Novoeste on-line - Onde o Oeste da Bahia é Notícia
> Principal > Artigos > Pauta Livre > Estados Unidos: mundo dividido
 
Estados Unidos: mundo dividido
11/07/2013 as 10:34 h  Autor Petrônio Souza Gon&ccedi  Imprimir Imprimir
Os cidadãos americanos fazem dentro do seu país o que suas Forças Armadas fazem fora: matam! É impossível uma nação ficar impune aos seus próprios pecados, há ‘forças’ que duelam em cada lado. Uns chamam de destino, outros, de karma, e assim fica mais amarga nossa pobre vida diária.

Nos quatro cantos da Terra as guerras e o dedo em riste dos EUA, quase sempre dissimulado. Os antigos impérios queriam dominar os povos, explorá-los, mas não queriam destruí-los. Entendiam que a existência deles era a sua riqueza.

Ao que se constata, em décadas e décadas de guerras e histórias, eles chegam aos países em momento estratégico, sob a égide de libertadores. Pouco tempo depois, se revelam invasores. Opressores por natureza, exerceram decisivo papel nas ditaduras das Américas. Intervieram diretamente nas frágeis democracias. Na nossa, especificamente, após a aprovação e sanção presidencial da Lei de Remessas de Lucros - fruto do nacionalismo lúcido do saudoso mineiro Celso Brant - orquestraram uma silenciosa guerra à democracia brasileira, se arrastando pelos corredores imaturos e quase sombrios da recém criada capital federal.

Sua origem, sua formação como país, como nação, nos mostram que, para eles, o território e riquezas de outros países, de outros povos, são a extensão de seu poder, de seu quintal. Foi assim com o México, é assim com o Iraque, será assim no Oriente Médio dividido. A desestabilidade política, econômica e diplomática de pequenas e pobres nações é parte da vigília dos americanos, infiltrados em todo o planeta, atentos e armados, interferindo diretamente no direito natural à autodeterminação dos povos.   

Belicosos, ardilosos, eficientes e competentes, produzem o bem e o mal, em nível mundial, nos dando a exata dimensão do que é humano. A mesma nação que produz a arte e as belezas de Hollywood, produz também os mutilados do Afeganistão, os desamparados da Coréia, as mães loucas das praças que vão para casa e não podem mais esperar seus filhos. Na aura azul do planeta, paira a sombra do cogumelo atômico tatuado a ferro e fogo em nossos corações: para sempre.

Fizeram da vida na Terra quase um filme, um país de macacos, uma versão sempre atualizada de um jogo de playstation, cheia de nuances, segredos e efeitos especiais. Talvez temendo as novas mídias digitais, investem em nova modalidade: as guerras teleguiadas, imaginando menos sujo o lúgubre espetáculo. Esse é o verdadeiro vermelho na bandeira americana, o sangue das nações que tombaram frente ao seu poder, depois de um pequeno e providencial intervalo de paz.

Os Estados Unidos assim vão, fazendo o mundo dividido, povos repartidos, ódios distribuídos, com a aquiescência de um mundo quase abduzido pelo artificial sabor da coca-cola.

Petrônio Souza Gonçalves
é jornalista e escritor

Comente via Facebook
Mais Artigos
No h comentrios.
img
img
RSS  Artigos Artigos

Embora pensada para se opor à polarização entre direita e esquerda nas eleições presidenciais, a candidatura de terceira via, se ocorrer, favorecerá Lula e atrapalhará Bolsonaro. Por natureza, o eleitorado de esquerda comparece incondicionalmente às urnas e vota no candidato da tendência, mesmo...
Em evento de filiação ao Podemos e com discurso político, Sérgio Moro traz à tona sentimentos e projeções variadas acerca de seus objetivos políticos. Símbolo maior da Operação Lava Jato quando juiz, superministro do Governo Bolsonaro, trabalhador da iniciativa privada nos EUA, enfim, uma trajetória já assaz atribulada nos últimos anos e, agora, uma pré-candidatura, ao que tudo indica para a Presidência, em 2022, mas não...
O partido que desfralda a bandeira da socialdemocracia e adota um tucano como símbolo, o PSDB, está em frangalhos. Quando foi criado em 1988 era a esperança de o país pela trilha de uma nova política, amparada no conceito do Estado comprometido com o bem estar social e aberto aos...
O cipoal de leis que restringe a liberdade individual deve ser censurado. Característica principal dos sistemas socialistas anacrônicos e até mesmos dos híbridos, a hegemonia de leis que restringe a liberdade individual vem contaminando o progresso geral. A liberdade é instrumento de construção e de evolução meteórica mais consistente dentro dos sistemas viáveis de construção da sociedade humana. Os dois caminhos experimentados pelas...
A Caridade é o centro gravitacional da consciência ideológica, portanto, educacional, política, social, filosófica, científica, religiosa, artística, esportiva, doméstica e pública do Cidadão Espiritual. Desse modo, se o ser humano não tiver compreensão dela, deve esforçar-se para entendê-la, a fim de...
img
img
img
PUBLICAÇÕES RECENTES
img




img



img
img
img
CASAS img LOTES img FAZENDAS
img
CHÁCARAS img PRÉDIOS COMERCIAIS img GALPÕES
img
RSS  Dicas de Leitura Dicas de leitura
img
Ambientado em uma comunidade japonesa de São Paulo, lançamento ficcional da escritora Juliana Marinho promove o poder da música como intervenção para cura de doenças. A musicoterapia, união da arte e saúde em busca da reabilitação ou promoção do bem-estar, é a responsável...
Por meio da personagem Malu, as escritoras e letrólogas paulistas Nanda Mateus e Raphaela Comisso dialogam com as crianças sobre diversidade familiar e desmistificam a homoparentalidade. Nanda Mateus trabalha com educação e inovação em tecnologias para...
Existem músicas para os momentos felizes, tristes e até aquelas que marcam datas especiais, mas para Melody King é diferente: as canções são uma consequência — infelizmente incontrolável — de uma rara doença. As dificuldades em lidar com as embaraçosas situações,...
img
img
RSS  Top Vdeos Top Vídeos
img
Thumbnail
img
img
img
RSS  Classificados Classificados
img
img
img



RSS GOOGLE + YOUTUBE TWITTER FACEBOOK