Novoeste on-line - Onde o Oeste da Bahia é Notícia
> Principal > Artigos > Pauta Livre > Turismo interno do Brasil é informal e discriminado
 
Turismo interno do Brasil é informal e discriminado
28/03/2013 as 09:01 h  Autor José Queiroz  Imprimir Imprimir
Não há uma instituição responsável pelo turismo interno no Brasil, e essa é uma preocupação compartilhada por operadoras e agências que estão fora do círculo Abav, secretarias e Ministério do Turismo. O Estado brasileiro manipula e prejudica este setor do turismo no país! O negócio é voltado exclusivamente para a venda de viagens, não inclui o cuidado com os atrativos. Estes são responsabilidades de terceiros, sem conhecimentos técnicos, despreparados. Governantes puramente políticos, ‘desqualificados’, impõem procedimentos esdrúxulos e prejudicam a atividade. O país renega seus turismólogos! Várias faculdades de turismo fecharam as portas no governo do PT.

Turismo não pode ser feito por qualquer pessoa, como defende Luiz Trigo, da USP! Aliás, vender, que é sua especialidade, pode ser. E o Brasil é muito bom nesse setor. Mas recepcionar, especializar-se em perfis e interesses - inclusive das operadoras! - dominar idiomas e representar a cultura dos lugares, não é tarefa simples. Por incrível que pareça, essas qualidades indispensáveis aos profissionais de turismo receptivo de qualquer país, são desprezadas pelos operadores e desconhecidas do público brasileiro. O turismo interno e seus profissionais ainda são vistos como invasores, exploradores e predadores. São discriminados em muitos lugares! E os turistas que enriquecem os vendedores de viagens, têm direitos legais, são muito mal atendidos no país.

Desde 1972, quando foi criada a Convenção sobre a Proteção do Patrimônio Cultural e Natural, o turismo demonstra preocupação com o meio ambiente, povos, monumentos e culturas. Várias legislações foram criadas para proteger lugares e turistas, inclusive criou-se o Direito do Turismo em 1999, na França. Porém, o Brasil está imensamente atrasado nessa área, e pior, burla acintosamente várias legislações, a começar pelo Direito do Consumidor, que enquadraria muita operadora e hotel se fosse devidamente fiscalizado. Luiz Trigo e seus vendedores mantêm o turismo interno do Brasil na informalidade!

É o que vem acontecendo em Salvador e Praia do Forte, onde hotéis e resorts não dão opção de pesquisa, serviços e preços aos hóspedes. Costa do Sauípe, com cinco resorts e cinco pousadas, é exclusividade de uma única agência e de taxis. Isso é o pior que poderia acontecer ao turismo de Salvador! Os atrativos, hotéis e equipamentos da cidade, e de Praia do Forte, estão tomados por agências e cooperativas de taxis, e os turistas na região não têm acesso aos profissionais de turismo autônomos. Ou compram o que a agência tem, ou passeiam em taxi! O turista que sai de um resort para Salvador, nesses carros, vai direto ao Pelourinho, lá o motorista atua ilegalmente como guia, ou indica pseudos guias que comprometem a imagem do turismo e dos profissionais da cidade, e a própria economia local. As instâncias do turismo não interferem, não há uma instituição que represente o receptivo, e Salvador já é tida como uma cidade de péssimo serviço turístico.

A prefeitura de Salvador e a Agerba – Agência Estadual de Regulação de Serviços Públicos de Energia, Transportes e Comunicações da Bahia - estão dificultando a circulação de carros de turismo, proibindo estacionamento, cobrando procedimentos e documentos que não foram regulamentados ou exigidos antes pelo Ministério do Turismo, que tampouco avisou, não deu tempo para os profissionais se adequarem. Basta uma olhada rápida pelos atrativos, como Pelourinho, Farol da Barra e Dique do Tororó, em equipamentos como o Aeroporto, Terminal Turístico – esse é uma vergonha! – e no Porto, além dos hotéis da cidade. Não há lugar para carros de agências e guias de turismo! O turista que chega para conhecer a cidade que é destino cultural, e quer saber mais sobre a História, o povo, a cultura popular, o Jorge Amado, ou quer conhecer atrativos, museus e galerias de arte, tem que comprar serviços de intermediários, ou tomar taxi.

