Novoeste on-line - Onde o Oeste da Bahia é Notícia
> Principal > Artigos > Pauta Livre > A educação prepara para a vida, mas que vida é essa?
 
A educação prepara para a vida, mas que vida é essa?
07/05/2012 as 20:54 h  Autor João Luís de Alm  Imprimir Imprimir
A escola deve preparar as crianças e os adolescentes para a vida. O mundo lá fora é competitivo, sendo assim é preciso que a escola demonstre que esta realidade deve não apenas ser conhecida, mas também que é necessário estar pronto para enfrentar a concorrência. Os sistemas de avaliação e rankings vigentes na educação mundial de certo modo antecipam tudo aquilo que irá acontecer quando os alunos forem para o mercado de trabalho.

Todas estas são falas que escuto, com frequência, de educadores antenados com o mundo lá fora. A globalização mudou a forma como nos relacionamos de modo radical e pede que estejamos totalmente preparados para tudo o que pudermos prever e até mesmo para aquilo que é imprevisível. Criou-se um ambiente de competição extrema e chegar nas primeiras posições não é apenas uma meta, é uma demanda.

Pensando nisso surge a questão: Preparar para a vida, para a competição, para o mundo globalizado... É o que realmente queremos para nossos filhos e netos? Ou seria melhor repensar estes termos e agir no sentido de dar-lhes condições de escolher e realizar um mundo diferente, melhor, mais justo, solidário, ético, fraterno e, creio, mais feliz?

Você está satisfeito com o ritmo de sua vida? As demandas que só aumentam e lhe fazem ter dores de cabeça permanentes? Sabe aquela sensação de enxaqueca que parece interminável e lhe pede remédios para aplacar o sofrimento físico a todo o momento... É fruto do stress, das cobranças, da correria, dos êxitos a serem obtidos sempre, numa jornada sem fim...

Pense, por exemplo, no seguinte... Sua vida hoje e sua importância é avaliada pela quantidade de reuniões, contatos que estabelece, projetos aos quais está integrado, velocidade em tudo o que faz, lucratividade que gera para a empresa na qual trabalha, participação em redes sociais virtuais ou profissionais? Para muitas pessoas é assim! E é esta a vida que você deseja para seus filhos?

Que tal oferecer a ele, na educação em casa e na escola, alternativas a este modelo de vida que hoje prevalece no planeta? Mostrar que na vida o que de fato vale muito são os relacionamentos plenos que estabelecemos, o sentimento verdadeiro, o sentido da conquista gradual, o serviço bem realizado (no devido tempo, ponderado, construído a partir do talento individual e da união das possibilidades de todos, numa verdadeira comunhão), poder se sentar a mesa e fazer uma boa refeição sem pressa e na companhia dos amigos, ter tempo para si mesmo (para o que quiser fazer), ter a possibilidade de estar em redes virtuais sem abrir mão da vida fora da web...

Preparar para a vida como ela é hoje, dando continuidade aos ciclos que prevalecem e que geram tantos problemas para tantas pessoas, sem a possibilidade de refletir sobre o que nos cerca e, desta forma, poder optar por outros caminhos é insano. Se conscientemente as pessoas preferem o que existe e não agem como autômatos a repetir diariamente os caminhos sem saber ao certo aonde vão chegar ou mesmo porque assim o fazem, deixa de ser loucura e passa a ser aceitável a escolha individual e coletiva. Mas as novas gerações precisam ter a chance de escolher e, para isso, de conhecer caminhos alternativos, diferentes daqueles que estão sendo impostos a elas...

Vithais. Blog sobre educação, cultura, política e outros temas.
Por João Luís de Almeida Machado
Disponível em: http://www.adital.com.br/

Comente via Facebook
Mais Artigos
No h comentrios.
img
img
RSS  Artigos Artigos

O escritor foi e ainda é, para as crianças que estão começando a descortinar o infinito horizonte da palavra, algo inatingível, meio mágico, talvez mítico.Isso, dito por elas mesmas. A criança é naturalmente curiosa, sedenta de conhecimento e experiência, e ficar cara a cara com...
Na civilização humana, em todos os tempos as gesticulações passaram a simbolizar determinados comportamentos e construir significados diversos para cada sociedade e para cada povo. Gestos humanos servem tanto para simbolizar comportamentos positivos, bem como...
https://www.novoeste.com/uploads/image/artigos_gaudencio-torquato_jornalista-professor-usp-consultor-politico.jpgHoje, tomo a liberdade de fazer uma reflexão sobre a vida. Valho-me, inicialmente, de Sêneca com seu puxão de orelhas: “somos gerados para uma curta existência.  A vida é breve e a arte é longa. Está errado. Não dispomos de pouco tempo, mas desperdiçamos muito. A vida é longa...
A presidenta do Instituto Justiça Fiscal aponta o falso dilema para a escolha eleitoral de 2022 e indica as fontes de custeio para vencer o quadro desolador de fragilidade da maioria do povo brasileiro. A próxima eleição, se ocorrer, certamente exigirá muito de nós. Mas não será uma escolha difícil. Para começar, terceira via não existe! Ou melhor: existe, em Bolsonaro. Este, que pode parecer insano, sádico, intratável, joga o jogo e...
A Constituição Cidadã erigiu a dignidade da pessoa humana como seu fundamento, ao lado da soberania, cidadania, valores sociais do trabalho e da livre iniciativa e o pluralismo político. Trata-se, portanto, de um dos pilares que legitimam o Estado Social e Democrático que fundou....
img
img
img
PUBLICAÇÕES RECENTES
img




img



img
img
img
CASAS img LOTES img FAZENDAS
img
CHÁCARAS img PRÉDIOS COMERCIAIS img GALPÕES
img
RSS  Dicas de Leitura Dicas de leitura
img
Ambientado em uma comunidade japonesa de São Paulo, lançamento ficcional da escritora Juliana Marinho promove o poder da música como intervenção para cura de doenças. A musicoterapia, união da arte e saúde em busca da reabilitação ou promoção do bem-estar, é a responsável...
Por meio da personagem Malu, as escritoras e letrólogas paulistas Nanda Mateus e Raphaela Comisso dialogam com as crianças sobre diversidade familiar e desmistificam a homoparentalidade. Nanda Mateus trabalha com educação e inovação em tecnologias para...
Existem músicas para os momentos felizes, tristes e até aquelas que marcam datas especiais, mas para Melody King é diferente: as canções são uma consequência — infelizmente incontrolável — de uma rara doença. As dificuldades em lidar com as embaraçosas situações,...
img
img
RSS  Top Vdeos Top Vídeos
img
Thumbnail
img
img
img
RSS  Classificados Classificados
img
img
img



RSS GOOGLE + YOUTUBE TWITTER FACEBOOK