Novoeste on-line - Onde o Oeste da Bahia é Notícia
> Principal > Artigos > Pauta Livre > UMA DEMOCRACIA PRECÁRIA
 
UMA DEMOCRACIA PRECÁRIA
08/07/2013 as 11:00 h  Autor Dr. Amadeu Garrido de Paula   Imprimir Imprimir
Os últimos acontecimentos no Brasil retrataram a precariedade da democracia. Regime que não é o melhor, mas o menos pior que o homem foi capaz de idealizar. E que se diversifica entre os povos, desde as imperfeitas até as próximas das instituições ideais.

Golpeada em 1964 e soterrada em 1968, lenta e paulatinamente veio a abertura, não sem heróicas jornadas populares em busca da libertação do povo. A vitória, cristalizada com a lei magna de 1988, celebrada em prosa e verso, não correspondeu à implantação de um definitivo regime democrático;  sua construção ocorreu aos poucos e na medida da participação popular.
 
Os surpreendentes movimentos de 2013 simplesmente atestaram a imperfeição de nossa democracia. O poder nacional constituinte foi instaurado num momento de transição universal, do esfacelamento do socialismo real e da consolidação da globalização econômica e política. Muitos princípios consagrados na Constituição Federal de 1988, alguns meses após,  provavelmente dariam lugar a outros. O avanço, ante o regime anterior, foi inegável. As tensões, contudo, permaneceram latentes; não se pode afirmar que a Carta de 1988 veio traçar  um nosso futuro tranquilo e a longo prazo.

Tanto é verdade que o poder constituinte originário foi substituído, em seu maior espectro, por sua forma derivada. A vontade direta do povo deu lugar à vontade como representação das casas congressuais; com tanta intensidade que a Constituição foi, quase que de cabo a rabo, ressalvadas as cláusulas pétreas, alterada pela Câmara e pelo Senado.

 Tais alterações, contudo, não vieram para melhorar nosso estado de direito democrático e constitucionalizado. Reitere-se: a turbulência de 2013 é a comprovação mais eloquente do que se diz.

Um governo que se conduzisse rigorosamente de acordo com uma Constituição justa não estaria perdido como o atual. Bastaria cumprir as regras com inteligência. Portanto, temos dois problemas: uma constituição mal feita e, além disso, um governo que a descumpre e, sempre que possível, age por meio de medidas provisórias.

Neste curto espaço basta avançar alguns dramas constitucionais brasileiros. As referidas medidas provisórias só cabem, em princípio, em caso de relevância e urgência; porém, em todo momento são editadas. O país não é organizado sob uma federação, mas está combalido sob a guerra federativa, em que os estados são os lobos dos estados, com suas discrepantes tarifas do ICMS. Somente agora se cogita de punir a corrupção à altura dos direitos e da dignidade dos brasileiros. Não são previstas sanções efetivas aos servidores que agregam nulidades às licitações e inviabilizam nossos investimentos O Judiciário está sempre em reforma, mas continua a capengar. O legislativo não legisla e sua omissão, em muitos casos, é suprida por um STF que assume seu papel. As relações privadas e públicas são promíscuas e o governo não pune por sua iniciativa, mas de maneira reativa,  só quando a mídia escancara as falcatruas. Nosso sistema político foi posto na Carta para garantir os projetos de poder, a profissão política, não um projeto de administração pública. O presidencialismo de coalisão e as reeleições institucionalizam as bandalheiras.  Os temas sensíveis, que poderão modificar este país, no campo político, ao preço da erradicação dos privilégios da respectiva casta, sequer serão arranhados pelo pomposo plebiscito.

Sempre há tempo para um país se reconciliar consigo, por meio de uma nova Constituição e de uma nova postura capaz de higienizar seus costumes. Se não há tempo de trabalhar nessa magna tarefa, que as maiores nações do mundo enfrentaram, antes das próximas eleições, não se trata de um óbice. Nosso povo há de edificar uma grande democracia. As ruas e os jovens o demonstraram.
 
Por Dr. Amadeu Garrido de Paula é advogado.

Comente via Facebook
Mais Artigos
No h comentrios.
img
img
RSS  Artigos Artigos

Embora pensada para se opor à polarização entre direita e esquerda nas eleições presidenciais, a candidatura de terceira via, se ocorrer, favorecerá Lula e atrapalhará Bolsonaro. Por natureza, o eleitorado de esquerda comparece incondicionalmente às urnas e vota no candidato da tendência, mesmo...
Em evento de filiação ao Podemos e com discurso político, Sérgio Moro traz à tona sentimentos e projeções variadas acerca de seus objetivos políticos. Símbolo maior da Operação Lava Jato quando juiz, superministro do Governo Bolsonaro, trabalhador da iniciativa privada nos EUA, enfim, uma trajetória já assaz atribulada nos últimos anos e, agora, uma pré-candidatura, ao que tudo indica para a Presidência, em 2022, mas não...
O partido que desfralda a bandeira da socialdemocracia e adota um tucano como símbolo, o PSDB, está em frangalhos. Quando foi criado em 1988 era a esperança de o país pela trilha de uma nova política, amparada no conceito do Estado comprometido com o bem estar social e aberto aos...
O cipoal de leis que restringe a liberdade individual deve ser censurado. Característica principal dos sistemas socialistas anacrônicos e até mesmos dos híbridos, a hegemonia de leis que restringe a liberdade individual vem contaminando o progresso geral. A liberdade é instrumento de construção e de evolução meteórica mais consistente dentro dos sistemas viáveis de construção da sociedade humana. Os dois caminhos experimentados pelas...
A Caridade é o centro gravitacional da consciência ideológica, portanto, educacional, política, social, filosófica, científica, religiosa, artística, esportiva, doméstica e pública do Cidadão Espiritual. Desse modo, se o ser humano não tiver compreensão dela, deve esforçar-se para entendê-la, a fim de...
img
img
img
PUBLICAÇÕES RECENTES
img




img



img
img
img
CASAS img LOTES img FAZENDAS
img
CHÁCARAS img PRÉDIOS COMERCIAIS img GALPÕES
img
RSS  Dicas de Leitura Dicas de leitura
img
Ambientado em uma comunidade japonesa de São Paulo, lançamento ficcional da escritora Juliana Marinho promove o poder da música como intervenção para cura de doenças. A musicoterapia, união da arte e saúde em busca da reabilitação ou promoção do bem-estar, é a responsável...
Por meio da personagem Malu, as escritoras e letrólogas paulistas Nanda Mateus e Raphaela Comisso dialogam com as crianças sobre diversidade familiar e desmistificam a homoparentalidade. Nanda Mateus trabalha com educação e inovação em tecnologias para...
Existem músicas para os momentos felizes, tristes e até aquelas que marcam datas especiais, mas para Melody King é diferente: as canções são uma consequência — infelizmente incontrolável — de uma rara doença. As dificuldades em lidar com as embaraçosas situações,...
img
img
RSS  Top Vdeos Top Vídeos
img
Thumbnail
img
img
img
RSS  Classificados Classificados
img
img
img



RSS GOOGLE + YOUTUBE TWITTER FACEBOOK