RSS  Dicas de Leitura Dicas de leitura
img
Ambientado em uma comunidade japonesa de São Paulo, lançamento ficcional da escritora Juliana Marinho promove o poder da música como intervenção para cura de doenças. A musicoterapia, união da arte e saúde em busca da reabilitação ou promoção do bem-estar, é a responsável...
Por meio da personagem Malu, as escritoras e letrólogas paulistas Nanda Mateus e Raphaela Comisso dialogam com as crianças sobre diversidade familiar e desmistificam a homoparentalidade. Nanda Mateus trabalha com educação e inovação em tecnologias para...
Existem músicas para os momentos felizes, tristes e até aquelas que marcam datas especiais, mas para Melody King é diferente: as canções são uma consequência — infelizmente incontrolável — de uma rara doença. As dificuldades em lidar com as embaraçosas situações,...
img
img
RSS  Top Vdeos Top Vídeos
img
Thumbnail
img
img
img
RSS  Classificados Classificados
img
img
img



RSS GOOGLE + YOUTUBE TWITTER FACEBOOK