O Brasil precisa criar a associação nacional de turismo receptivo, os estados e municípios turísticos devem ser representados, e a atividade profissionalizada. É preciso conhecer e prestigiar os cientistas do turismo do país, como a doutora, professora e incansável Margarita Barreto, autora do Manual de Iniciação ao Estudo do Turismo, e muitos outros livros, artigos e trabalhos, e o não menos ilustre João dos Santos Filho, autor da Ontologia do Turismo, além de muitos outros profissionais dedicados a atividade e sua grande responsabilidade social e cultural. É preciso integrar os turismólogos à atividade, sair do amadorismo. Governantes e operadores brasileiros não se deram conta de outra qualidade do Turismo, a de veículo de informação real, que já transmitiu ao mundo a realidade brasileira. Só há uma opção, profissionalizar-se, ou eternizar a imagem de malandros e incapazes e afastar turistas, o que já vem ocorrendo. Nesse caso, não é discriminação.  

Por José Queiroz <blogturismoreceptivo@gmail.com>

Comente via Facebook
Mais Artigos
No h comentrios.
img
img
RSS  Artigos Artigos

Embora pensada para se opor à polarização entre direita e esquerda nas eleições presidenciais, a candidatura de terceira via, se ocorrer, favorecerá Lula e atrapalhará Bolsonaro. Por natureza, o eleitorado de esquerda comparece incondicionalmente às urnas e vota no candidato da tendência, mesmo...
Em evento de filiação ao Podemos e com discurso político, Sérgio Moro traz à tona sentimentos e projeções variadas acerca de seus objetivos políticos. Símbolo maior da Operação Lava Jato quando juiz, superministro do Governo Bolsonaro, trabalhador da iniciativa privada nos EUA, enfim, uma trajetória já assaz atribulada nos últimos anos e, agora, uma pré-candidatura, ao que tudo indica para a Presidência, em 2022, mas não...
O partido que desfralda a bandeira da socialdemocracia e adota um tucano como símbolo, o PSDB, está em frangalhos. Quando foi criado em 1988 era a esperança de o país pela trilha de uma nova política, amparada no conceito do Estado comprometido com o bem estar social e aberto aos...
O cipoal de leis que restringe a liberdade individual deve ser censurado. Característica principal dos sistemas socialistas anacrônicos e até mesmos dos híbridos, a hegemonia de leis que restringe a liberdade individual vem contaminando o progresso geral. A liberdade é instrumento de construção e de evolução meteórica mais consistente dentro dos sistemas viáveis de construção da sociedade humana. Os dois caminhos experimentados pelas...
A Caridade é o centro gravitacional da consciência ideológica, portanto, educacional, política, social, filosófica, científica, religiosa, artística, esportiva, doméstica e pública do Cidadão Espiritual. Desse modo, se o ser humano não tiver compreensão dela, deve esforçar-se para entendê-la, a fim de...
img
img
img
PUBLICAÇÕES RECENTES
img




img



img
img
img
CASAS img LOTES img FAZENDAS
img
CHÁCARAS img PRÉDIOS COMERCIAIS img GALPÕES
img
RSS  Dicas de Leitura Dicas de leitura
img
Ambientado em uma comunidade japonesa de São Paulo, lançamento ficcional da escritora Juliana Marinho promove o poder da música como intervenção para cura de doenças. A musicoterapia, união da arte e saúde em busca da reabilitação ou promoção do bem-estar, é a responsável...
Por meio da personagem Malu, as escritoras e letrólogas paulistas Nanda Mateus e Raphaela Comisso dialogam com as crianças sobre diversidade familiar e desmistificam a homoparentalidade. Nanda Mateus trabalha com educação e inovação em tecnologias para...
Existem músicas para os momentos felizes, tristes e até aquelas que marcam datas especiais, mas para Melody King é diferente: as canções são uma consequência — infelizmente incontrolável — de uma rara doença. As dificuldades em lidar com as embaraçosas situações,...
img
img
RSS  Top Vdeos Top Vídeos
img
Thumbnail
img
img
img
RSS  Classificados Classificados
img
img
img



RSS GOOGLE + YOUTUBE TWITTER FACEBOOK